domingo, 23 de janeiro de 2011

Será que o FC do Porto vai solicitar a abertura de um inquérito ?

Aguardamos entretanto os desenvolvimentos da agressão de Jesus a Luís Alberto, que estão a tentar escamotear.

Pelas imagens disponíveis durante a transmissão da TVI, Jorge Jesus intrometeu-se entre Luís Alberto e Franco Jara, ao ver o médio brasileiro a reclamar com o avançado encarnado e agrediu Luís Alberto com uma chapada.

Jornalistas a escamotear

Luís Sobral no portal Mais Futebol
"6. Os factos são especialmente graves? Do meu ponto de vista não. Mas isso sou eu, que tenho tendência para desvalorizar estas coisas, quando não ultrapassam certos limites. No fundo, acho que fazem parte do futebol.
Portanto, uns segundos depois daqueles segundos em que Jorge Jesus e Luis Alberto se afastaram da norma, a preocupação de todos os intervenientes é apenas uma: desvalorizar a cena. Acho muito bem que o façam, é uma estratégia de defesa legítima. Mas isso não altera o que se passou, nem apaga um momento mau de treinador e jogador."

Jornal A Bola
Os desentendimentos começaram no meio-campo, logo após o apito final de Rui Costa. O treinador do Benfica, Jorge Jesus, e o médio do Nacional Luís Alberto trocaram algumas provocações e foi Rui Costa, director desportivo dos encarnados, a pôr alguma calma na situação. 

Ao que A BOLA apurou, o juiz portuense não estava em condições de observar o sucedido no relvado por manifesta dificuldade de campo de visão e por esse motivo nada escreveu sobre o assunto. «Só há uma câmara de televisão que deixa entender o que se passou, como é quer o árbitro podia ter visto e escrito a ocorrência?, questiona-se uma fonte próxima de Rui Costa.

Arbitro a escamotear
O árbitro do Benfica-Nacional, Rui Costa, não colocou qualquer referência aos incidentes registados no final da partida no relatório, apurou a TVI.

Site oficial dos Encornados
Em comunicado lançado no site oficial do Benfica, pode-se ler: “No final do jogo entre o Sport Lisboa e Benfica e o Nacional da Madeira e a propósito dos incidentes que há poucos minutos se tinham verificado no relvado, no final do jogo, Jorge Jesus, na conferência de imprensa afirmou: “afastei Luís Alberto”; enquanto o jogador do Nacional da Madeira, já na zona mista, confirmou que foi "empurrado por Jesus”.

Liga: que dizem os regulamentos sobre agressões entre jogadores e treinadores?

O Regulamento Disciplinar da Liga estabelece as penas aplicadas em caso de agressão ou tentativa de agressão entre treinador e jogador.

Que sucede quando um jogador agride um treinador?

A situação está prevista no artigo 117. Se a agressão provocar lesão de especial gravidade, pena de três meses a três anos de suspensão. Agressão em outros casos: dois meses a dois anos de suspensão. Em caso de resposta a agressão: «Os factos previstos nos números anteriores são punidos com redução dos limites mínimos das penas a metade».

Se for considerado que o jogador apenas tentou agredir, os regulamentos dizem o seguinte: «Os factos previstos nos números anteriores quando na forma de tentativa são punidos com os limites das penas indicadas reduzidas a metade».

Que sucede quando o treinador agride um jogador?

O regulamento enquadra os treinadores no artigo 137 («Faltas específicas dos treinadores») como se de dirigentes desportivos se tratassem. Com uma diferença substancial: em caso de suspensão de técnicos, os prazos são reduzidas a um quarto.

No artigo 104 é escrito que os dirigentes que agridam outros agentes (nomeadamente jogadores) são punidos com penas de suspensão de três meses a três anos. Prazos que, no caso dos treinadores, seriam reduzidos a um quarto. A tentativa é punida com os limites das penas acima previstas reduzidas a um terço.

Como se pune?

O Regulamento estipula como pode a Comissão Disciplinar punir. Primeiro tem de abrir procedimento disciplinar ou processo de inquérito. Ambos podem ser abertos por impulso da Comissão Disciplinar ou requerimento de interessado. Na base poderá estar o relatório do árbitro, o relatório do delegado da Liga no jogo ou das forças policiais. Ou, ainda, na sequência de denúncia fundamentada.

