sábado, 31 de julho de 2010

Quem não marca não ganha e arrisca-se a perder!



O FC Porto fez o primeiro de 2 jogos no Torneio de Paris, registando uma derrota com a equipa da casa, o Paris Saint Germain o que conjugado com o jogo que abriu o torneio, empate a uma bola, entre Roma e Bordéus, fez com que o FC Porto ficasse sem hipóteses matemáticas de conquistar o torneio.

A esta altura da preparação não se exigia frescura física, mas exigia-se, face ao reduzido número de jogadores que estão a entrar no onze base, que não pertenciam ao plantel do ano passado (entrou de início apenas Kiescek e Moutinho), mais ligação entre os sectores, alternativas e rotinas de jogo. Na minha opinião deve-se a 3 factores:

1º - Fragilidade atacante - Apenas a 8 dias do primeiro jogo oficial, é oficializado um avançado, que neste momento é a única alternativa a Falcão. Desde o dia 2 de Julho, que apenas Falcão e Farias treinavam, e Farias, já se sabia que não contava, pelo que era menos um;

2º - Sistema Táctico - Villas Boas gosta do 4X3X3, esta semana assumiu a possibilidade de outro sistema, elogiou o final de época do FC Porto, em 4X4X2, mas curiosamente, são contratados James Rodriguez e Walter Silva, um que não é extremo, mas está a tentar jogar como tal, e outro que não é ponta de lança, mas é a única alternativa a Falcão;

3º - Desequilíbrios no plantel - Excesso de laterais, excesso de médios, excesso de supostos extremos, escassez de avançados de área, necessidade de contratar ainda um avançado de área e um defesa central, face à inevitável saída de Bruno Alves;

Faltam precisamente 7 dias para o FC Porto disputar o primeiro troféu da época.

A lógica de não desvalorizar Bruno Alves, Fucile e Raul Meireles, já me está a incomodar e não consigo imaginar como um plantel trabalha diariamente, com estes jogadores que apesar de marcar ponto nos treinos e na convocatória para jogos, não contam. E esta é a realidade, não contam, porque senão era simples, estariam a jogar. Alvaro Pereira foi o último a chegar e já jogou hoje e muito bem. Há que rever no futuro a politica de transferências, colocar um prazo para se transferir jogadores, especialmente os que têm cláusulas de rescisão, pois este cenário está a prejudicar o treinador, os restantes jogadores, e os próprios jogadores envolvidos, que não têm a sua situação resolvida e estão a ficar com a preparação em atraso. Deviam lembrar-se de Ricardo Quaresma, que por causa de jogos de empresários e clubes, atrasou a preparação, e teve os piores 2 anos da carreira dele ficando arredado da selecção nacional.

Quanto ao jogo, o FC Porto demonstrou na primeira parte, solidez defensiva, boa troca de bola no meio campo, mas no ataque foi praticamente uma nulidade, excepção um lance individual de Hulk, que quase marcou, e algumas boas movimentações entre o sectores. Contudo foi muito pouco frente a uma equipa muito frágil, mesmo jogando em casa.

Na segunda parte, é certo que começaram a troca de jogadores, que por si só, já faz com o ritmo e a interligação dos sectores quebre, ainda assim, Falcão teve duas boas oportunidades, numa delas o guarda redes defendeu muito bem, mas depois desse momento, o FC Porto começou a quebrar muito, sem ligação entre sectores o que fez com que o PSG assumisse o jogo e criasse uma grande oportunidade, que Helton fez a defesa do jogo, a remate de Kezman, e já nos descontos, no lançamento de linha lateral, a defesa falhasse na marcação e permitisse, de forma fácil, o golo da vitória do PSG.

Pelo jogo das duas equipas apresentado, claramente o resultado mais justo seria o empate, contudo, esta é a realidade do futebol e há que tirar ensinamentos deste jogo, para que não se repita no futuro.

Individualmente, aqui fica algumas notas para os jogadores que estiveram em campo:

Kiescek (3) - Não teve muito trabalho, numa situação perigosa demonstrou algum nervosismo, mas tudo acabou bem. Foi substituído ao intervalo por Helton.

Miguel Lopes (3) – Boa técnica e visão de jogo nas várias incursões que fez na primeira parte. Terá que ter mais atenção á zona defensiva, dada a propensão atacante deixa espaços vazios na defesa. Na 2ª parte perdeu algumas vezes na luta directa com o avançado do PSG. Penso que deveria ter sido substituído na segunda parte.

Rolando (3) – Seguro e já aparenta boa forma, apesar de ter sido dos últimos a chegar. Alguns passes errados e está incluído na forma negativa que a defesa abordou o lance do golo do PSG.

