domingo, 9 de janeiro de 2011

Garra, Paciência e momentos brilhantes

Foi com muita garra, paciência e muitos momentos brilhantes que o FC Porto levou de vencido o Marítimo, na última jornada da primeira volta.

Num jogo que começou a ganhar contornos do jogo de há 1 semana atrás, tal como se previa que o Marítimo não tivesse a atitude arrojada que teve frente ao amigo Benfica, o FC Porto começou a perceber que não era com circulação de bola e a jogar pelos flancos que iria destronar o adversário.
Com uma defesa de betão e algumas marcações ao homem, o Marítimo conseguiu quase sempre evitar o perigo, com excepção do lance de João Moutinho que teve perto do golo, numa das boas jogadas que o FC Porto fez. E esta falta de oportunidades não significava que o FC Porto não estivesse a dominar o jogo e a jogar bem, contudo por momentos parecia um jogo de andebol com os jogadores do FC Porto a circular a bola junto à área do adversário.

Sem um ponta de lança de referência e com Hulk nessa posição, este foi o jogo onde claramente o meio campo se evidenciou. Com João Moutinho e Guarin em grande nível e Belluschi a espaços com pormenores deliciosos, conseguiram não só assegurar a estabilidade defensiva mas também levar e criar espaços no ataque, onde Varela e James, na primeira parte tiveram mais alguma dificuldades em libertarem-se das marcações.

Felizmente os jogadores perceberam que tinham que tentar de fora da área e Guarin teve o momento da noite, e provavelmente o momento do campeonato, com um golo fantástico que até o próprio ficou surpreendido pela potencia do remate. Para golo de abertura do marcador e já perto do intervalo, não podia ter sido melhor.

Na segunda parte e com o Marítimo a acordar na tentativa de procurar o empate, permitiu que o FC Porto materializasse a superioridade e com mais espaço para jogar foi com naturalidade que em duas boas jogadas , concluídas com genialidade dos intervenientes marcasse mais 2 golos.

Pelo meio, o Marítimo marcou de bola parada, curiosamente num lance que foi talvez o erro mais grave do árbitro, que marcou uma falta ao contrário e ainda penalizou Sapunaru com cartão amarelo, quando ao contrário significaria a expulsão do adversário.

Os jogadores do FC Porto estavam motivadíssimos e nem a ganhar por 3-1 abrandaram o ritmo e em mais uma boa jogada, Hulk não foi egoísta e ofereceu a James, que fez mais uma boa exibição, o último golo da partida, efusivamente festejado pelo presidente Pinto da Costa.



O FC Porto deu assim uma boa resposta, não foi das melhores exibições da época, mas foi sobretudo uma equipa mais paciente e que num cenário semelhante ao que originou a primeira derrota, soube ultrapassar as dificuldades. Villas Boas arriscou, em colocar Hulk numa zona mais central, apesar de não ser a posição natural e onde Hulk rende mais, acabou por permitir a outros jogadores aparecerem no jogo.

A destacar pela positiva Otamendi, o melhor no sector defensivo, claramente ganhou o lugar na defesa, João Moutinho, pela capacidade e maturidade a jogar à bola, James e Hulk, pelos desequilíbrios que criaram e claro, o melhor de todos, Guarin, sendo o médio com o papel mais defensivo marcou 2 grandes golos e manteve a capacidade técnica aliada à força, que tem vindo a demonstrar nos últimos jogos.

Aposta ganha de Villas Boas, que neste jogo percebeu e bem que não devia cometer o mesmo erro que cometeu em Alvalade ao colocar Fernando em detrimento de Guarin, num cenário semelhante ao de hoje.

Destacar igualmente os regressos à competição de Fernando e Varela, que claramente notou-se que faltava ritmo e claro Mariano Gonzalez, o mais ovacionado da noite e que mostra estar a 100% e com muita vontade de ajudar a equipa.

Este mês de Janeiro terá 8 jogos oficiais, já contando com a antecipação da 20ª jornada. Vai ser um mês claramente decisivo, onde está em disputa 3 competições diferentes. Com o regresso de alguns lesionados é esperado uma boa resposta da equipa de Villas Boas que assim encarará o mês de Fevereiro com outra tranquilidade.

