quinta-feira, 14 de abril de 2011

Superioridade absoluta em mais uma noite histórica

O FC Porto confirmou hoje a passagem às meias-finais da Liga Europa com mais uma goleada por números idênticos à do Dragão, na primeira eliminatória.

Quem esperava ver um FC Porto mais comedido, mais na expectativa para ver o que o jogo ia dar foi surpreendido com um FC Porto a querer assumir o jogo e a mostrar que queria claramente ganhar o jogo. È certo que a eficácia esteve mais uma vez em níveis elevados, mas as oportunidades foram criadas e quem marca 10 golos em 2 jogos é claro o sinal que foi uma equipa ofensiva.

O FC Porto entrou bem no jogo, a comandar o meio campo e mantendo 3 homens na frente, no sistema preferido de Villas Boas, quando era previsível que entrasse em campo com Ruben Micael, reforçando um meio campo, já lutador, mas para segurar o ímpeto dos Russos, que nunca foi superior ao FC Porto durante o jogo, apesar de na primeira parte ter criado algumas boas oportunidades, mas Helton e a defesa portista respondeu à altura.

Não há muita história para contar neste jogo, o FC Porto controlou sempre as operações e até parecia que estava mais habituado ao terreno e temperatura do que o adversário. Para isso muito contou o  grande golo de Hulk que aniquilou qualquer esperança Russa na reviravolta do resultado. O golo surgiu no momento em que Fucile estava fora de campo tendo acabado por ser substituído.

Será reavaliado amanhã, mas existe a infeliz possibilidade de terminar a época mais cedo devido a fractura da clavícula.

Depois do golo o Spartak ainda teve alguns lances bem construídos mas a machadada final do jogo foi dada no último minuto com Cristian Rodriguez a fazer o 2º golo.
Na segunda parte e com uma vantagem de 2-0 o FC Porto apenas teve que gerir o tempo e o esforço físico dos seus jogadores. Villas Boas refrescou o meio campo, já depois de ter feito entrar Sapunaru para o lugar de Fucile, com Ruben Micael, permitindo a João Moutinho descansar e correr o risco de ficar suspenso nas meias finais.

Foram 45 minutos com 5 golos, 3 para o FC Porto e 2 para o Spartak. Primeiro, numa jogada de contra ataque e numa excelente abertura de Ruben Micael, Falcão ainda tentou o golo, mas depois assistiu Guarin para o terceiro da noite. O Spartak estava naturalmente de rastos, mas numa boa jogada individual ainda reduziu o marcador. Mas a eficácia portista foi espelhada no minuto seguinte com Falcão a repor a diferença de 3 golos no jogo. O melhor marcador desta prova voltou a facturar e continua a liderar a lista dos melhores marcadores. Curiosamente, na próxima eliminatória irá colocar frente a frente, provavelmente as 2 equipas mais fortes em prova e os 2 melhores marcadores, Falcão e Rossi.

Antes do final do jogo tempo ainda para o Spartak reduzir a vantagem, com mais 1 golo, numa altura em que já era complicado manter os níveis de concentração, face a uma vantagem tão dilatada. Mas o FC Porto continuava a procurar o golo, ainda que sem grande velocidade, mas o mesmo surgiu perto do final por Ruben Micael após uma série de ressaltos na área.

Muito provavelmente terá sido o jogo dos quartos de final na Europa com maior diferença de golos numa eliminatória, nada mais, nada menos do que 7 golos.



Tal como em Portimão, este FC Porto não quis perder o ritmo da vitória e do comando das operações dentro de campo. Excelente a capacidade física que os jogadores demonstram em campo, capazes de efectuarem 90 minutos de futebol ofensivo e com criação de oportunidades de golo.

Não houve um jogador que se destacasse dos restantes, todo o colectivo esteve em muito bom nível, mas ainda assim, destacar Helton, pelas poucas mas decisivas intervenções, Otamendi, pela capacidade de recuperação de bolas, Fernando e Guarin no meio campo, fortes a defender e a lançar o ataque, no caso de Guarin voltou a aparecer em terrenos avançados e voltou a marcar e por último a dupla atacante Hulk e Falcão que voltaram a marcar e a mostrar o quão decisivos têm sido nesta época.

Talvez por ter sido o marcador do primeiro golo, golo que decidiu o rumo do jogo até final, Hulk merece o destaque pelo carácter decisivo.