Maicon (4) – Muito seguro e confiante. Grande personalidade a jogar. Rápido nas dobras. Naturalmente substituído por Sereno para ser poupado. Não precisa mais de experiências, será titular este ano.

Alvaro Pereira (3) – Aparenta boa forma física. Bem a defender, não subiu tanto como Miguel Lopes, mas contribuiu para um aumento da qualidade defensiva. Substituído por Emídio Rafael ao intervalo.

Fernando (4) – Muito Seguro e confiante. Excelente posicionamento. Juntamente com Maicon, são os 2 jogadores em melhor forma física e táctica, em todos os jogos que disputaram.

Guarin (3) – Foi uma surpresa a boa forma física que demonstrou. Muita força e pressão alta. Para quem começou a treinar integrado há pouco tempo, esteve muito bem e mostrou que é mais um para lutar por um lugar no meio campo. Substituído, naturalmente ao intervalo, por Ruben Micael.

Moutinho (3) – Excelente posicionamento e grande pulmão na ajuda no ataque e na defesa. Na minha opinião, está-se a exigir muitos minutos a este jogador, á semelhança do que fazia o antigo clube. Deveria ter sido poupado na segunda parte, pois desceu muito de nível, mas na minha opinião derivado à condição física que é normal nesta fase.

Cristian Rodriguez (2) – Villas Boas insiste no 4X3X3, e curiosamente, Rodriguez é talvez o jogador que deveria interiorizar melhor este sistema. Nunca apareceu a desequilibrar no flanco esquerdo e descaiu muitas vezes para o meio do terreno. Esta pré-época não tem nada a ver com a de há 2 anos atrás, onde já será a sensação e fazia esquecer Quaresma. Aparentemente está recuperado da lesão, mostra garra mas sem grande discernimento. Na segunda parte, praticamente não existiu, sendo substituído por James.

Falcão (2) – Penso que não se está a adaptar bem ao esquema táctico, as bolas não lhe chegam e anda muito á procura da bola. Teve alguns lances de boa movimentação na primeira parte e na segunda parte uma excelente oportunidade que o guarda redes defendeu bem. Villas Boas tem aqui um bom exemplo para meditar como um jogador que marcou 35 golos o ano passado, praticamente só tem 1 ou 2 oportunidades boas para marca, por jogo. Substituído durante a segunda parte por Walter.

Hulk (2) - Muito apagado, aquele que era o jogador juntamente com Fernando e Maicon, os melhores até ao momento. Boa jogada e grande remate à passagem da 30m, mas nunca conseguiu ser explosivo e perdeu muitos duelos com o defesa esquerdo do PSG, alguns deles de forma muito frágil, mais demérito de Hulk do que propriamente mérito do defesa. Nem mesmo na segunda parte, e com um defesa diferente pela frente, porventura um jovem, conseguiu aproveitar para massacrar o adversário. Muito preso na linha, não gosto de ver Hulk nessa posição e nem trocou de flanco para desequilibrar. Muitos remates à baliza, todos eles ao lado e por cima da barra.

Ruben Micael (2) – Tem uma boa presença no meio campo. Joga muito bem de cabeça levantada, contudo quando entrou encontrou os seus colegas em decréscimo de forma. Não veio adicionar mais valia à equipa, não tanto pela falta de qualidade que tem, mas pelo que os colegas começaram a demonstrar.

Emidio Rafael (2) – Muito tímido para avançar no terreno. Durante o tempo em jogo com Cristian Rodriguez não existiu flanco esquerdo, do meio campo para a frente. Permitiu alguns ataques pelo seu lado o que demonstra alguma falta de agressividade a defender.

Helton (3) – Uma saída à Helton, que mais uma vez saiu-se bem. Na grande oportunidade do PSG, antes do golo, fez uma grande defesa, ao nível dos melhores. Está em boa forma e o lugar é dele.

Sereno (2) – Começou algo nervoso e a mostrar insegurança. Apareceu do lado esquerdo uma vez que Rolando permaneceu em jogo. Melhorou nos minutos seguintes, mas fica associado, juntamente com Rolando á falha de marcação que permitiu o golo do PSG.

Walter (2) – Grande expectativa para ver o novo reforço. Entrou numa fase de pouco acerto do ataque e do meio campo. Foi colocado a ponta de lança e naturalmente, que à semelhança de Falcão não produziu efeitos. Dos poucos minutos em campo mostrou boas movimentações e que claramente precisa de espaço para se movimentar. Não será este Walter mais um homem para jogar em 4X4X2?

James (2) – Entrou, juntamente com Walter, numa fase de pouco acerto da equipa.. Mais uma vez demonstrou a tendência de jogar mais no meio, onde existe mais bola. Quem o conhece do tempo do Banfield, deveria perceber que é jogador para jogar em 4X4X2 como avançado ou como médio interior esquerdo. Para mim é a grande contratação do FC Porto, numa lógica de futuro.


