sábado, 25 de setembro de 2010

Esta caminhada começa a ganhar contornos de perfeição


Mais um jogo, mais uma vitória. Já é assim desde 24 de Março de 2009, precisamente há 6 meses, 20 jogos oficiais, 20 vitórias. Estamos no caminho certo. Venha o próximo...

A equipa está num nível de confiança tremenda. Parece que jogam juntos há vários anos, Moutinho é disso exemplo e até Otamendi mostrou uma tranquilidade muito boa, para quem está há pouco tempo no clube e na cidade e tem apenas 22 anos.

Não há muito para contar, uma primeira parte de domínio total do FC Porto, Helton foi mais um dos muitos espectadores no Dragão, algumas jogadas deliciosas, pormenores técnicos de grande qualidade, mesmo a um ritmo não muito elevado, Hulk voltou a desequilibrar, primeiro numa jogada de insistência com Otamendi a aproveitar para encostar para o 1-0 e depois numa antecipação a correr para o 2-0. O Olhanense foi sempre inofensivo.

Na segunda parte, o FC Porto baixou claramente o ritmo e de forma inteligente, esperou pelos erros do adversário. Contudo o Olhanense melhorou, foi mais agressivo, teve muita mais posse de bola e conseguiu quase sempre afastar o perigo. Ainda assim, o FC Porto fez o suficiente nesta segunda parte para marcar mais 1 ou 2 golos, ora por alguma atrapalhação, ou a mira da baliza um pouco torta, acabou por não marcar mais nenhum golo. Defensivamente, manteve o bom nível, apesar de ter tido mais trabalho.



Algumas notas individuais:

HELTON (3) – Primeira parte sem trabalho a realizar. Na segunda alguns lances que obrigaram a estar mais atento, contudo sem registo de uma intervenção complicada.
FUCILE (3)– Está a subir de forma. Seguro a defender e a apoiar bastante o ataque. Ainda não está no ritmo e confiança ideal, mas para lá caminha, ainda assim já mostrou mais a nível atacante do que Sapunaru. Dificilmente deixará de ser titular.
ALVARO PEREIRA (3) - Ao seu estilo. Muito ofensivo sem perder a noção de defender. Melhor na primeira parte sobretudo a atacar, na segunda parte teve mais trabalho defensivo, mas sempre em bom nível.
ROLANDO (3) – Tal como a restante equipa sem grande trabalho. Realce para algumas saídas com a bola controlada mas a falhar muitos passes para os adversários. Ponto a melhorar.
OTAMENDI (4) – Começou algo nervoso, com alguns passes menos acertados, mas fui subindo de nível exibicional, tranquilizou-se e nada melhor do que marcar um golo. Seguro, sem grande trabalho, e deu para perceber que se destaca pela antecipação.
FERNANDO (4)– Meio campo de luxo, tem sempre Fernando. Está em todo o lado mesmo em terrenos ofensivos. Transmite uma segurança inigualável à equipa. Mesmo na segunda parte, com mais tempo de jogo manteve a qualidade de passe e as recuperações de bola.
MOUTINHO (4) – Tal como Fernando, um dos melhores em campo, mais uma vez. Teve vários pormenores técnicos deliciosos. Pena não ter marcado na segunda parte, para ser provavelmente o melhor em campo.
BELLUSCHI (3)– O menos vistoso no meio campo. Melhorou na segunda parte, mas claramente Fernando e Moutinho tomaram conta do meio campo. Faltou alguma inspiração neste jogo.
HULK (4)– O melhor em campo na primeira parte. Voltou a desequilibrar, a fazer jogar a equipa, de um remate forte, defendido pelo guarda redes, surgiu o primeiro golo e mais tarde conseguiu marcar, num excelente pormenor técnico. Na segunda parte, baixou de ritmo tal como a equipa e envolveu-se em momentos menos felizes. Vou substituído no momento certo e assim, merece ser destacado como o melhor em campo.
VARELA (3) – Menos vistoso que Hulk. Não conseguiu desequilibrar, nem fazer as habituais arrancadas com sucesso para golo. Curiosamente teve mais em jogo na segunda parte do que na primeira.
FALCÃO (3) – Mal se viu no jogo, contudo posicionalmente continua a cumprir abrindo espaços para os adversários. Na segunda parte, teve um ou outro lance que não é habitual atrapalhar-se com a bola.
RUBEN MICAEL (3) - A substituição que começa a ser habitual. Desta vez substituiu Hulk e o FC Porto passou a jogar em 4x4x2. Sabe segurar a bola e lançá-la para os companheiros. Foi um pouco vitima da postura que o FC Porto tinha adoptado, mais controlo de bola e menos aceleração.
WALTER (2) - Cerca de 20 minutos em campo, não foi suficiente para um lance de registo. Não tem as características de Falcão, pelo que a substituição e colocação no centro da área não teve frutos. Necessita de um jogo a titular para ganhar confiança.
SOUZA (2) - Pouco tempo em campo, entrou para reforçar a zona defensiva do meio campo e conseguiu algumas recuperações de bola. Nota-se muita tranquilidade e confiança no seu valor quando entra em campo.

