domingo, 23 de outubro de 2011

Vítor Pereira acertou em cheio!

Depois de alguns dias, semanas, meses com um tom crítico para com Vítor Pereira, hoje, reconhecer que Vítor Pereira teve o jogo, como treinador, mais feliz desde que assumiu o cargo de treinador principal.

Uma onda de opiniões durante a semana quase que exigiu a Vítor Pereira que mudasse radicalmente a equipa e que Walter merecia ser titular. Ainda que tenha o poder para decidir quem joga, Vítor Pereira, entendeu, com ou sem pressão da opinião pública, alterar a equipa e acertou em cheio!

E apesar de um temporal que se abateu na cidade do Porto, a equipa, fruto de uma dinâmica e rapidez de sectores, comandados por Belluschi e Defour, rapidamente mostraram aos adeptos que estava ali um FC Porto diferente. E foi no meio campo a chave da dinâmica da equipa.

Vítor Pereira manteve Fernando, que está a voltar às boas exibições, mas introduzir a dupla Defour e Belluschi, que se no jogo da taça ficou no ar a boa exibição perante uma equipa muito fraca, hoje, ficou novamente a boa exibição num nível mais exigente. Fica assim provado que estes dois jogadores têm qualidade para serem titulares no FC Porto.

No ataque, face à fraquíssima exibição de James, fez igualmente muito bem em chamar Varela, que assim, voltou a competir com qualidade e dedicação à equipa. Uma boa resposta do avançado quando ainda hoje o jornal do Benfica o dava em Janeiro num clube espanhol!

Na defesa, seria mais expectável ver Mangala no lugar de Rolando, mas aqui, acabou por estar bem, ao dar oportunidade do jovem Françês mostrar o seu valor. Esteve bastante bem, para o enquadramento que tem com a equipa.
Numa primeira parte que o FC Porto marcou 2 golos, poderia e teve oportunidades claras para marcar pelo menos mais um, quando Belluschi, isolado, rematou à figura. Do outro lado, o Nacional com o passar do tempo, tornou-se mais perigoso e teve alguns lances perigosos na defensiva portista, que teve em Alvaro Pereira um elemento fundamental.

Na segunda parte, o jogo baixou de ritmo e viu-se um Nacional nos primeiros minutos à procura do golo que certamente iria dar um tónico diferente ao jogo. Mas o FC Porto, apesar de mais lento, continuou atento e a controlar o jogo, ainda que não tenha criado muitas oportunidades de golo para além dos 3 golos marcados.

E de facto, foi um FC Porto super eficaz nesta segunda parte. Sem jogar com a qualidade dos primeiros 20 minutos da primeira parte, o FC Porto consegui gerir o resultado ao intervalo e aproveitar as únicas e claras oportunidades de golo.

E se na escolha do onze Vítor Pereira esteve assertivo, também nas substituições esteve atento e foi cirúrgico a refrescar o meio campo com as entradas de Guarin e Moutinho, que fez com que chegasse o KO ao Nacional. E foi já fruto da qualidade de Moutinho e da vontade de Kléber não ficar atrás, que o 4º e 5º golo surgissem já perto do final.





A destacar neste jogo, em primeiro lugar Vítor Pereira, pela forma como conduziu a equipa, desde a escolha do onze inicial até às substituições, Alvaro Pereira, que esteve muito bem defensivamente, Walter que picou o ponto e assistiu para outro golo e as unidades do meio campo que claramente mexeram com a dinâmica da equipa, onde destaco individualmente João Moutinho, não por ter sido um dos melhores, mas pelos poucos minutos em campo, mostrou que não ficou minimamente afectado por ser suplente e demonstrou em campo, com a qualidade que tem.

Uma nota para Hulk, que apesar do fantástico gesto técnico no último golo do jogo, esteve mais uma vez muito distante do que já fez este ano, muitas perdas de bola, parece que está sem ideias, mas ainda assim, é decisivo e marca alguma diferença comparativamente, mas, não é o verdadeiro Hulk.


