sábado, 14 de maio de 2011

Todos juntos somos invencíveis

Wallpaper de Manuel Costa, membro do nosso blogue.

Chegou ao fim o campeonato e os novos campeões foram consagrados como invencíveis nas 30 jornadas efectuadas, 10 meses de competição seguida sem conhecer o sabor da derrota.

Tem sido sem dúvida uma das melhores, senão a melhor época de sempre da história do FC Porto. No que diz respeito ao campeonato, não só fomos campeões invencíveis, como registámos a maior diferença para o segundo da história do futebol Português, batemos o recorde interno de golos marcados, tivemos os dois melhores marcadores da Liga e a juntar a isto tudo o facto de termos ganho a Supertaça, goleado o maior rival 5-0, festejado o título na casa do maior rival e eliminando o maior rival na sua própria casa para a Taça de Portugal.

É caso para dizer… se no ano passado a comunicação social elevou o campeão como um feito único, uma máquina de futebol espectáculo, de tal forma que este ano iriam ser campeões e candidatos à Champions League, aguardemos pelas capas dos jornais de amanhã. O destaque vai ser proporcional à decisão desta semana do Tribunal Administrativo que entendeu as decisões de punir o FC Porto, o Presidente Pinto da Costa e o Boavista, como nunca deveriam ter existido pois foram proferidas sob ilegalidade, ou seja, Zero.

Mas este ano ficou provado mais uma vez que o FC Porto não precisa da comunicação social. O FC Porto só não consegue ganhar quando determinados sectores da Liga e da FPF cometem ilegalidades para derrubar o nosso clube. Perdemos nessa altura mas agora estamos a ganhar os processos e seremos ressarcidos dos danos causados.
Esta é sem dúvida a maior frustração da direcção do SLB e das pessoas de confiança que estavam na Liga e na FPF. Não conseguem no campo e fora do campo, perdem nos tribunais que julgam os comuns cidadãos.

Com jogadores de valor, com uma equipa técnica empenhadíssima, uma direcção sem concorrentes à altura e um grito de revolta por tudo o que nos fizeram, acaba por ser normal o que já foi atingido e o que poderá ainda vir a ser, nada mais, nada menos, do que terminar esta época como o clube com mais troféus na história do futebol português.



Hoje o desafio era grande e a expectativa de ver como o adversário iria abordar o jogo. Numa análise do jogo jogado, o Marítimo até nem importunou muito o FC Porto, mas também é justo dizer que o melhor jogador do FC Porto foi sem dúvida Beto.

Villas Boas naturalmente apresentou uma equipa com alterações, mas apresentou uma equipa com potencial e respeitou o adversário, ao colocar Alvaro Pereira, Rolando, Otamendi, Guarin e James de inicio.

A primeira parte esteve melhor o FC Porto, sobretudo pelo facto anímico de ter marcado relativamente cedo e ter consolidado o resultado com o 2º golo ainda na primeira parte. Foi o KO final a um Marítimo que sonhava como feito de derrotar o campeão.

Na segunda parte, o FC Porto abrandou bastante o ritmo, de forma inteligente fez muita circulação de bola e acabou por em alguns lances perder a concentração e permitir que por 3 ou 4 vezes o Marítimo pudesse ter reduzido o marcador. Valeu no momento final, Beto que fez um punhado de defesas de elevada dificuldade.


Foi um jogo de baixo ritmo e muito morno. Felizmente não surgiram lesões nem entradas como a do benfiquista Nelson Oliveira no último jogo para o campeonato.
Destacar igualmente Varela que surgiu a um bom nível na equipa, depois de alguns jogos muito abaixo do normal.

Mais uma festa agradável desta vez na Ilha da Madeira que registou um número considerável de portistas. Foram eles que viram ao vivo, pela primeira vez na história do FC Porto, uma equipa terminar a época sem derrotas.

Objectivo do campeonato cumprido, tempo agora de preparar as duas finais que aí vêem.

Declarações de Villas-Boas:



Tal como Villas Boas disse, Sapunaru deverá recuperar, tal como Fernando e Moutinho. Já no caso de Fucile, Rafa e Cristian Rodriguez a recuperação está fora de hipótese.

O sonho continua… dentro de 4 dias.

Força Porto.
Ricardo Jorge

5 comentários:

100% Dragão disse...

Boa Noite

Ser Campeão invicto é um feito incrível!

Parabéns a nossa jovem equipa e ao nosso jovem treinador.

abraço

http://100porcentodragao.blogs.sapo.pt/

P. Ungaro disse...

Boas,

infelizmente não vi o jogo, foi a primeira vez esta epoca, mais ainda que as radios portuguesas só transmitiram o jogo entre o 3º e 4º lugar, deixando de foram o campeão e o feito historico (depois do 25 de abril) de ser a unica equipa invicta do campeonato.
Com os nossos melhores marcadores de fora da equipa demonstramos mais uma vez que somos um todo ... esse é o nosso segredo ... e felizmente temos um treinador que compreende o que é SER PORTO !!!
Independentemente do resultado das 2 finais que faltam a grande contratação da epoca é o "miudo" AVB !!! não tenho adjectivos para descrever o fabuloso trabalho que fez esta epoca.
Ter um treinador de sangue azul, humilde, dedicado e trabalhador é o ingrediente principal para fazer deste porto campeão.

Um abraço

http://fcportonoticias-dodragao.blogspot.com/

dragao vila pouca disse...