O artigo 173 estabelece que a deliberação da Comissão Disciplinar poderá ser tomada tendo por base «o relatório da equipa de arbitragem, das forças policiais ou do Delegado da Liga e todos os demais meios de prova em direito admitidos».

Quando podem ser utilizadas as imagens televisivas?

A alínea a) do ponto 5 do artigo 173 estabelece as ocasiões em que a CD pode utilizar imagens televisivas para formular uma decisão. Eis o texto: «Quando se verifique que a equipa de arbitragem não sancionou conduta que constitua risco grave para a integridade física dos agentes ou grave atentado à ética desportiva exigida aos intervenientes no jogo, desde que se demonstre que a equipa de arbitragem não tenha observado e avaliado essa conduta».

Que pode suceder no caso do Benfica-Nacional, entre Jorge Jesus (treinador) e Luis Alberto (jogador)?

A Comissão Disciplinar julgará, em primeira instância, a partir dos relatórios de árbitro, delegado e forças policiais. Muito do que estiver para suceder a Jorge Jesus e Luis Alberto dependerá disso.

A própria Comissão Disciplinar poderá decidir abrir um inquérito disciplinar, ouvir quem entender e solicitar as imagens que entender.

Por último, poderá haver um interessado a solicitar que seja aberto um inquérito disciplinar.

Meus amigos, desenganem-se porque não vão haver quaisquer castigos.
Nem o árbitro principal, árbitros assistentes, delegado da Liga e forças policiais viram nada.
A comissão disciplinar já tinha mudado de canal, e como é óbvio não vai aparecer nenhum interessado a solicitar que seja aberto o tal inquérito disciplinar. A imprensa já está a escamotear esta situação.
 



E não esquecer a arbitragem habilidosa de Bruno Paixão que expulsou 3 jogadores do Rio Ave, que por coincidência não vão poder jogar para a Taça de Portugal diante do Benfica.

in maisfutebol.iol.pt
Bruno Paixão, incendiou o jogo
É feio considerar o árbitro o principal protagonista. Não faz bem ao futebol. Mas há jogos em que é impossível ver as coisas de outra forma. Três expulsões (duas erradas), todas para o Rio Ave, três penalties (pelo menos o último errado) e muitos equívocos depois, Bruno Paixão estragou o jogo mesmo.



4 comentários:

DC disse...

Boa tarde.

acho que o Porto não deve pronunciar-se, pelo menos para já, de forma a testar a seriedade da Liga! Toda a gente viu o que aconteceu, caso não haja acção por parte da Liga saberemos com o que contamos!

Abraço

http://mentirasvermelhas.blogspot.com/2011/01/as-manobras-vermelhas.html

Dragus Invictus disse...

Concordo contigo,

Acho que devemos aguardar, para verificar até que ponto vai chegar esta palhaçada.

Hoje temos noite de eleições, amanhã debate pós resultados das eleições, na terça gala ao Eusébio ... na imprensa tudo vai ser portanto tudo escamoteado. Só o Jornal Record falou em estalo!

Abraço

Paulo

DUX_XXI disse...

Vamos aguardar que os responsáveis se pronunciem, mas confeso que acho que as papolias vão sair incólumes de mais esta embrulhada. Como lhes é natural...

Já viram como foi o jogo de Rio Ave? pois vão jogar com as papoilas sem esses 3 jogadores :)

ultrafcporto disse...

Caros portistas,
Deste jogo safam-se os 3 pontos ganhos porque em futebol espectáculo pouco se viu, mas uma coisa é certa as oportunidades mais flagrantes foram criadas quase todas por o FCP como é óbvio e de esperar, apenas faltou mais uma vez, a eficácia da finalização, achei também que quem não esteve muito bem neste jogo foi Varela que esteve muito apagado. Em relação á palhaçada na Mourolândia realmente o que é de lamentar é a falta de tratamento que dão às escaramuças provocadas por elementos ligados ao clube do regime, estes indivíduos passeiam-se impunes no futebol português, isentos da punição adequada, ainda tem a lata de envergar a capa da justiça desportiva. Que nojentos de merda, e os árbitros uns autênticos cobardes que nem mencionam tais incidências no seus relatórios vergonhoso, cagados de merda. Portistas unidos contra tudo e contra todos, seremos CAMPEÕES.

Cump.
www.ultrasfcporto.com