domingo, 7 de novembro de 2010

Uma chapada de mão aberta...

Não há muito para escrever quando uma equipa ganha um jogo por 5-0. Hoje o FC Porto não só marcou 5 golos, como vulgarizou o seu adversário em matéria de táctica, colectivo, individual e no fair play.

E nem foi preciso inventar, mudar táctica, mudar jogadores de posição, nada, simplesmente o FC Porto jogou à Porto com tem habitualmente jogado este ano.

Villas Boas, sem Fernando, voltou a apostar em Guarin e muito bem. Na minha opinião, nestes 2 jogos consecutivos a jogar mais defensivamente, mostrou que é claramente um dos médios mais valiosos do plantel. E foi com um meio campo com menos 1 unidade do que o adversário, que o FC Porto controlou e ganhou este jogo. Com Moutinho a defender e Belluschi mais disponível para o ataque, o FC Porto conseguiu com estes 3 jogadores defender e atacar quase na perfeição.
Foi este o primeiro e eficaz bloqueio ao adversário. Lá a atrás, com concentração máxima, o sector defensivo foi eliminando o que faltava eliminar.



E foi no ataque que se materializou a goleada. 5 golos distribuídos pelos 3 jogadores mais atacantes, sem dúvida o melhor trio atacante a jogar em Portugal e provavelmente por essa Europa fora.

Não há muito mais a dizer... o FC Porto jogou com um rigor muito elevado, ao mesmo tempo, muito tranquilo e com uma vontade de ganhar, de tal forma, que parecia que o FC Porto entrou a jogar com o adversário reduzido em número de jogadores.

O FC Porto esta noite, e tal como tinha feito no jogo da Supertaça, demonstrou claramente que é a melhor equipa e que o que se passou o ano passado foi um campeonato artificial, um campeão artificial, motivado e movido com esquemas macabros, que muito provavelmente, tal como em 2004/2005, no ano seguinte não será campeão.



Declarações de Villas-Boas:



Complicado escolher o melhor em campo, todos estiveram muito bem no seu papel para a equipa, mas Hulk, pelos 2 golos marcados, pela assistência no primeiro golo e sobretudo por ter ultrapassado os milhões do David Luiz e Coentrão, que por essa ordem de ideias, Hulk no mínimo vale 80 milhões!

E no meio de tanto domínio ainda houve tempo para alguns erros de arbitragem... até Pedro Proença teve pena dos jogadores do Benfica... o que fez Maxi Pereira, em qualquer lugar no mundo era amarelo... curioso, dá-se um amarelo a Hulk por tirar a camisola em festejos e Maxi Pereira, com síndrome agudo de raiva, pontapeia, tal como Coentrão, a bola para o público e não levou o segundo amarelo... Se Coentrão tivesse levado igual amarelo, no lance do penalti seria igualmente expulso. E claro, Pedro Proença também não entendeu um penalti claro por mão na bola... mas pronto, o que fica para a história é que os erros também favorecem aqueles que andam a justificar as derrotas e os insucessos, é caso para dizer: Ricardo Costa faz muita falta...

Parabéns aos jogadores, parabéns ao público, parabéns à equipa técnica, SAD's, todos... foi uma noite de sonho, mas com muita garra e justiça.

















Só os mais fortes sobrevivem. Nós seremos eternos.
Ricardo Jorge

8 comentários:

penta1975 disse...

saudações PENTAcampeãs!

daquelas de mão cheia! ;)

Tomo I

Armando Pinto disse...

Esta foi mesmo uma alegria como estava a precisar...
Grande vitória. Basta dizer isto, os números dizem tudo.
Lamento a péssima reportagem da TVI que, no programa desportivo dos domingos à noite, só passou quase as imagens dos golos e mais nada do jogo, gastando todo o tempo dedicado ao mesmo jogo com os comentadores a falarem, a carpir mágoas, sem fazerem qualquer tipo de reportagem do antes e depois, como é costume quando são os clubes de Lisboa a vencer... Uma tristeza, como foi triste a protecção aos mouros, inclusive com um eli a projectar foco luminoso na caminhada da claque benfiquista até ao estádio, todo aquele aparato de protecção ao autocarro vermelho como se fossem para uma guerra como a do Iraque, enfim...
Levaram, porém, a resposta dentro do campo!
Um abraço
http://longara.blogspot.com/

Dragus Invictus disse...

