segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

Estrelinha de campeão

O FC Porto realizou esta noite um dos melhores 45 minutos e os piores 45 minutos de toda a época que por pouco fazia escapar os 3 pontos e produzir eventuais efeitos negativos nos próximos jogos.

A primeira parte foi de um domínio avassalador do FC Porto. Prova disso é a ausência de remates à baliza de Helton e um conjunto de grandes oportunidades de golo, ora salvas pelo guarda-redes com defesas de outro mundo, ora jogadas de um colectivo de grande qualidade, ora até a barra a evitar o golo.

Ainda na primeira parte foi possível ver um ritmo acima da média e um Cristian Rodriguez, Rafa e Fucile a realizarem exibições de grande qualidade.

Apesar de o golo ter surgido num lance de grande penalidade, ao que parece, inexistente, há que reconhecer que se não surgisse nesse lance iria surgir mais tarde.

Na segunda parte, tudo foi diferente. A pior exibição da época é a melhor forma de caracterizar o jogo do FC Porto, que permitiu a uma equipa que não tinha rematado na primeira parte, criar algumas situações de perigo, rematar mais que o FC Porto e ter uma excelente oportunidade para empatar o jogo, naquele que seria um duro golpe, mas quiçá justo resultado.

Não se tratou de pressão, até porque o FC Porto estava a ganhar ao intervalo, e também não pareceu que a equipa estivesse cansada, existe mérito do Vitória de Setúbal e muito demérito do FC Porto que adormeceu à procura do segundo golo que nunca existiu.



As substituições também não deram qualquer resultado, muita apatia, dentro e fora do relvado. Sentiu-se imenso a ausência de Villas Boas na forma como comunica efusivamente com os jogadores e talvez tenha sido essa a principal diferença para outros jogos, quando as coisas não corriam tão bem.

E foi com a estrelinha de campeão que o FC Porto conseguiu manter os 3 pontos neste jogo e manter a distância para o segundo classificado. Afinal a pressão estava do lado do jogador do Vitória de Setúbal que não conseguiu marcar à segunda.

Quanto à arbitragem penso que as duras criticas de Manuel Fernandes no flash interview foram exageradissimas. É bom que Manuel Fernandes analise o jogo nos seus 90 minutos e não na segunda parte. É certo que o penalti de Falcão não parece ser motivo para falta, mas a repetição do penalti não me parece intencional de um árbitro que teve a coragem e bem, de assinalar um penalti no Dragão, aos 89 minutos, com o resultado em 1-0.


Declarações de Vítor Pereira:



Um jogo para recordar, meditar e sobretudo para não se repetir.

Ricardo Jorge

9 comentários:

ultrafcporto disse...

Caros amigos, hoje o jogo não foi tão bonito como o habitual, e por pouco não víamos dois pontos a desaparecer. A arbitragem também não ajudou, foi uma autêntica aberração. O que mais me chateia no meio disto tudo, é que vou ter que aturar durante a semana algumas galinhas, dizendo que fomos levados ao colo por Elmano Santos, e que é a fruta etc… Nós é que levamos com eles foda***
Cumprimentos,
ultrasfcportomatosinhos

Dragaopentacampeao disse...

A ideia com que eu fico é que, para os atletas, o campeonato terminou com a estrondosa vitória sobre os lampiões.

Daí para cá, os jogos realizados não tiveram a mínima qualidade, frente a adversários nitidamente mais fracos (Sporting e Rapid incluídos).

A excepção foi mesmo em Viena, face às difíceis condições climatéricas.

Por isso, ainda que reconheça o desgaste provocado no jogo anterior, não posso deixar de estar decepcionado com o comportamento da equipa.

A vitória de ontem foi muito lisonjeira.

Um abraço

dragao vila pouca disse...

O cansaço não justifica tudo...O problema já vem de trás.

Falcao estava muito cansado, mas Moutinho, que jogou os 90 minutos em Viena, durou o jogo todo e fez um grande jogo.

Acho que o problema mais que físico é mental. A equipa depois dos 5-0 ao clube do regime pensa que agora tudo é fácil, a vitória vai acontecer, sem ser preciso muito trabalho, a displicência e a descontracção são uma constante, complicam-se jogadas simples, erram-se passes fáceis e depois, como aconteceu ontem, as surpresas podem acontecer. Humildade, chamada à realidade e a mesma atitude e o mesmo espírito sempre. Caso contrário podemos vir a ter surpresas que não desejamos.

Um abraço

P. Ungaro disse...

O jogo de ontem foi fraquinho ... independentemente do jogo com o Rapid poder ter influencia no cansaço de alguns jogadores, não vejo justificação para não termos arrumado o jogo logo na primeira parte. E graças a estrelinha de campeão é que conseguimos os 3 pontos.
Espero que tenha servido de lição

Um abraço

http://fcportonoticias-dodragao.blogspot.com/

Rage disse...

Não foi um bom jogo por parte da nossa equipa mas se tivessemos marcado um ou mais golos nas oportunidades que tivemos na 1.ª parte acredito que o jogo teria outra história por muito que o arbitro inventasse cartões e faltas desnecessarias.Este resultado também se deve a boa exibição do guarda redes do Setubal. Quanto aos penalties acho que são os dois bem marcados, embora a falta seja do Fucile com respectivo amarelo e expulsão parece que toda a comunicação social se esqueceu de referenciar que o 1.º amarelo é ridiculo.Antes do penalti marcado a nosso favor ficou também por rever uma possivel falta sobre o Falcão num lance limite entre a linha da grande aréa ou penalti.
No post que escrevi sobre o alerta azul já tinha previsto que isto poderia acontecer. Parece que é mais facil para a comunicação social criticar um penalti marcado contra nós do que um golo mal anulado e um penalti por marcar contra outros, bem como golos em fora de jogo, com mãos ou mesmo validados sem que a bola entre.
Os comentarios da TVI como sempre foram ridiculos bem como os do Manuel Fernandes que se lembrou de começar o campeonato no jogo de ontem.
Alguém que me explique em que lances é que o arbitro nos beneficiou que eu ainda não percebi....