Todas as imagens dos jogos do FC Porto.
(Clique na imagem para entrar)

Por último nota negativa para o árbitro Cosme Machado. Quando deveria passar ao lado do jogo, tornou-se irritante, ao assinalar faltas que não existirão e ao não assinalar outras que existirão. Curiosamente até foi um jogo sem cartões o que não deixa de ser curioso!

Agora é tempo de assentar estas ideias e iniciar um percurso em definitivo rumo às vitórias e aos objectivos a curto prazo, que passa por continuar em primeiro lugar na Liga e assegurar a passagem aos oitavos de final da Champions.

Espero que Vítor Pereira tenha percebido em definitivo, que por vezes, é preciso mudar, não se pode insistir em colocar sempre os mesmos e mais grave, tirar da equipa quem acaba de realizar um jogo muito bom. Não querendo voltar aos maus exemplos do passado, hoje, espero que Vítor Pereira tenha percebido que Belluschi e Walter são para manter na equipa, pois estão a jogar bem, a terem uma entrega total à equipa e a serem decisivos para a equipa.

Força Porto.
Ricardo Jorge

6 comentários:

dragao vila pouca disse...

Numa tarde/noite de muita chuva e muito vento, 23.135 portistas disseram presente e viram um Porto remodelado - em relação ao jogo frente ao Apoel, entraram de início Mangala, Defour, Belluschi, Varela e Walter, saíram Otamendi, Moutinho, Guarín, Kléber e James -, mas ainda em convalescença. Alternando períodos razoáveis, com períodos cinzentos, onde era notória uma grande falta de confiança, demasiada precipitação - parecia que a bola queimava nos pés de alguns jogadores... -, alguma desorganização, principalmente na esquerda, onde Alvaro Pereira está longe do jogador que encantava a plateia do Dragão, a equipa portista goleou, mas uma goleada que está longe de ter correspondência na qualidade de jogo do Campeão.

Em síntese, foi, mais coisa, menos coisa, o que se passou esta noite no Dragão...

Como mais vale ganhar e golear mesmo a jogar pouco que perder ou empatar a jogar muito, vamos pensar que com menos pressão as coisas comecem a entrar no caminho e já na sexta possamos juntar o útil ao agradável.

Abraço

Carla Correia disse...

olá!

o resultado foi de longe bem melhor que a exibição. o nacional foi uma equipa fácil, pois é um nacional muito abaixo das últimas épocas. belluschi tem que se manter titular. espero que VP perceba isso...

Esperemos que, pelo menos, esta goleada dê ânimo, mas gostava de ver melhores exibições...

Dragus Invictus disse...

Bom dia,

A exibição não foi convincente. Ainda denotamos muito nervosismo. Existem jogadores que passam a bola como quem atira pedradas aos colegas.

Mangala, Defour, Walter e Belluschi cumpriram, e foram uma lufada de ambição na equipa.

O que interessa é ganhar, e encontrar o melhor onze para atacar o campeonato e champions até à paragem de natal.

Abraço e boa semana

Paulo

Rui Anjos (Dragaopentacampeao) disse...

Mais uma exibição pobrezinha, apesar da maior velocidade e dinamismo emprestados pela chamada à equipa de Mangala, Belluschi, Defour, Walter e Silvestre Varela.

Continuam evidentes a falta de sincronismo e sobretudo de confiança, patenteadas nas deficientes recepção da bola e qualidade de passe, na dificuldade de ligação das jogadas e na escolha da melhor opção.

De enaltecer a coragem de Vítor Pereira ao mexer tão profundamente na equipa, passando a mensagem correcta aos jogadores. Quem quiser jogar terá de se esforçar e trabalhar para merecer ser escolhido.

Sem jogar bem o FC Porto ganhou bem e conseguiu um resultado volumoso que faz do seu ataque o mais realizador do campeonato. Gostei muito da exibição de Mangala.

Um abraço

austria87 disse...

Boa tarde, não há algo que se possa fazer para correr com o locutor e o comentador daquela televisão?
Estou farto de os aturar...

TertúliaPortista disse...

Oi amigo uma vitória importante sim.
Saudações Portistas
Muito sucesso!

Melhores cumprimentos


http://tertuliaportista.blogspot.com/