quinta-feira, 19 de maio de 2011

Dublin pintado de azul e branco

 
A confiança era muita, a fé enorme, o valor destes jogadores e equipa técnica inquestionável e assim terminou com Dublin pintado de azul e branco.

Foi o 7º título internacional, o 68º título oficial da história do FC Porto e o 4º título europeu nos últimos 8 anos.

O FC Porto destaca-se claramente da concorrência e quando Jorge Nuno Pinto da Costa disse o ano passado que o FC Porto ia voltar a ganhar a nível nacional e internacional assim o fez, mais do que uma promessa, foi uma garantia para os adeptos, daquele que é o único de todos que trabalham e trabalharam neste clube, que festejou todos os 7 títulos europeus.

E dentro de poucos dias o FC Porto poderá terminar esta época, a todos os títulos excepcional, com mais um troféu e colocar-se como o clube Português com mais títulos oficiais da história do futebol Português.



Não há muito a comentar sobre o jogo, muito táctico, muito fechado, equipas cautelosas, sem grandes momentos de espectáculo mas foi mais uma final como tantas outras onde o futebol não foi o melhor. Ainda assim, há que dar mérito aos jogadores e treinadores que interpretaram quase na perfeição o que tinham que fazer em campo.
Foi melhor o FC Porto porque destacou-se num lance de génio protagonizado por Guarin e Falcão. De resto o equilíbrio foi constante com o FC Porto mais ofensivo na primeira parte e o SC Braga na segunda.

Villas Boas apostou no onze que mais tem jogado e não tendo conseguido o desequilíbrio atacante conseguiu o equilíbrio defensivo e do meio campo que permitiu controlar o jogo e aguardar por um momento de genialidade que aconteceu apenas 1 vez e aos 44 minutos.

Na segunda parte, foi claramente perceptível que o FC Porto tinha como estratégia esperar para ver o SC Braga a abrir espaços e aproveitar um momento para facturar novamente, contudo o SC Braga apenas arriscou para o final do encontro e nessa altura os jogadores do FC Porto já estavam mais preocupados em segurar o resultado do que propriamente arriscar o 2º golo.


Os destaques dividem-se entre 2 jogadores, Helton porque segurou aquele que podia ser o golo do empate e Falcão que marcou mais uma vez de cabeça e num voou brilhante.





Contudo é mais que evidente que este sucesso é fruto de um colectivo, como Villas Boas gosta de dizer, muito forte, que ao longo de uma época, mesmo com intervenientes diferentes no onze, conseguiu ser consistente em todas as provas com excepção da Taça da Liga.


Foi bonito ver a festa dos adeptos Portugueses, que a certo momento gritavam alinhados pelos seus clubes como se de uma única claque estivesse presente. Momento histórico para o futebol Português, que viveu hoje algo inédito e sem que nenhuma das equipas fosse da capital, se bem que me arrisco a dizer que muitos benfiquistas não devem ter conseguido vender os bilhetes que já tinham comprado. A eles, dizer que guardem os bilhetes para um dia recordar, quem sabe, a única final europeia entre duas equipas do nosso País.



Declarações de Villas-Boas (clica para visualizar)



Declarações dos nossos heróis:



Ultima nota para o futuro treinador do Sporting, Domingos Paciência, ainda se queixou da arbitragem, mas teve um lapso de memória no lance da primeira parte protagonizado por Silvio. Foi notória uma descolagem de Domingos ao FC Porto desde a antevisão da final, mas esta situação não enaltece Domingos que foi o jogador que foi ao serviço do FC Porto e de mais nenhum clube.
Tempo agora de descansar e viver este momento, foi extremamente comovente ver estes jogadores, muitos deles jovens a comportarem-se como autênticas crianças com uma enorme alegria estampada. Este grupo é fantástico e todos os adeptos anseiam que se cumpra o que o nosso Presidente tem vindo a dizer… formar uma grande equipa e dar a este treinador condições para ele se sentir bem no FC Porto.

“Se jogasses no Céu, morria para te ver”
Ricardo Jorge

8 comentários:

CINDINHA disse...

CAMPEÕES!CAMPEÕES!CAMPEÕES!!!!!

penta1975 disse...

somos mesmo grandes, enormes! ;)

estou super feliz! e o melhor é que esta época ainda não terminou!! ;)

«este é o nosso destino»: «a vencer desde 1893»!

saudações desportivas mas sempre pentacampeãs! ;)

Miguel | Tomo I

100% Dragão disse...

Este era o nosso destino...

Obrigado a todos os jogadores.

Obrigado ao Nosso treinador, mais jovem de sempre a ganhar uma prova europeia.

Obrigado ao Nosso Presidente, que tinha avisado que ia voltar a ganhar lá fora...

Obrigado Porto!!!

Abraço

http://100porcentodragao.blogs.sapo.pt/

dragao vila pouca disse...

Umas, poucas, palavras sobre o jogo:
Concordo que foi fraco e a exibição do F.C.Porto deixou a desejar. Fomos lentos, complicativos, fugimos ao nosso futebol natural, trocamos o conjunto pelo individualismo e quando é assim, não somos tão fortes. A jogada de James, já em tempo de descontos, quando em superioridade numérica, tinha Hulk e Falcao, sozinhos para passar e quis fazer tudo, foi paradigmática do que foi hoje o jogo do CAMPEÃO NACIONAL 2010/2011. Mas as finais são para ganhar e se nos lembrarmos do que aconteceu em 1984, em Basileia, frente à Juventus, onde fomos muito melhores e perdemos, passemos por cima da qualidade da nossa exibição e festejemos, festejemos muito, que, meus amigos, ninguém mais do que nós merece festejar.

