domingo, 11 de abril de 2010

É por isto que estamos em 3º!

Irregular! Assim tem sido o FC Porto ao longo desta época. A duas grandes exibições para o campeonato, segue-se aquilo que se viu ontem. Um Porto partido, com muitas falhas defensivas, com uma qualidade de passe péssima, com uma consistência atacante que parece tremida. Ontem ganhámos, mas podíamos ter perdido. Podemos mesmo dizer que devemos a vitória a três factores: factor sorte, porque a tivemos, ao não sofrer logo de início um golo com aquele remate de Sidnei ao poste; factor Helton, que ontem esteve muito bem, sempre muito seguro, e com algumas grandes defesas; e factor Farías, um extraordinário ponta de lança, como estou sempre a dizer, e que o Porto teima em querer despachar.
Olhando para o jogo que fizemos há duas coisas importantes a destacar:erros defensivos e falta de qualidade de passe. O Álvaro Pereira entregou por mais do que uma vez a bola a jogadores do Rio Ave em zonas proibidas. Não fosse o jogador a agarrar a bola ser um Sidnei, podíamos ter sofrido um golo. Não é aqui uma questão de menosprezar o jogador. Longe disso. Mas tentar mostrar que temos este ano perdido muitos jogos à conta deste tipo de erros. Basta lembrar o jogo com o Arsenal, em que os dois primeiros golos dos ingleses foram duas entregas de bola por parte do Fucile! O que poderia ter sido o jogo sem estes erros? Nunca saberemos... Ontem estávamos a jogar com o Rio Ave, cujo valor não se coloca em causa, mas claro, que não tem os mesmos recursos que um Arsenal.
No que à falta de qualidade de passe diz respeito, isto é algo que infelizmente se aplica a toda a equipa, salvo raras excepções. E uma delas tem sido Falcao. É extraordinário como este jogador recebe, segura e passa a bola quase sempre de forma exemplar. Mas nem todos o fazem da mesma forma, e o problema do FC Porto este ano tem sido esse. Maus passes, erros defensivos, e ainda pouca pressão ofensiva, ou, pelo menos, uma pressão ofensiva de má qualidade. Pelo meio, vamos fazendo algumas excelentes exibições, onde nenhum destes problemas é colocado. O que faz pensar que o problema da equipa talvez seja um problema de atitude, de reacção. É uma situação complexa, e que deve ser analisada com atenção.
Voltando ao jogo, depois de uma primeira parte de fraca qualidade, eis que aos 60 minutos entra aquele que é chamado de "talismã":Ernesto Farias. Entrou, marcou e resolveu o jogo. Não se percebe como o FC Porto quer despachar um jogador destes, que cumpre sempre que é chamado. Enfim... Depois da entrada do argentino, o Porto melhorou. Tomás Costa até então cometeu alguns erros, Ruben Micael, depois de ter começado muito bem quando chegou ao Porto, parece estar muito cansado nestes jogos e não tem tido um rendimento como seria de esperar(agora vai descansar um jogo do campeonato por acumulação de amarelos),e o Meireles deste ano tem estado muito abaixo daquilo que tem rendido nas últimas épocas. Ou seja, o nosso meio-campo, grande arma do FcPorto nos últimos anos, este ano está uma lástima, e poderá ser a partir daí que os problemas terão que começar a ser analisados.
No final, algumas boas jogadas de Hulk animaram o jogo, embora o brasileiro parecesse estar ainda "tocado" por aquela lesão no aquecimento. Mas não há dúvidas que o Hulk que voltou do castigo é um jogador com outra atitude: é um jogador muito mais de equipa, sem nunca esquecer, claro, que tem bons pés e pode de vez em quando fazer jogadas fantásticas!
Enfim! O jogo de ontem foi o espelho desta época: um jogo irregular. E é por isto que estamos em terceiro. Não vamos inventar desculpas com castigos. O Porto não está bem. E muita coisa terá que ser mudada para a próxima época. A ver vamos é se são as correctas!

Saudações portistas,

DF


Fantástico o apoio dos Super Dragões, sempre a cantar pelo nosso Porto o jogo todo!


















Resumo do Jogo



Sala de Imprensa





Resultados da Sondagem * Qual o jogador que mais se destacou frente ao Rio Ave?

