segunda-feira, 10 de maio de 2010

Futebol, Fátima e Fado ou Benfica, Bento XVI e bancarrota

Por Tiago Mesquita in jornal expresso

"O Benfica acabou de se sagrar campeão nacional de futebol. O Papa Bento XVI está de pantufas e ceroulas emaladas e pronto para aterrar em Portugal com Fátima como destino principal. O nosso Fado segundo muitos está traçado: Bancarrota! But ... Who cares?
Metade do país vai estar toda a semana a festejar o título. A outra metade não vai querer ler jornais e muito menos ver noticiários porque não quer assistir à festa do mesmo título, pelo que estará alheada de todo e qualquer acontecimento digno de notícia. Eu próprio acabei de ver um senhor gritar a plenos pulmões na SIC Noticias com uma boca que provavelmente já não via um dentista desde que o Benfica ganhou o último campeonato. Parecia parte das grutas de Mira de Aire. Basta.
Grande parte destas duas metades vai andar a correr atrás do Papamóvel a abanar o lenço branco ou a aproveitar a tolerância com que o governo agraciou os funcionários públicos para ir laurear a pevide até à praia ou ao Centro comercial.
Já a outra vai estar a festejar a Queima das Fitas em diversos pontos do país e mais do que provavelmente alcoolizada. Ou com uma ressaca tal que dificilmente irá perceber porque acordou nua num galinheiro com uma Catatua colombiana pendurada no ombro quanto mais lembrar-se de que a economia do país entrou em colapso.
Ou seja, esta será, pelo menos para este Governo se é que isto se pode dizer, a semana ideal para o país entrar na bancarrota sem grandes dramas ou alaridos. Venha ela"


Anos de 1933 a 1974, Século XX, Portugal, estado fascista.


O Regime Fascista utilizava as vitórias e conquistas dos clubes de Lisboa e, especialmente, do Benfica para enaltecer a sua grandeza e usar o futebol como um meio de “entretenimento” e um escape à fome e a miséria que trouxe o fascismo.
Não é por acaso que o Benfica é conhecido por “encarnados”. O vermelho sempre esteve associado ao comunismo, que, por sua vez, era antagónico ao fascismo. Logo, o Benfica não podia ser referenciado como os “vermelhos”, jamais! Por isso os benfiquistas são “encarnados”.
É bem conhecido o Caso Calabote. O árbitro Inocêncio Calabote na tarde de 22 de Março de 1959, na célebre arbitragem do Benfica - Cuf (7-1) da última jornada do campeonato de 1958/59 (ganho pelo FC Porto), prolongou o jogo por 15 minutos, à espera de um golo que daria o título ao Benfica.
Os jogadores do FC Porto desesperavam sentados no relvado do Torreense, à espera que terminasse o jogo para celebrarem o título. Numa entrevista que deu sobre o caso, o "inocente" Calabote afirmou: «Na manhã seguinte, em Évora, preenchi o relatório do jogo, que mandei para a Comissão. Tinha assinalado três penaltis e expulsado três jogadores da CUF. Creio que não houve mais nada de especial a registar. (...). Além disto o guarda-redes da CUF, numa misteriosa tarde infeliz sofreu 7 golos.
O Porto conquistou o campeonato por ter mais golos marcados. 

O FC Porto, e a cidade do Porto, eram o foco de resistência, o símbolo do contra-poder, o baluarte do Norte.
O FC Porto era o único clube que conseguia, enfrentar os clubes de Lisboa. Por essa razão, afirmava o mítico José Maria Pedroto que um “título do FC Porto valia por dois ou mais do que o de um clube de Lisboa, uma vez que não se competia em igualdade de circunstâncias”.
Com o fim do fascismo, em 25 de Abril de 1974, foi restabelecida a democracia e, mais ainda, com a chegada de Jorge Nuno Pinto da Costa a presidente do Futebol Clube do Porto em 1982, o futebol português também teve a sua revolução de Abril. Passando assim as conquistas futebolísticas também a caber a clubes como o Fc Porto e Boavista.