Villas Boas mais uma vez tinha o adversário bem estudado, pois conseguiu surpreender com uma entrada forte. Para além da visão táctica do jogo, Villas Boas não perdeu a concentração ao ponto de ter retirado Hulk, quando este estava a passar por uma fase do jogo menos boa e de alguma irritação.

Quanto à arbitragem, esteve muito bem, com excepção de um cartão vermelho perdoado a Vinicius por uma entrada a matar sobre Fucile, quando até já tinha um amarelo. Continuamos a assistir a entradas violentas, colocando em risco a integridade física dos jogadores e não há sinais que esta Liga esteja muito preocupada. Pelos vistos, atirar uma garrafa ao público é bem mais grave!

O público está empolgado com esta caminhada do FC Porto e compareceu mais uma vez em bom número ao Dragão. Daqui a semana, temos o Vitória e aí sim será fundamental uma presença massiva dos adeptos portistas em Guimarães. Estou convicto que uma vitória será o primeiro passo rumo ao título.
Antes, o FC Porto viajará para a Bulgária, onde defrontará o CSKA Sófia, naquele que se espera ser mais um jogo vitorioso e um passo de gigante para a próxima fase da Liga Europa.

Ricardo Jorge

4 comentários:

dragao vila pouca disse...

Se tivesse acabado ao intervalo...

Tinha sido óptimo. Gostei muito da primeira-parte do F.C.Porto.
Frente a um adversário fechado, com todos a trás da linha da bola, apenas apostado em não sofrer golos e que raramente saiu para o ataque, o conjunto de Villas-Boas, jogou bem, às vezes muito bem, chegando ao intervalo a vencer por 2-0, resultado que até podia, sem que fosse injusto para a equipa de Olhão, ser mais dilatado. Foi um Porto de qualidade, intenso, jogando um futebol bonito, de toque, envolvente, de movimentação constante, de controlo absoluto do jogo, que atacava bem, ora pelo meio, em tabelas, ora pelos flancos, com Hulk e Varela sempre perigosos, os médios próximos dos avançados, enfim, um turbilhão, que entusiasmou os cerca de 35.000 espectadores que se deslocaram ao Dragão. Se a equipa de Daúto Faquirá, era a sensação do campeonato, essa equipa, hoje, por culpa do F.C.Porto, não se viu.

Mas o jogo não acabou ao intervalo e na segunda-parte não apareceu o mesmo Porto. Ou porque o resultado era confortável, ou porque o efeito Liga Europa caiu no sub-consciente dos jogadores, ou porque o adversário não dava mostras de ser capaz de criar embaraços, a equipa portista ligou o complicador, desligou-se, baixou o ritmo, deixou de jogar em conjunto e a qualidadee baixou bastante, o que foi pena, já que na etapa inicial a exibição tinha sido de grande qualidade. Não que o controlo e o domínio de jogo se perdessem, não que não houvesse algumas oportunidades de aumentar a contagem, sem que isso fosse injusto para os algarvios, mas porque depois daquela primeira-parte, não se esperaria tão pouco...

Resumindo: no dia de estreia de Otamendi, um Dragão de duas caras, venceu com toda a justiça e segue líder destacado, com 6 jogos e 6 vitórias.

Um abraço

Dragus Invictus disse...

Olá boa tarde,

Ontem entramos muito bem no jogo, a pressionar alto, a circular rapidamente a bola, e foi com naturalidade que chegamos ao primeiro golo e depois ao segundo a fechar a primeira parte.
Hulk e Varela foram sempre uma seta apontada à baliza de Moretto.
A Olhanense não conseguia sair de trás por força da nossa capacidade de pressão.
Moutinho e Fernando fizeram um excelente jogo.
Na segunda parte com o resultado feito e tirámos o pé do acelerador, e controlamos sempre a Olhanense mentalizada com a derrota, que apenas fez um remate ao minuto 90.
Destaque para as excelentes exibições de Moutinho e Fernando, para Hulk que é um portento de força.
Nota ainda para Otamendi, que ontem demonstrou que tem capacidade de liderança da defesa. Muitas vezes o vimos a falar com os colegas na coordenação defensiva. O facto de ter capitão no clube anterior dá-lhe essa experiência de liderança.
É nitidamente um central de marcação, bem mais agressivo que Maicon ou Rolando.
Agora temos a liga Europa, e depois é importante vencer o Guimarães antes da paragem do campeonato.
Se ganharmos em Guimarães teremos a possibilidade de quando recebermos o Benfica ampliar a distância pontual.

Abraço e bom domingo

Paulo

ultrafcporto disse...

Caro portista,
Uma excelente 1ª parte, na 2ª parte foi para gerir o resultado. Valeu por a estreia do central Otammendi e não poderisa ser da melhor maneira, marcando um golo.

Cumprimentos,
ultrafcporto

P. Ungaro disse...

Infelizmente não pude ver o jogo, voltei os velhos tempos em que não havia transmições televisivas e ouvi o relato pela radio.
Ao contrario do que tem sido habitual a segunda parte foi inferior a primeira, se por um lado se entende a gestão de esforço, do nosso lado, os adeptos, queremos sempre a equipa em alta rotação.
Otamendi não podia pedir melhor estreia, Moutinho com muita dinamica e Fernando o Polvo (não o da fpf) são os meus destaques.

Um abraço

http://www.fcportonoticias-dodragao.blogspot.com/