Helton
  9 (69%)
Hulk
  0 (0%)
Farias
  3 (23%)
Meireles
  1 (7%)

Votos apurados: 13

Homem do jogo:
Helton

9 comentários:

dragao vila pouca disse...

De facto, é preciso gostar muito do F.C.Porto e ter uma grande pachorra, para aguentar até ao fim, um jogo que, principalmente na primeira-parte, foi intragável, com um Real-Barça ali ao lado. Melhor a segunda metade portista, mas longe de uma exibição de qualidade, numa vitória que foi justa, indiscutível e pela diferença correcta - o Rio Ave pelo que jogou, não merecia perder por mais...

Cumprimentos

Dragus Invictus disse...

Antes demais parabéns pela excelente análise ao jogo da DF.

Foi uma primeira parte para esquecer em que nos valeu Helton.

Na segunda parte, tivemos mais "vontade" de vencer e lá entrou o salvador Farias a tempo de nos dar a vitória. Muito pouco Porto.

Péssima arbitragem, 2 penaltis por assinalar, um sobre Falcao e outro sobre Farias, uma entrada para vermelho e não amarelo de Vilas Boas sobre Hulk (inteligente a proteger-se, saltando sempre).

Muitos jogadores abaixo das expectativas, tais como Ruben, Miguel Lopes (não sabe mais), Falcao, Belluchi (inadaptado), Alvaro (cansado, esta na hora de rodar com Addy).

Valeram nos Hulk (a espaços), Meireles, Farias (pelo golo que marcou e pelo golo desperdiçado que deu a Hulk de bandeja) e o melhor em campo Helton.

Bom domingo para todos

Anónimo disse...

Sem me alongar muito na analise ao jogo tenho de concordar com a falta de qualidade deste meio-campo, completamente desligado sem fio de jogo.Vale o hulk e o Falcão que de vez em quando anima a malta que esta a ver o jogo.
O Ruben Micael está estourado não percebo porque joga os 90 minutos e temos um belluschi com uma qualidade de passe e remate excelente no banco enfim este JF sempre nos habituou a escolhas estranhas.

Abraços

Armando Pinto disse...

Concordo parcialmente com a análise, mas não concordo em dizer-se que é por isto que estamos no 3º lugar. Se aos outros acontecesse os que nos fizeram a nós, prejudicando-nos sitematicamente, e aos outros os não beneficiassem... outro galo canyaria. Essa é que é essa...!
Quanto ao resto, naturalmente que ninguém tem gostado das exibições da nossa equipa,mas daí...

Rui disse...

Saudações portitas,

Na mouche...nada a acrescentar ao post que resume a época em geral.

Abraços

Dragaopentacampeao disse...

Jogo fraco por culpa dos disparates e do acumular de passes errados, defeitos repetidos no decorrer de toda a época e razão principal da situação actual: Fora da corrida pelo título e quase fora da corrida pelo 2º lugar.

A jogar desta forma e com os erros sistemáticos das arbitragens estamos condenados ao terceiro lugar.

Para mim, a única exibição positiva pertenceu a Helton que evitou a derrota. Pela importância do golo Farías merece também destaque.

Um abraço

Rage disse...

Não pude ver o jogo na integra mas do que vi só posso concordar com a analise feita ao jogo.
Há jogadores que no fim da época tem de pensar seriamente se querem estar ao nível do clube que representam ou então bem podem seguir para outras paragens.
Sempre achei que o Jesualdo devia ser acompanhado no banco por alguém da "casa" como o Rui Barros ou João Pinto e não por um treinador de segunda que pouco ou nada mostrou pelos clubes onde passou...
Acho que o Rúben Micael deve estar a jogar com alguma lesão "escondida" pois não é o mesmo do Nacional da Madeira e no final desta época veremos se não falhará o Mundial para se tratar devidamente.

Cumprimentos

pois disse...