Quem esteve muito nervoso foi Carlos Xistra, alguns pequenos erros, mas sobretudo a má avaliação do lance do golo do Marítimo, poderia ter tido mais influência no resultado, mas o FC Porto resolveu bem a questão.
Villas Boas voltou a descartar, indirectamente, a possibilidade de reforçar a equipa. E faz algum sentido pensar assim, quando o que é preciso mesmo é emagrecer a equipa, tornando-a mais competitiva, quer em treinos, quer em jogos. Talvez no sector atacante possa fazer algum sentido, contudo se Villas Boas optar por aplicar o sistema alternativo 4X4X2, então não faz mesmo sentido reforçar a equipa.

Declarações de Villas-Boas:



Termina assim a 1ª volta da Liga, em 45 pontos possíveis o FC Porto conquistou 41 e consegue assim a melhor primeira volta de sempre. Melhor ataque, melhor defesa, melhor marcador, consistente a nível nacional e internacional.

Pinto da Costa "Estávamos todos cheios de medo..."



Quarta-feira temos novo jogo no Dragão, desta vez para a Taça de Portugal.

Força Porto.

Ricardo Jorge

3 comentários:

dragao vila pouca disse...

Regresso à normalidade com uma exibição boa, momentos muitos bons e uma vitória indiscutível que até podia ser mais dilatada, frente a uma equipa competente que, no último terço do campo, dá dez a zero ao Nacional.

Grande Guarín, grande Moutinho, Incrível Hulk. Bom regresso do Varela e a defesa, guarda-redes incluído, a dar a abébia do costume. Aprende-se nos infantis que quem está de frente para a bola tem de a atacar no ar, com contundência e sem facilitar. Não pode voltar a acontecer. Estamos com o jogo controlado, a dominar, esperava-se o terceiro e acontece um golo tão consentido?

Um abraço

Dragus Invictus disse...

Bom dia,

Ontem tivemos a atitude certa, diante de um Marítimo que veio fazer jogo passivo, abdicou de atacar, e tinha como clara estratégia chegar ao intervalo com o marcador a zero, e jogar com o nosso possível nervosismo na segunda parte.

Mas Guarin com um golaço abriu o marcador e deu justiça ao marcador à partida para o intervalo.

Nota para Carlos Xistra, na primeira parte, que fartou-se de apitar, teve má avaliação de lances, de interpretação de leis da vantagem etc.
Deveria ter expulso Ricardo Esteves que num lance sem bola deu com os braços no rosto de Belluschi. No lance do golo do Marítimo, é Sapunaru que é pisado, sai mesmo lesionado e ainda leva amarelo, quando o amarelo seria para Djalma, ou seja segundo da noite para Djalma e que portanto deveria ser expulso.
Felizmente este lance não teve influência no resultado, pois nós fizemos um jogo bravo e vencemos bem, e para penalizar a atitude do Marítimo, devia ter sido por score mais elevado.

Guarin foi o homem do jogo. Neste esquema de jogo de Villas-Boas em que não há um médio defensivo fixo, Guarin pela sua força, capacidade técnica, resistência física e capacidade de remate de longa distância, tem vindo a ganhar o seu espaço na equipa, aproveitando bem a lesão de Fernando.
Vai ser uma boa dor de cabeça para AVB decidir quem ocupará a posição mais recuada do meio campo.

Moutinho foi o pêndulo da equipa, fantástico.
James também está a aproveitar bem as oportunidades, e em jogos que tem mais espaço, demonstra toda a sua capacidade.
Hulk está a fazer uma época fantástica, e ontem esteve bem.
Helton transmite serenidade, Otamendi foi um "bombeiro", Sapunaru e Rafa também estiveram bem.
Destaque também para o regresso de Mariano e para o público.

Concluímos a 1ª. volta com um excelente registo e agora temos 8 jogos fora e 7 em casa até final do campeonato, que vamos lutar para vencer e reconquistar o ceptro de campeões que nos foi roubado na época passada.

Abraço

Paulo

penta1975 disse...

caríssimo,

é com vitórias suadas como a de ontem - principalmente num terreno de jogo muito inclinado pelo Xistrema - que se fazem os Campeões!
e acredito que vamos sê-lo, esta época! ;)

por último e não menos importante, a «pressão» está de novo no lado do sr. Chiclete.

saudações PENTAcampeãs!

Tomo I