terça-feira, 1 de fevereiro de 2011

Último obstáculo rumo à final...

É assim que o FC Porto terá que encarar amanhã a meia-final da Taça de Portugal. Mais um adversário, mais um obstáculo rumo a tão desejada final, a 3ª consecutiva e a possibilidade de conquistar a 3ª vitória consecutiva, algo único, na história do FC Porto.

Não devemos pensar muito nos 5-0 para o campeonato, nem tão pouco, na campanha vitoriosa que Jorge Jesus fez questão de sublinhar após a vitória arrebatadora frente ao Desportivo de Aves e que a comunicação social de Lisboa faz questão de, diariamente, publicitar.

É verdade que o FC Porto não estará amanhã na sua máxima força. Jogadores como Álvaro Pereira e Falcão, que ainda pode ser uma opção, seriam sempre mais-valias a adicionar à equipa, bem como Rafa, que estava a subir de forma e que seria um sério candidato a titular no jogo de amanhã. Independentemente destas ausências, o FC Porto tem jogadores com qualidade suficiente para vencer o jogo. Não tem sido pelas ausências de Álvaro Pereira e Falcão que o FC Porto tem perdido ou empatado jogos, ou que tenha baixo o nível de finalização ou o nível de eficácia a defender. As estatísticas assim o demonstram.

Mas este jogo, tal como Villas Boas e Jorge Jesus, aqui em pleno acordo, avançaram, foi planeado e será jogado sempre com o pensamento que se trata de uma eliminatória e não de um jogo para a conquista de 3 pontos. E será precisamente este pressuposto que determinará que o jogo de amanhã não terá muitas semelhanças com o jogo para o campeonato.

E as grandes alterações serão sem dúvida do lado encarnado que directa ou indirectamente condicionaram o jogo do FC Porto. E será aqui certamente o grande ponto de interesse deste jogo, tacticamente que vai ser o mais competente e inteligente para abordar este jogo.

Villas Boas convocou os 22 jogadores disponíveis no plantel para um pequeno estágio antes do jogo. Não será com certeza para baralhar o adversário mas sim num gesto de manter o plantel unido, sobretudo depois do azar ter batido à porta de Rafa, que deixou colegas e muitos adeptos revoltados com tal situação.

Lista de convocados: Helton, Maicon, Guarín, Belluschi, João Moutinho, Falcao, Cristian Rodríguez, Mariano, Hulk, Fucile, Rolando, Sereno, Varela, Walter, James, Sapunaru, Souza, Beto, Fernando, Rúben Micael, Otamendi e Kieszek.

A grande dúvida do onze inicial prende-se com a inclusão de Falcão. Aparentemente, sem competir há algum tempo, e muito recentemente a treinar integrado, não é previsível que seja incluído no onze e mesmo nos 18 de campo. Muito mais importante do que um jogo a duas mãos é a recuperação total para o resto de temporada, dada a sua qualidade acima da média.

Sendo assim, e depois de mais uma oportunidade dada a Walter no ultimo jogo da taça, sem grande retorno, Villas Boas irá apostar novamente num ataque móvel constituído por Hulk, Varela e James Rodriguez, capazes de mudar sistematicamente de posição no ataque.

No meio campo surge outra dúvida, se Fernando ou Guarin estarão no onze inicial. A vantagem parece ser de Fernando pelas características do jogo e sobretudo por já estar perto do seu ritmo de jogo.

Equipa provável: Helton, Sapunaru, Fucile, Rolando e Otamendi, Fernando, João Moutinho e Belluschi, Hulk, James e Varela.

Jogo ideal para jogadores como Fucile e Varela explodirem e voltarem às grandes exibições, que nos últimos jogos têm passado ao lado, sobretudo comparados com outros colegas nas mesmas posições. Quem não se lembra do jogo da Supertaça, em que Varela foi o melhor em campo?

Antevisão de Villas-Boas:



Para este jogo foi nomeado Paulo Baptista que nesta época já apitou o primeiro jogo da época (Naval-FC Porto) e curiosamente o último jogo da Liga (FC Porto-Nacional). Registo de duas vitórias para o FC Porto e de arbitragens sem lances polémicos e com influência no resultado o que deixa antever alguma tranquilidade para o jogo de amanhã.