Há uns tempos a RTPN decidiu realizar um programa do “Trio da Ataque” na estação ferroviária do Maputo em Moçambique. Este programa era para recordar e homenagear algumas glórias do Futebol Moçambicano que fizeram carreira em Portugal, e no Benfica em particular, tais como Eusébio e Mário Coluna.
Eusébio e Coluna foram importantes nos sucessos e êxitos do Benfica na década de 60/70 e da Selecção Nacional, nomeadamente o 3º lugar alcançado por Portugal no Mundial 66.
No referido programa esteve Mário Coluna e o jornalista Hugo Gilberto na entrevista trouxe ao lume a passagem de Coluna pelo Benfica. Mário Coluna era um jogador muito respeitado no seu tempo, era o capitão, e até os seus colegas do Benfica e da selecção não o tratavam por “tu”, mas sim por Senhor Coluna, como já referiu muitas vezes Eusébio.
Foi nesta entrevista que Coluna confirmou e reforçou orgulhosamente que o Benfica, tinha o respeito do regime de Salazar. Para bom entendedor meia palavra basta, era o clube do regime. Se alguma duvida ainda houvesse, Mário Coluna, desfez essa dúvida. Com muito orgulho, Coluna confidenciou que foi convidado pessoalmente por Salazar para cortar a fita de inauguração da Ponte Salazar (agora 25 de Abril) em 1966, uma das obras mais proeminentes do Estado Novo, pois tratava-se à data da 5ª maior ponte suspensa do mundo. Estiveram igualmente presentes na inauguração os três grandes pilares do regime: Américo Tomas, António Salazar e o Cardeal Manuel Cerejeira. Esta entrevista de Coluna é uma confirmação para todos nós, que o Benfica era o Clube do Regime o que lhe permitiu durante décadas consolidar a sua supremacia no Futebol Português.
Entre 1933 e 1974 o Benfica conquistou à custa do apoio do regime, que inclusive até jogadores desviava, tais como Eusébio, desviado do Sporting, jogadores do FC Porto que se evidenciavam eram logo desviados para os mouros, e treinadores como Béla Guttmann que foi campeão em 1959 no Porto, e que foi desviado também, e que deu ao Benfica as duas únicas taças dos campeões europeus que possuem. Bela Guttmann foi recebido por Américo Tomás (Presidente da República) e Oliveira Salazar (presidente do Conselho de Ministros) e feito comendador, tal como os jogadores do Benfica. Quando foi despedido do Benfica, Béla Guttmann disse que "Nem daqui a cem anos uma equipa portuguesa será bicampeã europeia e o Benfica sem mim jamais ganhará uma Taça dos Campeões". Esta é uma maldição que muitos benfiquistas já tentaram quebrar com idas ao bruxo e visitas ao jazigo do famoso treinador. Reza a história que bem perto do cemitério judeu onde Guttmann está sepultado. Na véspera da final com o Milan (1-0, por Rijkaard), Eusébio foi ao túmulo rezar pelo técnico e pedir aos deuses que desfizessem a maldição. Em vão.
Quanto ao Porto a maldição não pegou, pois só os fortes resistem, os fracos desistem. Fomos 2 vezes campeões europeus.
Durante o Estado Novo os mouros obtiveram a maioria absoluta do seu palmarés.

Conquistaram 1 Campeonato de Portugal em 1934/35, e 20 Campeonatos Portugueses em 1935/36, 1936/37, 1937/38, 1941/42, 1942/43, 1944/45, 1949/50, 1954/55, 1956/57, 1959/60, 1960/61, 1962/63, 1963/64, 1964/65, 1966/67, 1967/68, 1968/69, 1970/71, 1971/72 e 1972/73, além das inúmeras taças de Portugal.


Ano 2010, século XXI, Portugal, estado laico e democrático?!?

FUTEBOL
Sócrates dixit:
"Vou torcer, vocês sabem que vou torcer. Vou torcer pelo Benfica, claro. Espero que o Benfica ganhe porque sou do Benfica, claro está", afirmou Sócrates, "Todos sabem a minha preferência. Enfim, acho que ninguém do Porto me levará a mal se disser que este ano espero que seja o ano do Benfica. Acho que seria justo que assim fosse, há tantos anos que não é o ano do Benfica. Mas, enfim, esta é a opinião de um benfiquista".