Quanto ao treinador Villas Boas, estranha-se que não tenha dado minutos a Varela, Belluschi e Sapunaru, à partida, jogadores que vão ficar no plantel e com possibilidade de serem titulares. Hulk, Moutinho, Fernando e sobretudo Miguel Lopes, fizeram os 90 minutos, que na minha opinião não se justificava. Também estranhei, que Hulk e Cristian Rodriguez, e na segunda parte, James Rodriguez, não trocassem de flanco, baralhando a defesa contrária e criando dinamismo no ataque. Foi tudo muito estático, muito previsível. Muito trabalho a realizar... não quero ser muito pessimista, mas parece que algumas coisas boas do ano passado estão a ser eliminadas sem contrapartida aparente.

Amanhã, o FC Porto defronta o Bordéus, e este sim, será um jogo apenas de preparação que deverá servir para Villas Boas fazer as últimas experiências antes do embate da Supertaça.

O jogo inicia-se pelas 15:45 e terá transmissão na Sporttv.

Ricardo Jorge


4 comentários:

Dragaopentacampeao disse...

Jogo pouco conseguido, marcado por várias contingências:

* Indefinição do plantel (Fucile, Bruno Alves e Raul Meireles);

* Indefinição da equipa - AVB quer dar oportunidade a todos para decidir a equipa base;

* Falta de sistema alternativo ao 4x3x3;

* Novo jogo já amanhã.

O jogo ficou marcado por uma pálida exibição, fruto de um ritmo lento, fraca qualidade de passe, muita circulação de bola mas pouca criatividade, ineficácia no remate, enfim, uma certa repetição dos erros do passado recente. Para mim, um retrocesso em relação ao jogo com a Sampdória.

Embora com conceitos diferentes, este jogo foi assim, mais do mesmo.

A equipa tem que ficar definida rapidamente para lhe dar entrosamento. O tempo começa a escassear. Acho que nesta altura AVB devia estar já a preparar a equipa para o primeiro confronto oficial, mas ele é que é o treinador...

Um abraço

Orgulhoazulebranco disse...

Antes de mais,tenho a dizer que detesto estes torneios que obrigam uma equipa a jogar dois dias seguidos.Nem 24 horas de descanso vão ter.
Esta cena de Meireles,Fucile,Bruno Alves é,numa palavra,uma palhaçada.Se estamos a falar de transferências iminentes,por horas,eu até percebo,mas os contactos com o Zenit sobre Bruno Alves arrastam-se há dias e dias e dias.E,que eu saiba,ainda ninguém bateu à porta para levar Fucile e Meireles.Qual é a vantagem de os ter parados,quer para um clube para para outro?

E,de resto,só faço umas perguntas:

Estará Villas-Boas a querer mudar demasiado em pouco tempo?

Tanta rotatividade nas posições e rotatividade 0 a nível de sistema táctico quando temos jogadores para 4x4x2 porquê??

Dragus Invictus disse...

Bom dia a todos,

Excelente análise Ricardo. Parabéns!

O que há de novo neste Porto versão Villas Boas é a pressão alta. Não recuamos tanto as linhas em processo defensivo e somos mais agressivos na conquista da bola.

Ontem enquanto tivemos pernas, o jogo correu nos relativamente bem, e não fosse a ineficácia de Falcao e as defesas do GR parisiense, concerteza venceriamos.

Na segunda parte, nos últimos minutos, Moutinho, o motor desta equipa foi abaixo, e a equipa ressentiu-se.

O PSG acaba por marcar um golo, que foi injusto para o que se passou dentro de campo.

Notas positivas para o Maicon (muito sereno e eficaz), Fernando que como diz um colega meu de trabalho, parece um eucalipto ... seca tudo à volta, Helton, Alvaro e Moutinho.

Notas negativas para Sereno, Falcao e Cebola, estes 2 últimos ainda longe da melhor forma.

Abraço e bom domingo

Ricardo Jorge disse...

Depois do jogo de hoje, estou a pensar criar um grupo no FB para mostrar ao AVB que o 4X4X2 é o esquema que faz sentido para os jogadores que tem.

O ano passado, a equipa adquiriu rotinas de jogo, e nada mais nada menos, que 10 jogos consecutivos a ganhar, 32 golos marcados, 7 golos sofridos.

Para além disso, e por razões que todos estamos a assistir, quando se contrata João Moutinho que está rotinado neste esquema, James Rodriguez não é extremo e Walter não é ponta de lança para 4X3X3, para além de Hulk, Falcão e Belluschi renderem mais como 4X4X2.

Enfim, vamos ver como corre hoje e se temos descriminados no plantel ou não.

Ricardo