quinta-feira, 26 de agosto de 2010

A caminho da conquista da Europa, novamente....



O FC Porto apresentou-se esta noite no Dragão com um onze diferente. Beto entrou para o lugar de Helton, Ruben Micael que já havia mostrado estar em boa forma frente ao Beira-Mar entrou para o lugar de Belluschi, Souza também entra para o onze, para o lugar que era de Moutinho, sendo que este subiu no terreno e ficou a assistir Falcao e Hulk (de regresso, para o lugar de Varela).



O FC Porto entrou no jogo dominador, criando várias oportunidades junto da baliza do Genk, quase todas elas com Hulk na jogada. No entanto, apesar da nossa equipa começar melhor, quem marcou primeiro foi o Genk! No mesmo minuto Hulk falha um penalty, mas a partir do minuto 36 começou a reviravolta.

Hulk marcou de livre, redimindo-se do penalty falhado, e dedicando esse golo à sobrinha recentemente falecida. Até final da primeira parte a equipa foi desperdiçando oportunidades para aumentar a vantagem.

Na segunda parte, depois de algumas perdas de bola, Fernando faz o segundo do Porto, o que leva Villas Boas a trocar Falcao por Varela de forma a dar descanso ao avançado portista: a qualificação para a fase de grupos estava praticamente garantida. Logo depois, novamente depois de um cruzamento, o Genk empata, deixando entrever as debilidades defensivas de que ainda sofre a nossa equipa.

Depois disso, e praticamente seguidos, Hulk marca mais dois golos de bola parada: um de penalty, que desta vez não falhou, e outro novamente de livre directo. Hulk parece ter vindo de pontaria afinada desta pausa forçada, e sem dúvida que o hat-trick que assinou foi a melhor forma de homenagear a sobrinha.

O resto do jogo resumiu-se a uma mão cheia de oportunidades claras de golo desperdiçadas. Varela por duas vezes podia ter marcado, mas complicou demasiado. E mesmo ao cair do pano, um tiro do meio da rua de Castro, que embateu nas malhas laterais da baliza do Genk, ainda fez o Dragão gritar golo!

Foi uma vitória justa e fácil, que pecou por escassa em golos, dadas as inúmeras oportunidades que foram desperdiçadas. Destaque natural para Hulk, que marcou 3 dos 4 golos, e foi o grande motor da equipa, aquele que deu velocidade e mais perigo levou à baliza adversária. Destaque também para Fernando, que várias vezes entrou por terrenos mais avançados, chegando mesmo a marcar um dos tentos portistas. E, por fim, destaque para o 4-4-2 em que se apresentou a equipa, que pareceu resultar muito bem. Temos médios de qualidade para poder jogar num esquema deste tipo.

Em termos defensivos a equipa tremeu um pouco, sofrendo os primeiros golos da época em termos oficiais. Otamendi começa a colocar pressão na nossa dupla de centrais, muito embora Maicon em várias ocasiões se tenha mostrado providencial.

Estamos na fase de grupos da Liga Europa com o Sporting (Já agora os meus parabéns pela reviravolta. Quantas mais equipas portuguesas a pontuar fora, mas oportunidades teremos nas competições europeias no futuro!!!).



Venha a próxima jornada, sempre a vencer!

Saudações portistas,

DF

6 comentários:

Ricardo Jorge disse...

Estamos lá :)
Será que Villas Boas percebeu que este é o melhor esquema para o FCP e Hulk?

Força Porto
Ricardo

ultrafcporto disse...

Um começo menos favorável para a nossa equipa, mas sem dúvida que depois dos percalços resolvidos, a nossa equipa foi e é arrasadora. Um Fernando que valeu por os 4 do meio campo sem dúvida excelente em campo. E um Hulk demolidor, mas ainda um pouco guloso. Venha a próxima fase da Liga Europa, mas primeiro a vitória sobre o Rio Ave é já o que importa, acumular 3 pontos na tabela classificativa do campeonato nacional.

Cumprimentos,
Ultrasfcportomatosinhos

Carla Correia disse...

Este é mesmo o melhor esquema....Temos demasiada qualidade a meio campo para esta ser desperdiçada....

dragao vila pouca disse...

Dragão intermitente.

Fases boas, outras más, bem no meio-campo e no ataque, problemas lá atrás, com os centrais a darem as abébias do costume, que ontem, infelizmente, tiveram consequências e lá se foi a virgindade.

Mas e isso é o mais importante, objectivo cumprido, um "score" que não deixa dúvidas e lá estamos na fase de grupos para tentar chegar o mais longe possível, quem sabe, até Dublin?

Hulk em grande, R.Micael abaixo do que sabe e quando Sapunaru é o melhor defesa...

Um abraço

Dragus Invictus disse...

Boa tarde não vi o jogo,

O que sei é do pequeno resumo que vi, e da excelente análise que li agora aqui.

Os dois golos sofridos pela nossa equipa, são inadmissíveis. Muito mal o centro da defesa na antecipação ao avançado que marcou por duas vezes.

Quanto ao Hulk ... bem este esquema de 4-4-2 dá-lhe mais liberdade de aparecer onde quer que seja, sempre lançado em velocidade pelos colegas de meio campo.

Estou de acordo que com a qualidade dos nossos médios, se calhar este esuqema tático vá-se afirmar, embora Villas Boas saliente a aposta no 4-3-3:

«Não é dúvida para ninguém que a opção da equipa técnica passa pelo 4x3x3. Culturalmente, o jogador português e os que jogam em Portugal estão mais habituados a essa táctica. Nesse sentido, é o sistema preferencial. Mas os jogadores são evoluídos e permitem fazer alterações como têm visto, até dentro do próprio jogo. Quando assim é, eu é que tenho de fazer a gestão de recursos».

Sei que este nosso Porto é tacticamente flexível, o que é uma enorme vantagem!

Passa em momentos do jogo de um 4-3-3 para 4-4-2 com enorme facilidade e sem perder qualidade, tudo fruto da qualidade técnico-táctica dos nossos centro campistas.

Relembro que Mourinho em 2003/2004 utilizava o 4-3-3 em Portugal, e 4-4-2 na Europa ... com os resultados que conhecemos.

O 4-3-3 permite meter mais velocidade e abrir o jogo contra equipas fechadas.

O 4-4-2 permite-nos controlar e dominar os jogos com mais consistência e mais posse de bola.

Este Porto promete ... mas há que corrigir os erros no centro da defesa.

Abraço

Paulo

Dragaopentacampeao disse...

Para quando uma nova exibição comparável com a da Supertaça?

Este FC Porto, continua em progressão lenta, alternando coisas más com coisas boas. Entram demasiado confiantes, lentos e desconcentrados. Esta atitude acaba por ter reflexos negativos, como se viu neste jogo frente a uma equipa que se apresentou bastante desfalcada. Não havia necessidade!...

Depois de acertadas algumas agulhas a normalidade aconteceu, com a maior classe e superioridade a virem ao de cima.

Fernando e Hulk foram as estrelas mais cintilantes da noite.

Inqualificável a atitude inicial dos adeptos belgas que mereceram por inteiro a carga policial para os pôr na ordem.

Um abraço