FÁTIMA
Sócrates dixit:
"Transmiti ao Papa o que parece ser o sentimento nacional de que os portugueses gostariam de ver este Papa muito brevemente em Portugal",
"O anterior Papa visitou-nos várias vezes e com certeza esse espírito de ligação a Fátima e a Portugal haverá também neste Papa".

FADO
O nosso fado (destino) está traçado … défice, bancarrota ... e aperta o cinto... Zé Povo!


Pois é Futebol, Fátima e Fado são novamente utilizados por um governo para entreter o povo, e fazer esquecer a vergonha que é o nosso país, que de laico e democrático pouco ou nada tem.
Estaremos a voltar ao tempo do outro senhor?




Entretido que está o povo com a vinda do Papa e com a vitória do fifica ... o Governo prepara-se para aumentar o IVA em um ou dois pontos percentuais.
A outra possibilidade é criar um imposto especial sobre os salários. Por exemplo, o subsídio de Natal poderá ser taxado de acordo com um imposto autónomo e pontual, apenas para este ano.

9 comentários:

Deus...anteriormente conhecido como... disse...

Mantenho o que disse a amigos lampiões: que a cada 5, eu ganhe 4 e eles 1.
O resto é propaganda de jornaleiros, paineleiros, politiqueiros rascos, adeptos com síndrome de frustração aguda, freteiros e outros parasitas de uma comunicação social vendida e revendida em saldos.
Há quatro anos assisti à mesma euforia com os mesmos directos e as mesmas capas e depois penaram até hoje, engolindo sapos atrás de sapos.
Aguardemos serenos.

Dragus Invictus disse...

Olá amigo "Deus...anteriormente conhecido como..." tens razão, isto é uma euforia momentanea e ridicula que é como o "el niño" só aparece de 5 em 5 anos.

Para o governo a vitória dos mouros e a vinda do papa são bestiais.
Está entretido o povo ... e o Governo prepara-se para aumentar o IVA em um ou dois pontos percentuais.
A outra possibilidade é criar um imposto especial sobre os salários. Por exemplo, o subsídio de Natal poderá ser taxado de acordo com um imposto autónomo e pontual, apenas para este ano.

Dragus Invictus disse...

São sempre os mesmos a pagar a factura da crise!

Bimbosfera disse...

Gostava de saber se se arranja aí o link de um sítio onde se venda este livro, pois fazer capas em Photoshop também sei. FNAC, Bertrand, Google, não aparece a «bendita» obra em lado nenhum, mas a mentira espalha-se, lentamente, numa tentativa de mudar a história.
O clube do Salazar pode ter sido qualquer um, mas não foi o Benfica, de certeza absoluta.
Se me for mostrado um livro que desminta os factos que tenho, e não apenas uma imagem em Photoshop, venho cá admitir o contrário e que têm razão, mas serem mentirosos, deturpar as palavras, como as do grande Capitão Mário Coluna, é de uma baixeza vil e diminuidora de quem lê, mas particularmente de quem escreve...
Uma vergonha. Uma vergonha que poderia ter sido exterminada logo nos anos 30 se não têm alargado o campeonato para vos impedir de descer. Há 70 anos que corrompem e que se valem dessa arma para fazer o que fazem. Venceram muita coisa, da qual até aceito dar o mérito no momento, mas nunca a longo prazo. Não merecem, a vossa história é uma história degradante, e que vos deveria envergonhar a todos, quanto mais escrever artigos ridículos destes. Agora, se é para entrar no domínio da ficção, então aí peço já desculpas por ver tais coisas por aí! Aliás, encorajo a que mais apareçam... Eu tenho um blog de humor e dá sempre jeito ver matéria com tanta qualidade para poder gozar...

Abraço

Márcio Guerra, aliás, Bimbosfera

Bimbosfera.blogspot.com

P.s.- Espero que não haja censura nestes lados. Obrigado.

Dragus Invictus disse...

Boa noite Márcio,

Retirei já do post o referido livro, na altura circulava na net esta dita obra, mas de facto tens razão, foi uma montagem que alguém "fez", e divulgou pela net, e por ser mentira o retiro do post.
http://nonas-nonas.blogspot.com/2009/04/livro-salazar-da-democracia-crista-ao.html

Quanto às ligações do Benfica ao regime de Salazar, a culpa não é do Benfica, ou Benfiquistas, aliás dirigentes do Benfica lutaram contra o regime.
Os regimes políticos de então, em Portugal, tal como em Itália e Espanha, "penduravam-se" nas conquistas desportivas dos clubes para entreter o povo que sofria.
Salazar fê-lo com o Sporting dos 5 violinos e com o Benfica dos anos 60, fê-lo com a Amália e com Fátima.