Declarações de Helton e Villas-Boas:



As meias-finais da Liga Europa estão marcadas para dia 28 deste mês e dia 5 de Maio. O opositor é o Villarreal que confirmou com mais uma vitória o favoritismo e superioridade frente ao Twente.

Agora é tempo de pensar nas competições internas que fecham um ciclo apertado de jogos mas que pode significar o concretizar de mais 2 objectivos, o manter a invencibilidade frente a um Sporting que necessita de ganhar e o apuramento para a final da Taça de Portugal, que depois do que assistimos no último jogo em Lisboa, está claramente ao alcance do FC Porto, mesmo iniciando o jogo com 2 golos de desvantagem.

Depois destes jogos o FC Porto terá 1 semana para preparar as meias-finais frente ao Villarreal, esperando poder contar com Fucile e Belluschi.

Destacar a classificação de Portugal, que depois de ter assegurado o 6º lugar em 2012, está agora perto de garantir o 5º lugar no ranking, ultrapassando a França.

Ao nível de clubes o FC Porto assegurou o 9º lugar em 2012 o que significa que em caso de um dos 8 melhores classificados não assegurar um lugar na Champions o FC Porto será cabeça de série.

O FC Porto é a 5º melhor equipa em toda a Europa e em caso de sucesso na próxima eliminatória ultrapassará o Chelsea, ficando apenas atrás de Real Madrid, Manchester United e Barcelona.

Força Porto.
Ricardo Jorge

6 comentários:

dragao vila pouca disse...

Meus caros amigos, o F.C.Porto hoje deu-me uma lição. Estava preocupado, confesso. Via demasiada euforia, demasiada confiança, parecia que nem tinhamos de jogar, que já estavamos nas meias-finais... e isso não é nosso costume, não somos assim. Se se lembram, há tempos atrás, falava na forma discreta como, mesmo perante tão retumbantes vitórias, nós mantemos uma postura humilde, sem as grandes tiradas e as grandes fanfarronices de outros quadrantes. Mas, meus caros, este Porto pode, porque faz jus a isso, por-se em bicos dos pés.

Este Porto, meus amigos, encanta na qualidade do seu futebol, no espírito, carácter e profissionalismo que coloca em cada jogo e que nos faz andar com o orgulho portista lá no alto. Jogamos fora, como se estivessemos no Dragão: chegamos, montamos a tenda, dá-mos espectáculo, encantamos, ganhamos e goleamos.
Falar do jogo, das muitas e excelentes exibições, para quê? Este Porto de André Villas-Boas, como já disse há semanas, tem muitos e grande jogadores, ao nível dos melhores e por isso são tão procurados, mas, o grande segredo, meus amigos, é o colectivo, o colectivo é do melhor que tenho visto e já vi muita coisa.
Estamos nas meias-finais após um interregno de apenas 7 anos. Para nós é muito tempo e por isso, quando vemos tanta festa e tanta badalação porque, ao fim de 21 anos, o mais maior grande clube do mundo está também na mesma fase, é que damos conta e pensamos, no quanto temos feito história, quanto temos prestigiado o futebol português, a cidade do Porto e o Norte de Portugal. Somos um exemplo. Pobre país que não se revê neste exemplo...


Dublin está cada vez mais perto. Podemos e ninguém tem mais direito que nós, a sonhar.
Domingo, mais um jogo que queremos ganhar e para ganharmos, nada como o conforto de um estádio cheio. Estes profissionais merecem-no.

Notas finais:
Sempre e vocês são testemunhas, acreditei em André Villas-Boas. Mas confesso também, ele está a sair melhor que a encomenda. É um craque, não é, nem quer ser especial, com modéstia diz que é um treinador banalíssimo, mas ou me engano muito ou está destinado a grandes voos e a ficar na história do F.C.Porto a letras de ouro.
- Parabéns André, extensivos à tua brilhante equipa técnica e aos teus jogadores.

Jorge Fucile lesionou-se gravemente - pensa-se em fractura da clavícula... Uma pena e uma palavra de estímulo para um jogador que nos últimos tempos tem estado muito bem. Que recupere depressa.
Na Liga Europa, ganhamos todos os 7 jogos que disputamos fora de casa. Quem terá conseguido um feito igual?