É esperado um grande jogo de futebol, uma grande vitória do FC Porto assente na sua qualidade que tem mostrado durante esta época. Nada melhor que um estádio esgotado, mesmo a uma quarta-feira para apoiar estes verdadeiros campeões.

Por último um apelo aos adeptos e jogadores para não caírem na provocação de tumultos, pois o saldo do último confronto foi financeiramente penoso para o FC Porto. Nada melhor do que uma vitória e por números expressivos e no final do jogo o desprezo para os dirigentes e responsáveis de uma instituição que diariamente nos brinda com hipocrisia. Como lhes fica tão bem!

O jogo está marcado para 20:30 e terá transmissão na Sport Tv1.

Força Porto.

Ricardo Jorge

4 comentários:

dragao vila pouca disse...

"Um a zero já me satisfaz"

É este o espírito que levo para o Dragão e atrevo-me a dizer, é este o espírito que todos deviam levar. Não por pessimismo, não por falta de confiança, não porque não acredite que temos gente para conseguir um resultado melhor, ou porque o entusiasmo que se faz sentir não seja importante, nada disso, apenas porque vejo demasiada euforia, aqui e ali, alguma fanfarronice. Os cinco a zero ainda estão bem presentes na memória de todos e receio que alguns vão para o estádio com a goleada no pensamento e a pensar que vai ser outra noite histórica.

Como não há dois jogos iguais, temo que não tenham a calma e a paciência necessária para um jogo que vai ser diferente. É uma eliminatória, nada fica decido amanhã e depois, os clássicos, normalmente são muito disputados e equilibrados. Realismo, nervos de aço e apoio, muito apoio, é a solução, para conseguirmos a vitória e dar um passo importante a caminho do Jamor.
Pelo contrário, nervosismo em excesso, demasiada pressa, ferver em pouca água, assobios, não vão ajudar a conseguir o principal objectivo, ganhar.
Á equipa pede-se concentração, atitude, respeito e a qualidade de que já mostrou em variadíssimos jogos. Pede-se também que não vá em provocações, não reaja a jogadas subterrâneas, não perca tempo a discutir decisões, de um árbitro que é fraquinho.

Um abraço

Dragus Invictus disse...

Bom dia,

Logo vai ser um jogo totalmente diferente do que seria um a contar para o campeonato. Trata-se de uma eliminatória a duas mãos, e por conseguinte isso irá condicionar táticamente as equipas.

Espera-se que seja um excelente jogo de futebol, que ambas as equipas joguem um futebol de ataque, e que o péssimo árbitro nomeado não tenha influência no resultado.

Que os jogadores se respeitem e não entrem em picardias, e que tudo corra bem fora do campo entre adeptos.

Basta de guerras, isto não passa de um jogo de futebol.

Se o nosso Porto estiver ao seu nível, vencerá este jogo, pois é no seu conjunto melhor e mais sólido que o Benfica.

Abraço

Paulo

P. Ungaro disse...

Boas,

Ao 3º round espero a 3ª vitoria concludente sobre os vermelhos. Temos equipa, temos treinador e temos adeptos superiores aos do sul por isso ... força, garra e determinação são os ingredientes para mais uma vitoria azul e branca.

Um abraço

http://fcportonoticias-dodragao.blogspot.com/

r.m.silva da costa disse...

Num jogo como este que desperta um ror de emoções em cada portista amante do Futebol Clube do Porto e do espectáculo futebol, não são precisos apelos de incitamento e à mobilização da nossa generosa e fervorosa massa de adepto, sempre tão disponível e entusiástica nas pequenas como nas grandes ocasiões. Logo se verá logo à noite, no Estádio Mais belo da Europa, quando 50 mil que vão estar presentes se ouvirem nos seus cânticos e no agitar das suas bandeiras e cascóis, a transmitir para dentro do relvado a confiança que depositam na equipa e no seu treinador.
Cada jogo é um jogo diferente, não pode ser igual a nenhum outro no seu desenvolvimento próprio e o resultado final é, será, sempre uma incógnita.
Eu confio até, ao último lance, até ao derradeiro esforço que ela vai ser desfeita a nosso favor.