É esta a situação que procuro retratar no post em tom satírico, comparando com Socrates, Bento XVI etc.

Quanto às afirmações de Mário Coluna são verdadeiras. Que remédio teve ele de ir à inauguração da Ponte de Salazar...senão caía lhe a PIDE em cima. Assim como os jogadores eram obrigados a fazer a saudação...

Podes ler aqui neste site http://planetabenfica.bloguedesporto.com/44415/Mario-Coluna/
"Em 1966, o presidente do conselho de ministros, António de Oliveira Salazar, convidou pessoalmente o "Sr. Coluna" para cortar a fita de inauguração da ponte Salazar, que conhecemos hoje como ponte 25 de Abril."
http://serbenfiquista.com/forum/index.php?topic=39044.80;imode?topic=39044.80;imode

Abraço

Paulo

Bimbosfera disse...

Caro Paulo, por causa de um outro Paulo meu amigo, mas fanático também pelo seu clube, e que sinceramente me entristece, pois é jornalista, e deveria confirmar as fontes, todo lampeiro pôs-se a censurar a minha conversa para uma benfiquista amiga comum, em que falava do hino das «papoilas saltitantes». Esse, não sei se sabe, pois não tem obrigação de o saber, não é o hino oficial do Benfica, se bem que muita gente possa pensar que sim. O oficial, mas não usado, e que curiosamente, graças à internet, youtube, e pessoal com acesso a informações, chegou recentemente (um ano, talvez) ao grande público, por causa da BenficaTV e depois YouTube, e foi censurado pelo antigo regime, pois o seu título é «Avante, avante p'lo Benfica». Como tal, Salazar não podia com isso e o Benfica teve que o retirar. No entanto, e como me parece uma pessoa com quem se pode falar apesar das diferenças de clube, há provas de que o clube associado ao regime não era o nosso, o tal que teve que mudar o nome de «vermelhos» para «encarnados» para evitar mais associação a essa força política, que defendo, por acaso, e que serviu de capa para muitos encontros às escondidas, e ao mesmo tempo às claras, de antigos socialistas e comunistas por forma a deitarem abaixo o regime, de Salazar, pessoas como Soares, Cunhal, Alegre (do que tenho conhecimento) e que o vosso antigo campo e antigos dirigentes é que estavam ligados umbilicalmente ao dito regime. Tive acesso, no seguimento da conversa com o meu amigo que me fez chegar aqui, de elementos, disponíveis na Torre do Tombo, sobre a instauração do regime, a liga 28 de Maio, data da inauguração do vosso antigo estádio das Antas, etc. Ou seja, eu tinha-me defendido dizendo que os jogadores do Porto faziam a saudação que mostra aí acima, mas pensando bem, o que eu sabia é que os do Benfica se haviam recusado algures. Presumi que fosse sempre, pelos vistos foi a uma dada altura, e prova-se com isso que todos o faziam, pois faziam na escola, faziam em todo o lado. Ao fim e ao cabo esta conversa foi boa para por as minhas ideias mais no sítio, mas o certo é que os dados não invalidam que a ligação estivesse no vosso lado e não no nosso, como fez questão de relacionar, e bem, no post, e com as palavras de Coluna. Quanto às palavras, o que eu queria dizer é que sim, Salazar teve que se «acanhar» com a situação, pois o Benfica era naquele momento património nacional, gostasse ele ou não disso. Tal como diz, ocm os 5 Violinos, Amália, etc. E Coluna disse o que era óbvio, não que era associado do Benfica ou que gostava do clube. Aceitou-o, simplemente, como uma pedra no sapato, mas valeu-se dela depois.
Agradeço a atitude de ter retirado a imagem, mas o que me custa, e não é culpa sua, é culpa de quem quer, por mal, continuar com a mentira, e fazer essas coisas de forma tão rasca. Sei trabalhar muito bem com Photoshop, poderia fazer uma resposta semelhante, mas acho que é importante é repor a verdade.
Já agora, a título de curiosidade, não sei se sabe, mas o Sporting teve uma participação nas competições europeias um ano, tendo o Benfica vencido o campeonato, mas tendo ido o Sporting por nomeação do regime. Só prova o quanto nós éramos o clube de Salazar...