Bom dia,

Ontem fizemos um jogo fantástico, épico, pleno de garra e ambição só ao alcance dos grandes campeões.

Foi um grito de revolta de uma equipa, que na época passada perdeu nos túneis o que deveria ter vencido no campo.

Jorge Jesus o auto denominado "mestre da táctica", teve muito medo do FC Porto, foi cagão, e armou uma táctica para tentar parar Hulk. Nem as equipas mais fracas que já passaram pelo Dragão caíram nesse erro ... pois não se consegue parar o que é imparável!

Os nossos jogadores levam todos nota máxima.
Todavia saliento Sapunaru que secou por completo o melhor jogador do Benfica, Coentrão.

Hulk e Falcao evidenciaram-se pelos golos, mas esta foi uma vitória de um colectivo fantástico.

Esta vitória épica ficará para sempre gravada nas páginas da nossa história.

ARREPIANTE a coreografia nas bancadas, e o ambiente do jogo ... lindo!

De morrer a rir o episódio da galinha :)
Abraço

Paulo

http://pronunciadodragao.blogspot.com/

Dragaopentacampeao disse...

Finalmente o FC Porto encontrou um treinador ambicioso e ávido, que não se contenta com o 1-0 da ordem, tem vontade e não tem medo de golear sem dó nem piedade. Que diferença...

Foi um jogo quase perfeito em que a raça e o espírito ganhador, galvanizaram os entusiastas adeptos portistas que também deram um espectáculo de cor e imaginação. Lindo!

Esta equipa demonstrou inequivocamente a grande diferença entre a qualidade do seu futebol sério, honesto, muito técnico e competente face ao do campeão dos túneis, enfatizado pela CS alienada e protegido despudoradamente pelo colinho dos árbitros e dos orgãos da Liga (foi assim que conseguiram todos os últimos títulos).

Termino com uma palavra de revolta, pela actuação do MAI. Vergonha e estupidez é o que me ocorre para classificar o aparato policial em redor deste encontro. Esta é no fundo a imagem da desorientação de um governo incompetente, liderado por proxenetas e vigaristas da pior espécie, que se governam à custa de um povo demasiado pacífico.

Um abraço

Carla Correia disse...

Adorei! Ganhar um bilhete mesmo no dia anterior e ver este jogo no Drgão foi lindo! fomos magníficos! Hoje estou sem voz, mas tudo valeu a pena.

dragao vila pouca disse...

Uma noite inesquecível, mas que ninguém se atreva a dizer irrepetível.

Um Porto Vintage, de qualidade superior, proporcionou uma noite mágica, da mais bela Ópera. Um maestro precocemente genial, dirigiu vários tenores extraordinários e juntos formaram um conjunto brilhante, que nos deixou a rebentar de orgulho Dragão.

Felizmente, sou um dos que pode dizer: estive lá!

Cumprimentos

Carla Correia disse...

Foi mesmo uma noite fantásrica! guarin esteve muitissimo bem, acima de todas as minhas expectativas (finalmente encontrámos uma solução para a ausência de Fernando!!!), Bellushi fantástico com 3 assistências(só faltou mesmo o golo), Hulk arrebatador, o melhor de todos, Falcao cheio de classe (aquele golo de calcanhar foi fantástico!), Moutinho muito bem também, e Sapunaru surpreendeu-me imenso. Muito bem a defender, grandes cortes, grande segurança, banalizou os avançados benfiquistas, e o centro da defesa fantástico. Helton continua segurissimo, pouco teve que fazer mas quando foi chamado a responder foi soberano, o Álvaro Pereira não sabe jogar mal, Varela sempre forte...e falta alguém??? A equipa esteve toda fantástica!! Grandes heróis...

P. Ungaro disse...

Inesquecivel ... é a unica palavra que posso utilizar para exprimir o que me vai na alma.
Depois dos 5 que fomos lá espetar no tempo do Oliveira estes 5 vão ficar nos anais da historia.

Um abraço

http://fcportonoticias-dodragao.blogspot.com/