Meus caros amigos, não vi o jogo, nem ouvi o relato, não sei se jogamos bem, mal ou assim-assim, mas também não interessa. O que é importante referir é que esta época foi fantástica e histórica. Este Porto de André Villas-Boas é o melhor de sempre, com 27 vitórias e apenas 3 empates, em trinta jogos, melhor defesa, melhor ataque, os dois melhores marcadores do campeonato. Para além disso e que já é muitíssimo, esta equipa jogou mal poucas vezes, bem muitas vezes, deu espectáculo por várias vezes. Sem esquecer a cereja no cimo do bolo, CAMPEÕES na Luz, supremo vexame para o mais, maior, melhor, grande clube do mundo, que, incapaz de qualquer gesto de fair-play, lamentavelmente só lhe ocorreu apagar a luz e ligar a água.


A superioridade deste PORTO VINTAGE, colheita 2010/2011, é esmagadora e deixa o segundo a 21 pontos, maior diferença de sempre e o terceiro a 36. Perante todos estes argumentos, que só quem é cego não vê, o que fazem aqueles que deviam ser os primeiros a destacar o brilhantismo do campeonato portista? Entretêm-se, com ajuda de uns vermes, uns sabujos e um saco de mijo, perfeitamente identificados, a denegrirem o melhor clube português. Quando já era praticamente garantido que um dos finalista da Liga Europa seria o F.C.Porto e o outro, pensavam eles, seria o Benfica - é só ver o que andava e ainda anda por aí, com promoções para Dublin e tentativa de vender bilhetes e viagens ao desbarato... -, as ratazanas de esgoto e para marcar terreno, começaram com as mais miseráveis campanhas contra os Dragões. Primeiro e com a ajuda de vários "artistas", que já estão identificados, a campanha para denegrir o F.C.Porto junto de jornais espanhóis; depois, quando os Tribunais deram razão ao F.C.Porto e a Pinto da Costa, apareceu um áudio, sem ponta que se lhe pegue, para cortar o impacto da notícia; finalmente, quando o Porto faz história, um vídeo ridículo, que só convence débeis mentais ou alcoólicos, que, frustrados e aziados, encontram nestes patetices, sem ponta por onde se lhe pegue, as alegrias de uma época desastrosa, com várias enrabadê-las a sangue frio.
Coitados dos tristes! Será que eles pensam que é assim que nos vão desmoralizar, para depois derrotar? Será que depois de tantos anos e com tantos exemplos, ainda não perceberam que esse caminho só nos dá força e motivação? Continuem por aí, a vossa má língua é directamente proporcional às nossas vitórias. Mas atenção, isto ainda não acabou e se houver normalidade, ainda vão ter de fazer mais duas campanhas difamatórias.

Notas finais:
Como vi o pequeno resumo do jogo, que obviamente não dá para muito, apenas destaco o passe, maravilhoso, de Guarín e o grande trabalho de Varela no 1º golo. O passe de James, que não fica trás do seu compatriota, para o 2-0 de Walter.
Não houve lesões e quarta-feira teremos em Dublin um Porto forte, confiante, motivado para continuar o compromisso com a vitória, porque esse é o nosso destino. Não é em vão que o nosso lema é: F.C.Porto a vencer desde 1893.

Muitos portistas no aeroporto e nos Barreiros a apoiar o Campeão. Tenho Maradona no pensamento quando me lembro de todos aqueles que, cegos pelo facciosismo e o sectarismo, são incapazes de reconhecer a grandeza nacional do F.C.Porto. Mas falta apenas uma semana para acabar a época... Depois vai haver muito tempo para tratar dos Serpas e afins, de todos aqueles que, por acção ou omissão, passam o tempo a sujar o nome do F.C.Porto.

Agora, concentração absoluta nas duas finais que temos para disputar, finais que queremos muito ganhar. O Céu é o limite, FORÇA PORTO!

Um abraço

Dragus Invictus disse...

Bom dia,

Ontem esta equipa 2010/2011 escreveu mais uma linda página da história do nosso clube. Fizeram um campeonato notável, e com todo o mérito conseguimos o ambicionado "resgate" do título que por linhas travessas nos foi dificultada a conquista na época transacta.

21 pontos de vantagem sobre o segundo classificado resume a época. Fomos implacáveis e vencemos com toda a justiça este campeonato, sem qualquer derrota. Fica o sabor amargo de 3 empates. Um diante do V. Guimarães por demérito nosso. Um em Alvalade fruto de uma arbitragem vergonhosa de Jorge Sousa, e outro diante do Paços com mais uma arbitragem vergonhosa do palhaço "Cómico" Machado.

Agora, a equipa tem como diz o Futre estar "concentradissima". Na quarta-feira temos uma Liga Europa que sonhamos conquistar e respeitando o Braga e com muita humildade e garra, poderemos vencer e fazer mais uma vez história a nível europeu.

Abraço e bom domingo

Paulo

http://pronunciadodragao.blogspot.com

Dragaopentacampeao disse...

Época de sonho sem dúvida alguma!

Mais um objectivo alcançado, num estádio sempre difícil. Campeões invictos, pela primeira vez!

Não há adjectivos capazes para classificar este momento histórico.

O jogo não foi um bom espectáculo de futebol, face ao ritmo de treino e quiçá ao instinto de defesa de alguns atletas, salvaguardando o mais possível a presença nas finais que se avizinham, muito mais importantes que a manutenção da invencibilidade. Não fora a bela exibição de Beto, na segunda parte e talvez esse desiderato não teria sido conseguido.

Relevo naturalmente a atitude dos atletas tendo em conta a sua predisposição para se aplicarem nos dois próximos confrontos, que espero, sejam para festejar.

Eu confio muito nesta rapaziada!

Um abraço