Abraço e obrigado pela conversa. Se quiser passar no meu blog a gozar com a situação, sempre que posso, esteja à vontade!

Márcio Guerra

Seismilhoesum disse...

Só tretas. O primeiro clube a obter, da ditadura, o estatuto de utilidade pública foi o FC Porto! Que a cidade do Porto tenha tido um actitude digna perante a ditadura (os verdadeiros tripeiros) é uma coisa! Que o FCPorto tenha BENEFICIADO dela é outra coisa.
Seus ignorantes e ainda por cima dão uma facada (um milhão delas) no vosso verdadeiro fundador, o Monteiro da Costa, só demonstra a vossa estirpe!
Já agora, tenho umas quantas fotos das equipas do Poreto a fazer a saudação fascista! E o que isso demonstra?

Dragus Invictus disse...

Bom dia Seismilhoesum,

Quando nós afirmamos que o Benfica foi beneficiado pela ditadura, não é por culpa do Benfica nem dos seus adeptos. Aliás o Benfica teve dirigentes que lutaram contra a ditadura.
O clube de Salazar era o "fascismo", e tudo em Portugal que fosse orgulho da nação era enfatizado por ele, daí o seu aproveitamento político com quem na altura era o orgulho de Portugal além fronteiras.

O fascismo não retira qualquer mérito aos títulos conquistados pelo Benfica.
O Benfica vencia porque conseguia reunir os melhores jogadores, treinadores e dirigentes.

Claro que no calor de uma conversa de café o portista sai-se sempre com essa "desculpa" do fascismo, esquecendo os grandes jogadores que possibilitaram ao clube vencer 2 taças dos campeões europeus, e inúmeros campeonatos e taças de portugal.

Também tenho amigos benfiquistas que dizem "vocês só ganhavam por causa da fruta" e esquecem-se de jogadores como Futre, Madjer, Fernando Couto, Zahovic, Drulovic, Oliveira, Gomes, Jardel, Deco, Carvalho etc etc.

Infelizmente mais do que fruta ou outro tipo de artimanha, os clubes grandes são os que menos razões de queixa podem ter.
Os árbitros cedem a influências, pois são avaliados, e essa avaliação conta para a sua carreira remuneratória.
Por isso se explica que por exemplo, o portista Jorge Sousa tenha prejudicado o FC Porto em Alvalade esta época, ou Pedro Proença (benfiquista) tenha assinalado aquela grande penalidade inexistente sobre Lisandro diante do Benfica há 2 ou 3 épocas.

Outros árbitros erram porque são mesmo maus tecnicamente e disciplinarmente, ou porque cedem às pressões de quem manda na Liga nesse campeonato.

Veja se este último jogo do Benfica no Dragão, que venceu com toda a justiça, mas Paulo Batista expulsa mal Fábio Coentrão, perdoa amarelo e duplo amarelo a um Belluschi e Javi Garcia que andavam sempre pegados, e não dá vermelho a Cardozo numa cotovelada.

Veja este vídeo de um jogo particular do benfica na suiça, http://www.youtube.com/watch?v=2dZZ3LyM-Eo, os emigrantes a defenderem-se independentemente da cor clubistica.

Abraço boa semana

Paulo

Francisco Veloso disse...

Seis milhões eum es um bom pastor. O porto chegou a ter um alargamento pk a liga retiroi lhe o título de campeão uma vez de forma injusta, entregou o ao Leixões e ele não o aceitou em solidariedade. Mais, o Benfica tornou se o clube do regime depois dos triunfos europeus. E ridículo pensares q um clube que não da capital num pais centralista como o nosso fosse o do regime. Ainda hoje somos '' roubados '' pela imprensa, e uma vergonha o porto e Braga terem ido a uma final europeia e nem uma palavra do dito presidente da República!! E quando o teu clube Zeco mamou do Sevilha veio ele dizer que trouxe orgulho a Portugal