Parabéns ao S.C.Braga que fez história. Com a passagem do Braga e como o sorteio deu Braga e F.C.Porto a jogarem a 1ª mão em casa, neste momento é prematuro dizer que teremos um F.C.Porto vs Villarreal em 28 de Abril.
Pode ter de haver alteração da ordem dos jogos.
Três equipas portuguesas nas meias-finais. É um feito.

Lá mais para a frente falarei de Jorge Nuno Pinto da Costa... Mas lembro e não me cansarei de repetir, que o Presidente, em entrevista a Judite de Sousa, em 30 de Março, disse que ia voltar a ganhar cá dentro e lá fora. Cá dentro já ganhou... lá fora... Para já estamos nas meias-finais...
Presidente finito?! Pena é não ser infinito!

Um abraço

penta1975 disse...

caríssimos:

mais um jogo «banalíssimo», de uma equipa «banalíssima», de um clube (dito) «regional» com um plantel «banalíssimo», orientado por uma equipa técnica «banalíssima», superiormente dirigida por um Presidente que é odiado por todos aqueles que gostariam de o ter - ao ponto de já lhe desejarem uma morte prematura.

«este é o nosso destino»: «a vencer desde 1893»!

saudações desportivas mas sempre pentacampeãs! ;)

Miguel | Tomo I

P. Ungaro disse...

Boas,

Mais uma demonstração da seriedade e competência que é o trabalho no FC Porto. Num jogo onde poderia facilitar AVB não o permitiu e a equipa correspondeu com mais uma goleada, ainda para mais em casa do Spartak.
Independentemente do futuro dá-me um orgulho tremendo ser portista !!!

um abraço

http://fcportonoticias-dodragao.blogspot.com

Dragus Invictus disse...

Bom dia,

Mais uma grande noite europeia do nosso FC Porto, que presenteia a Europa do futebol coma sua classe.

Este é de facto o nosso destino ... vencer, convencer e ser o orgulho de uma região e de um país.

A imprensa internacional está de olho em nós (http://edition.cnn.com/2011/SPORT/football/04/04/football.boas.porto.mourinho/index.html), e poderíamos entrar em euforia demasiada, mas ontem demos uma resposta séria dentro de campo. Os nossos jogadores jogaram como se não tivesse havido aquela goleada na primeira mão que tinha definido a passagem às meias-finais.

Presentearam-nos com uma grande exibição, sem sofrimento, e com jogadas de grande classe, como foi a que deu o golo a Hulk.

Guarin, Moutinho e Fernando são fantástico na destruição e na construção de jogo. O nosso tridente ofensivo mesmo ontem sem Varela, esteve fantástico, com Cebola a rubricar uma exclente exibição.

Hulk e Falcao são do melhor que anda aí na Europa.

Helton é um guarda-redes seguro, maduro e que transmite confiança quando a defesa vacila. Ontem Rolando mais uma vez não esteve tão bem. Otamendi cumpriu.

Destaque para Ruben ... mais uma fantástico jogo! Que é uma pena não poderem jogar 13 :)

De lamentar a lesão de Fucile, que estava a regressar às boas exibições, e que por certo irá falhar o resto da época.

Agora vamos apanhar uma equipa espanhola, que por tradição são aguerridos e lutadores. Este Villarreal que está a fazer uma época fantástica, é acima de tudo um grande colectivo, onde se destacam alguns jogadores. Esta meia-final vai ser uma final antecipada, pois sem desprimor para Benfica e Braga, Porto e Villarreal são as melhores equipas da Liga Europa.

Abraço e bom fim de semana

Paulo

Dragaopentacampeao disse...

Mais uma bela página portista para juntar à bem recheada história gloriosa do nosso Clube.

Jogo muito bem disputado, com carácter, classe e ambição.

Gosto desta atitude. O FC Porto já não adormece com o 1-0, como noutros tempos. Procura sempre mais e mais.

AVB mudou esta mentalidade. Parabéns também por isso.

Agora é continuar a acreditar e a trabalhar para as coisas lindas que esta equipa ainda pode fazer até final da época.

Esta equipa merece o Dragão cheio no próximo Domingo!

Um abraço

ultrafcporto disse...

Caros portistas, a nossa equipa está uma autêntica máquina de marcar golos, vamos no bom caminho para novamente conquistarmos a taça da liga europa. Gosto muito de ver a subida de rendimento de Cristian Rodriguez, e lamento a lesão de Fucile que muita falta nos faz.

Cump.
www.ultrasfcporto.com