terça-feira, 20 de novembro de 2012

Cresci a ouvir os relatos do nosso Porto pela voz do Gomes Amaro!

Gomes Amaro foi um dos relatadores mais famosos das décadas de 70 e 80, natural de Celorico da Beira, aos 3 anos foi para o Brasil, que onde herdou aquele sotaque com que encantou a geração dessas décadas, que ao Domingo à tarde passavam a ouvir os seus relatos. Sempre acompanhou o F.C.Porto e a selecção portuguesa, relatou durante muitos anos em várias estações de Rádio como a Rádio Porto, Rádio Press e terminou a carreira na Rádio Festival, sempre para o Quadrante Norte, empresa responsável pelo programa.
A sua voz era a voz dos deuses: quando o Porto clube deu o seu grito de Ipiranga, este homem de sotaque brasileiro era a voz da independência face aos radialistas lisboetas. "E que gooolllll

Era eu menino, e ainda era o futebol aos domingos à tarde, sem transmissões televisivas, quando eu ouvia o Quadrante Norte num pequeno rádio sharp juntamente com meu pai.
Mesmo quando o Porto por vezes não estava a jogar tão bem, ouvir um relato do Gomes Amaro, e a sua peculiar maneira de relatar, parecia que cheirava sempre a golo do nosso Porto. 
Quem não se recorda de expressões como:
"Cáááátáááá Firme… Mlynarczik!"
"Lá vai Paulo Futre… camisa 10... pega na direita, bota na canhota... passa por um... dois... três... requetou... fuzilou... e é GOOOLL! E quiiii Goool!"
"Lá está ela… no Fundinho do Barbante!"
"Está lá dentro Tibi… e agora... não adianta chorar!"

 E as melodias que acompanhavam os golos?

 

 “Que bonito é,
As bandeiras tremulando,
A torcida delirando,
Vendo a rede balançar”
 “É gol!
Que felicidade!
É gol!
O meu time é alegria da cidade!”
O relato do jogo na voz inconfundível de Gomes Amaro:





Entrevista a Gomes Amaro e Tibi ao jornal i, por Rui Miguel Tovar, em 9 de Abril de 2010 .

Vai buscar, Tibi. A expressão portuguesa mais popular Gomes Amaro foi um radialista que trouxe jingles do Brasil. 
O "vai buscar" era um deles. E pegou. Mas só com Tibi. O i falou com os dois, que são amigos ... 

Há expressões que nos ficam no ouvido, como "este gajo é um cromo". E os cromos são como os chapéus de Vasco Santana no filme "Canção de Lisboa": há muitos. A começar pelos da Panini, que ocuparam o tempo de todos nós há anos e anos, com bolsos cheios de repetidos, presos por um elástico já gasto e sem a força de outrora, carteirinhas mal rasgadas no meio da rua e dinheiro bem investido em todas as papelarias das redondezas. 

Voltando às expressões - porque isto foi só um pretexto para dizer que a colecção do Mundial-2010 está aí à porta e tem Ronaldinho Gaúcho nos 23 do Brasil -, há uma que já atravessa gerações e gerações: "Vai buscar, Tibi." E o i reuniu o autor da frase (Gomes Amaro) e o guarda-redes Tibi, que numa determinada colecção (a de 80-81) foi o meu último cromo. Os dois são amigos e convivem com esta expressão desde os anos 70, quando Gomes Amaro veio do Brasil (São Paulo) para Portugal (Porto), a convite da Emissora Nacional, com o intuito de relatar os jogos do campeonato nacional para a comunidade portuguesa na cidade paulista. 

O resto fica a cargo dos intervenientes, que muito se divertem a contar a história, dos tempos em que a rádio era o único veículo informativo do desporto nacional (ao vivo, claro está). Tem a palavra Gomes Amaro, nascido numa aldeia beirã no concelho de Celorico da Beira. "Fui para o Brasil aos três anos e formei-me em Electrónica de Comunicações. Comecei a fazer rádio. Dava apoio logístico a uma rádio de São Paulo, onde vivia, que retransmitia os jogos do campeonato português, até que um produtor me aliciou com a proposta de transmitir os jogos em directo, desde Portugal, para a imensa colónia de portugueses em São Paulo. Como dizia aquele anúncio da Toyota, vim para ficar." 

Do Brasil Gomes Amaro trouxe alguns jingles. "Que ainda hoje estão na cabeça de muita gente, e o 'vai buscar' é um deles." Como o "não adianta chorar" quando era um golo, a bola de couro quando se referia ao esférico, o guarda--balas que era o guarda-redes ou o barbante que era a baliza. "Como fazia todos os jogos do FC Porto, em casa e fora, no campeonato, na Taça e até nas competições europeias, o Tibi estava sempre na ponta da língua. Ora pelas defesas espectaculares que fazia, e recordo-me de uma exibição fabulosa que fez em Nápoles [segunda eliminatória da Taça UEFA 1974-75], ou pelos golos que sofria, e eu juntava sempre Tibi ao jingle do 'vai buscar'. Assim ficava 'vai buscar, Tibi', embora dissesse 'vai buscar' a todos os guarda-redes que sofriam golos, mas o pobre do Tibi é que ficou marcado com essa história." 

Do lado de Tibi, o desabafo do radialista Gomes Amaro nunca o incomodou. E tem argumentos inatacáveis, entre gargalhadas que se confundem com o som das chávenas a bater umas nas outras no seu café, em Matosinhos. "Primeiro, esse 'vai buscar, Tibi' é injusto, porque essa expressão nasceu na época 1972-73, quando fui o guarda-redes menos batido de Portugal, com 17 golos. Depois porque sou muito amigo dele [Gomes Amaro]. Às vezes vou ao programa dele no Porto Canal", desabafa aquele que foi guarda-redes do FC Porto por seis épocas (1972-77 e 1980-81), com 117 golos sofridos em 129 jogos. Lá, Tibi ganhou uma Taça de Portugal e foi internacional português em duas ocasiões. 

Do futebol do seu tempo, Tibi realça que "havia mais amor à camisola", pois "muitas vezes nem sabíamos o valor dos prémios de jogo". Ou seja, antes era um espectáculo, com muito amadorismo no profissionalismo, e agora é um negócio, lucrativo para todos. "No meu tempo do FC Porto ganhava 20 contos por mês, que era um salário razoável, mas só consegui comprar carro e casa ao fim de três anos de contrato." 

Da rádio do seu tempo, Gomes Amaro lembra-se sobretudo do relato emocionado na final da Taça dos Campeões-87, entre FC Porto e Bayern, com o calcanhar de Madjer, mas também de assistir a outro momento histórico, o do capitão João Pinto dizer que "Prognósticos? Só no fim do jogo." Vai buscar.


Até arrepiava ….. um momento de glória relatado pelo grande Gomes Amaro!

2 comentários:

ℙΣ₦₮∀ ➀➈➆➄℠ disse...

«quadrante Norte: o som global» :D
(memorável e sempre grata recordação)

Dragus Invictus disse...

E as publicidades míticas

"Conservas Ramirez... a carne do Mar!"

"A saúde está primeiro, beba Água do Vimeiro"

:P

E a fabulosa música

http://www.youtube.com/watch?v=NgYoB5P0fPo

Abraço

Paulo