sábado, 29 de janeiro de 2011

Esperança virou Pesadelo

Se a vitória e a esperança em seguir em frente nesta prova era uma realidade já o final de jogo ninguém imaginaria que assim acontecesse.
Villas Boas arriscou com uma equipa sem rotinas de jogo e arriscou com um sistema táctico na primeira meia hora que foi uma autêntica nulidade em termos de jogo jogado. Era esperada uma equipa onde jogadores como João Moutinho, Hulk e James estivessem fora do onze, mas Villas Boas optou por descaracterizar os sectores do meio campo e ataque.

Claramente Villas Boas apostou no jogo de quarta-feira e não neste. E a prova que resguardar jogadores para evitar lesões não resulta, foi o facto de Rafa ter jogado apenas a 2ª parte e num lance aparentemente sem gravidade perder o resto da época.

Com um meio campo irreconhecível, nem defensivamente nem ofensivamente o FC Porto conseguiu desenvolver jogadas. Souza não tem perfil para jogar na posição 6. É um médio que recupera bolas e sai bem a jogar mas a posição 6 não é para ele. Ruben Micael continua distante, apesar do golo que marcou, continua a perder imensas bolas, passes falhados a baixar o ritmo quando é suposto o contrário. No ataque, nem Mariano nem Cristian Rodriguez desequilibraram que teve como consequência um Walter que passou ao lado do jogo.

Villas Boas poderia e deveria ter apostado em Varela de inicio. É um jogador que ainda não está no ritmo de jogo que já nos habituou e precisa de jogar. Este era claramente um jogo que o FC Porto deveria ganhar e aproveitar para alguns jogadores como Fernando, Varela ganharem ritmo competitivo. Assim não entendeu.

Foi uma primeira parte sem grande interesse e apenas a partir do momento que o FC Porto voltou ao esquema 4X3X3 foi possível observar domínio evidente e algumas boas jogadas. E foi com justiça que o FC Porto marcou o golo ao final da primeira parte, golo que coincidiu com o empate do Beira Mar e que deixou para a segunda parte uma enorme expectativa.

Na segunda parte e já com Rafa em campo, o FC Porto tornou-se mais agressivo mas ao mesmo tempo voltou a cometer erros ao nível do primeiro jogo desta prova. O golo do empate do Gil Vicente é uma cópia chapada do 2º golo do Nacional no Dragão.

Mas ao contrário do jogo no Dragão, o FC Porto reagiu bem, e na segunda melhor jogada de todo o jogo volta a marcar, golo de Rafa após magistrada jogada de Guarin.

E quando se pensava que tinha sido reposta a vantagem e o controlo no jogo, mais um erro infantil da defesa portista que permitiu ao avançado, com toda a calma e sem se sentir pressionado, passar por um defesa e rematar sem oposição do outro.

Para se ter uma ideia da prestação do FC Porto nesta prova, na Liga Europa, em 8 jogos o FC Porto sofreu 5 golos e na Liga em 18 jogos sofreu 7. Nesta prova em 3 jogos sofreu 4 golos!

É caso para dizer que esta competição está embruxada.

No outro jogo e com a vantagem do Nacional, a motivação que já era pouca tornou-se quase nula. O que não se percebe é o porquê da entrada de Hulk e João Moutinho em campo. Mais um risco para Villas Boas, quando tinha jogadores como Varela e Fernando que teria sido positivo jogarem alguns minutos.

Destacar neste jogo Guarin, mais uma vez, mostrou que merece a titularidade, pela sua entrega, recuperação de bolas e até nas assistências para golo. Pena que ao ser opção neste jogo signifique, ao que tudo indica, a ausência do jogo da próxima quarta-feira. Rafa, voltou a estar bem nas acções ofensivas, mas o lance do 2ºgolo reparte responsabilidades com Maicon.

Pela negativa estiveram Souza, Ruben Micael e Cristian Rodriguez. O primeiro claramente jogou numa posição que não é para ele, e creio que nunca será. Os outros dois, por muitas oportunidades que tenham para jogar não é de facto a época deles.

E até a equipa de arbitragem esteve mal. No lance que deu o 2º golo ao Gil Vicente existe uma falta sobre Walter que não foi apitada, bem como uma entrada violenta sobre Otamendi que passou sem amarelo para o jogador do Gil Vicente.


Para a história fica um registo muito cinzento da participação do FC Porto nesta edição da taça da Liga, prova que claramente beneficia os clubes grandes para passarem às meias finais da prova.
Mas ainda mais cinzento do que a participação foi a triste lesão de Rafa, pelo momento que estava a passar, confiante, a marcar golos e com a pré-convocação para a selecção. Tenho ideia que todos os portistas estavam a reconhecer mérito e qualidade nos últimos jogos de Rafa.

Villas-Boas
«Provavelmente, o Rafa não jogará mais esta época. É uma lesão grave de um jogador muito querido, que batalhou imenso para chegar à equipa. Tinha sido pré-convocado para a selecção nacional, pelo que isto tem um peso brutal para ele e para nós. O Sereno fez uma exibição conseguida e isso é de valorizar. Perdemos dois laterais esquerdos, mas ainda podemos contar com a polivalência do Fucile e com mais esta opção. O Otamendi também pode alinhar a defesa direito e isso dá-nos a garantia de que ainda temos algumas soluções.»

Declarações de Villas-Boas:


Que na próxima quarta-feira a equipa brinde os adeptos e dedique mais uma vitória a Rafa.

Ricardo Jorge

4 comentários:

Dragus Invictus disse...

Boa noite,

Hoje mesmo que vencendo estaríamos sempre dependentes do Nacional.

Villas-Boas por isso poupou jogadores habitualmente titulares.

Não conseguimos fazer um jogo fluido como habitual, e tivemos muito permeáveis na defesa. O meio campo não funcionou, e o tridente ofensivo foi ... inofensivo.

Ruben e Guarin foram os que tiveram as melhores prestações.

Destaque para o jovem Hugo Vieira, do qual tinha falado na antevisão ao jogo. Trata-se de um jovem com muito valor.

De lamentar a lesão arrepiante de Rafa, que estava a começar a tentar impor-se, marcou um golo (apesar de ter sido ultrapassado no golo do Gil com facilidade, mas também há mérito do jogador gilista). Rafa estava pré convocado para a selecção e é com muita pena que o vejo nesta situação.

Resta-nos recuperar Alvaro ou apostar em Fucile para a esquerda, e ir ao mercado contratar um lateral, pois Sereno não é solução.

Abraço

Paulo

Carla Correia disse...

Nem sequer passar à próxima fase da Taça da Liga compensaria perder um jogador tão jovem como o Rafa para o resto da época... É uma pena...

dragao vila pouca disse...

Mesmo com uma equipa à base de jogadores com menos minutos, acho que fizemos um jogo agradável e só não ganhamos porque fomos muito passarinhos na defesa.

Lamentável a lesão do Emídio Rafael, logo agora que ele estava a ganhar confiança e crescer, apesar de ter de melhorar muito a defender.

Um abraço

Tripeiro disse...

FORÇA EMÍDIO RAFAEL, não merecias isto!!