Primeiro quero dizer-lhe que é um regalo ler comentários de uma Dragão – Fêmea, Tanto é que vou escrevendo e relendo.
Posto isto não podia deixar de acrescentar alguns pontos à sua declaração com a qual vou concordando.
1.º A n/ vitória contra o Marítimo apesar de indiscutível (a bicicleta de Falcão foi outro regalo) mais não foi do que a continua afirmação do que a DF disse – irregularidade, falhas defensivas, etc.;
2.º O factor sorte. Já comentei no v/ blog que “alguma vez havíamos de ter sorte”, e tivemos. Mas relembro-lhe, por ex. a jornada 22, em que o PORTO recebe o Olhanense e o slb o Paços de Ferreira. A equipe de J. Costa nas duas vezes que vai à nossa baliza faz dois golos e deixa-nos a perder por 0-2. Já o Paços cria a primeira oportunidade de golo na luz, daquelas que “eu até com a minha avozinha ao colo” marcava e o que faz, atira ao lado. A tal sorte. Que podemos verificar pelo golo do Braga na 5.ª jornada – 1-0, e outras mais, e nem falo na extrema infelicidade de Nuno (um DRAGÃO) na final da Carlsberg. Sei que a sorte dá muito trabalho, mas “muito trabalha um burro e não passa de burro”;
3.º O factor Helton. O Helton que é n/ guarda redes porque o contratamos é, para mim o melhor guarda redes a actuar em Portugal (não sei como Queirós ainda não o convidou a actuar na selecção – estou a brincar Queirós…nunca se sabe) e mais uma vez numa áopca marcada por justiceiros sobressai um injustiçado. Recordo com saudade o GRANDE BAÍA. E como tento não ser injusto recordo também as grandes defesas que teve sempre à sua frente. Como seria Helton se o mesmo se repetisse, e repare que não digo que a n/ defesa não é grande, mas também é sem dúvida irregular. Fucile / M. Lopes – “ora agora viras tu”, “ora agora viro eu”, e penso que infelizmente não “viras tu mais eu”. Os centrais – B. Alves um dos melhores centrais de sempre do PORTO está desnorteado e irregular, Rolando está a crescer, N. A. Coelho a médio defensivo (e o burro era o outro). A. Pereira. Vou abrir um parêntesis a A. Pereira para dizer que ainda não me convenceu. Acho que um defesa deve primeiro defender e se puder ajudar no ataque e A. Pereira normalmente defende mal. Mas acho que tem sido o mais regular de todos. Concluindo, apesar da tremideira da defesa (onde se inclui a tremideira de Helton) Helton volta e meia saca daquelas defesas à la BAÍA e vai mantendo a chama;
4.º O “factor Arsenal” vou chamá-lo assim. No jogo do Arsenal e apesar de Arshavin (1,73 m) ter ganho uma bola de cabeça ao n/ Rolando (1,89 m) e logo aí merecer um golo – também o n/ Falcão (1,77 m) as ganha – isso não invalida que venha de posição de fora de jogo (agora uns 4/5 m) o que inviabilizaria a jogado, o golo, e a reviravolta das tácticas e das técnicas. Recordo-lhe que o mesmo se passou por ex. na 14ª jornada quando jogamos na luz e passamos a ficar a 4 pontos (como muito bem J.F. declarou); E o mesmo “factor Arsenal” se fez notar na 19ª jornada Leixões 0 – PORTO 0, no jogo de Sábado e em tantos outros foras de jogo, faltas cartões e golos bem e mal anulados;
5.º Os constantes cozinhados constantemente condimentados quer pela C. Arbitragem quer pelo mui digníssimo C. Disciplina da Liga (incrivelmente uma ideia nossa, criada à custa de sacrifícios dos nossos e com prejuízos nossos – ainda relembro a irmã de G. Aguiar, quando lhe perguntaram se o sonho do irmão seria ser Presidente do nosso PORTO responder “o sonho dele é formar a LIGA”. Pega lá Guilherme) mais uma vez reforçados pela escolha do “João pode ser” para o slb-scp. Fazem o que os outros têm que desfazer, empatam, condicionam – relembre que Hulk não nos foi retirado após os acontecimentos na gruta da luz, logo no P. Ferreira – Porto da 1ª jornada o Sr. Xistra avisou o que por aí viria – e depois com ar de virgem assistem ao que muito bem LABAREDAS publicou e que RAGE republicou.
Acho que é por tudo que estamos em 3.º lugar mas é muito por isto que não só nos empurraram, estamos mas também não conseguimos sair do 3.º lugar.
Saudações tetra pós penta campeãs

Azulibranco disse...

Um post de grande qualidade técnica e, sobretudo, literária. Parabéns.