Cumprimentos

Dragus Invictus disse...

Bom dia,

Previa-se um jogo que se complicaria com o decorrer do tempo, pois o esforço físico de Viena iria se reflectir no rendimento de alguns jogadores. O mais evidente foi o de Falcao, que estava completamente esgotado quando saiu. Mas também temos de dar mérito ao Setúbal que na segunda parte entrou afoito, com um jogador veloz Zeca, a causar muitos problemas, e a jogar com o passar do tempo e o enervar dos nossos jogadores.

Na primeira parte entramos bem, dominantes, e poderíamos ter resolvido o jogo, não fosse a nossa ineficácia, ou as excelentes intervenções de Diego.
Acabamos por marcar num lance que na minha opinião não é penalti, apesar de existir um ligeiro contacto físico, um pousar de cotovelo de Collin nas costas de Falcao. Eu sou apologista que o futebol sendo um jogo de contacto físico, não se podem marcar penaltis por qualquer disputa de bola.
Também o alegado penalti de Fucile é inexistente. Existe uma luta de braços dentro da área e Henrique deixa se cair. A falta existe sim à entrada da área com Fucile a agarrar com ambos os braços Henrique.

Na badalada anulação do penalti e consequente repetição, falta saber qual o motivo que levou o árbitro a tomar tal decisão.
Estavam jogadores dentro de área, e por conseguinte, tal poderia ser um motivo para mandar repetir o penalti, aliás vê se o árbitro em dialogo, a mandar sair da área alguns jogadores. Mas como quem está em violação da grande área é um jogador do Porto, não há motivo para a repetição. http://www.youtube.com/watch?v=FkpOTmu1vZE
Por sua vez o árbitro indica que não havia apitado, tal como afiançou Pitbull.
Este é um péssimo árbitro, tornou complicado um jogo fácil. Ele não teve intenção de prejudicar FC Porto ou Setúbal, ele apenas é um árbitro que não vale nada. Quem tem coragem para marcar um penalti duvidoso no minuto 89, não o mandaria repetir se quisesse beneficiar uma equipa e prejudicar outra.
Quanto aos nossos jogadores, gostei da garra de Moutinho, Guarin, dos nossos centrais, de Hulk e de Cebola (primeira parte).

Fucile mais uma vez cometeu uma idiotice, tal como aconteceu em Guimarães, que nos poderia ter custado mais dois pontos perdidos.

Villas Boas ao tirar Rafa, foi porque Fucile não conseguia parar Zeca, e não porque Rafa estivesse mal.
Mas Fucile foi ao outro lado borrar a pintura.

Quanto ao pouco público no estádio, é compreensível, face às condições atmosféricas e dia da semana.

Abraço

Paulo

Gaspar Lança disse...

Um jogo, no mínimo, estranho.
Uma primeira parte bastante boa, e aquela segunda parte... Foi o que se viu. Com um pouco de sorte conseguimos segurar a vitória.

33 jogos sem perder é obra, a ver se ultrapassamos esta marca, que é por sua vez um record conseguido na época de José Mourinho.

Um abraço.

Armando Pinto disse...

Vencemos. O mais importante foi conseguido, que foi vencer e manter a distância para os mouros vermelhos e verdes. Vencemos pela margem mínima, com um susto e suspiro sôfrego de alegria no final.
Já se sabe que há muita gente descontente, nossos e especialmente dos outros, pois todos contávamos com uma vitória tranquila, e assim vão aparecer desabafos e críticas. No entanto até começamos bem, apenas que aquelas iniciais grandes defesas do guardião sadino nos impediram de partir para a tal exibição normal desejada. Depois foi o que se sabe, ao que não estará alheio o cansaço do jogo da neve e também cansativa viagem a horas impróprias, tendo-se notado falta de frescura, que tolheu o raciocínio. Depois, perante a escassez do resultado e da marcação de um penalty forçado, contra nós, foi um final atribulado, com o setubalense a antecipar-se ao apito do árbitro para a marcação, sem que, portanto, o guarda-redes sequer contasse, e na repetição Deus escreveu direito, felizmente, no torto remate, por alto.
Sendo assim, tudo acaba bem, não na exibição mas no resultado e, sobretudo, em ter acabado com os nossos adversários /adeptos/comunicação social do contra, todos os contrários a ficarem com uma cabeça de melão. Eu até prefiro assim, antes quero assim, desde que a nossa equipa ganhe e eles, os do contra, fiquem f......
Não vi o jogo mas gravei-o e já pude ver nas calmas, saboreando a vitória, que é o que interessa. Porque já vi muitas vezes o Porto a jogar bem e não ganhar, que fico contente sempre que se ganha e os outros ficam contrariados.
Parabéns aos heróis que puderam e quiseram estar presentes, os bons Portista e não assobiadores, que estiveram no Dragão, apesar de ser início de semana e noite murrinhento-invernosa.

http://www.longara.blogspot.com/

O Dragão disse...

Sinceramente eu nem sequer recordar quero!