Um abraço

Dragus Invictus disse...

Bom dia,

Ontem vivi mais uma enorme alegria. Está é a 7º. título internacional (5º. europeu) conquistado pelo nosso Porto.

Foi uma grande festa em Dublin, e uma grande festa por todo o País.

O FC Porto venceu com inteira justiça. Tivemos 2 oportunidades claras de golo na primeira parte (remate rasante de Hulk e cabeçada de Varela) e o lance do golo da vitória.

Na segunda parte o Braga dispôs da única oportunidade de golo, bem defendida por Helton, e nós ainda dispusemos de uma excelente oportunidade por Belluschi.

O jogo do Braga enerva-me. São daquelas equipas à italiana. Meteram-se lá trás, com o GR Artur a passar tempo em cada reposição de bola, e sempre à espera de uma desatenção nossa, ou de uma transição rápida para marcar.

Não me levem a mal, mas deste futebol de Domingos não gosto.

Quanto às alegadas queixas do Braga ... são ridículas. E eu nem falo das cotovelas em Falcao, Hulk e Otamendi...

Só mesmo para fazer jeito ao Braga, o árbitro daria amarelo a Sapunaru num lance normal de disputa de bola.
O futebol é um jogo de contacto físico e Sapunaru dá 2 de Sílvio. O único grave erro do árbitro na minha opinião foi a não expulsão de Sílvio aquando da entrada perigosa a pés juntos sobre Hulk na primeira parte ... mas aceito o critério do árbitro, que não quis entrar pelo caminho das expulsões e percebeu que tinha o jogo na "mão".

Agora vamos festejar. Hoje a equipa tem passagem marcada para os Aliados e para o Dragão, onde irá comemorar esta fantástica conquista com os adeptos.

Domingo temos outra final ... e as finais são para vencer.

Abraço e boa semana

Paulo

http://pronunciadodragao.blogspot.com

Dragaopentacampeao disse...

Sim, é verdade, temos todos os motivos para estarmos felizes e orgulhosos. Para festejarmos mais uma vitória importante na vida do nosso Clube.

Estou muito grato a quantos contribuíram para este meu estado de espírito, desde o inigualável e humilde Presidente até ao humilde roupeiro. Obrigado a todos!

Quanto ao jogo confesso que esperava e desejava um espectáculo mais arrebatador, bem ao alcance das duas equipas. Quem não se lembra do magnífico espectáculo que ambos proporcionaram no jogo do Dragão, para o Campeonato. Isso sim, seria uma vitória muito mais brilhante e uma grande propaganda ao futebol português.

Sem muitos argumentos, o Braga optou por actuar num bloco defensivo compacto, agressivo, às vezes em excesso, roubando espaços e procurando explorar os erros do Porto, contribuindo decisivamente para a pobreza do espectáculo. O FC Porto acomodou-se, convencido que o seu momento apareceria, deixando rolar o tempo, também à espera de uma eventual falha para aproveitar.

Este resumo sintetiza a forma como ambas as equipas encararam a final, mais preocupados em a não perder do que realmente ganhá-la.

Ganhou o Porto, porque, apesar de tudo foi a que mais oportunidades criou (Hulk e Bellushi estiveram perto de marcar) e aproveitou com competência uma falha de Rodríguez para fazer o seu golo. O Braga teve dois lances perigosos (Custódio e Mossoró, este numa falha incrível de Fernando, que Helton salvou).

Agora é hora de festejar e preparar a próxima final que queremos vencer para acabar a época como começamos: A VENCER!

Carla Correia disse...

Bom dia,´
Também não gosto nada da forma de jogar deste Braga, mas para quem viu os restantes jogos, sabemos que foi dessa forma que conseguiram eliminar alguns colossos europeus. Já estava à espera que a estratégia fosse a mesma.
Mas foi uma grande vitória nossa, mais do que merecida...

Agora venha a festa de hoje e Domingo a taça de Portugal. A nossa época ainda não acabou..

Armando Pinto disse...

Grande alegria. Durante o jogo, como quem anda a par sabe, tive de ir tentando dar uma olhadela no resultado, muito de fugida e... curiosamente cliquei na transmissão na ocasião do golo... Depois foi tentar aguentar até ao fim, na mesma, e cá dentro estourar como foguetes que se ouviram em vários lados.
Passadas já estas horas, voltando-se já as atenções para a final da Taça de domingo, entretanto o que dá mais gozo é ver a azia de benfiquistas e, pasme-se, de sportinguistas, que até se desculpam com as esfarrapadas queixinhas do Domingos - esquecendo-se eles de pelo menos um, mas até dois, dos bracarenses que mereciam não ter acabado o jogo...
O Porto é o Maior!
Um reparo tem de ser feito, a quem anda a tentar arranjar motivos para diminuir a grande vitória do Norte: alguma comunicação social está a criticar por entre os futebolistas presentes, os estrangeiros terem usado as bandeiras dos seus países, enquanto os portugueses não… Ora, no caso dos do F. C. Porto, apetece dizer que o país tem tratado tão mal o clube e os seus representantes que não se pode pedir que se esqueça isso, sendo que os símbolos nacionais são mais para coisas do regime. Pode ser forte, isto dito assim, mas é a realidade. E quem não concordar que faça alguma coisa para alterar o panorama, visto haver diferenciação, facciosismo e separatismo entre Lisboa e arredores relativamente ao resto do País, a começar nos políticos e nos dirigentes desportivos.

http://longara.blogspot.com/2011/05/porto-d-honra-europeu.html