sábado, 5 de novembro de 2011

Para quando um jogo à Porto?

Se para a Champions o FC Porto não joga bem e não tem ganho já nas competições nacionais, e depois dos 2 empates consecutivos o FC Porto, soma 4 vitórias consecutivas, 19 golos marcados e nenhum sofrido.

É caso para dizer que o FC Porto tem dupla personalidade e quando se esperava que fosse na Champions a competição que iria motivar mais os jogadores pois bem, para além de não existir motivação o empenho tem sido claramente constrangedor, quando os adversários são do nível do APOEL, Zenit e Shakthar, equipas que não estão na elite do futebol europeu.

Ainda que as exibições não estejam a ser magníficas é um facto que o FC Porto tem ganho sem margem para dúvidas e tem gerido a famosa pressão vinda da comunicação social de Lisboa da melhor maneira, mantendo-se no primeiro lugar com uma diferença já significativa de golos marcados e sofridos.

A visita ao Olhanense fecha um ciclo consecutivo de 6 jogos e antecede mais uma jornada europeia para a selecção Nacional. Como tal, não só por vir de uma derrota, talvez a mais penosa e difícil de gerir, é importante o FC Porto fechar este ciclo no primeiro lugar, sobretudo quando os seus adversários directos irão se defrontar nestas 2 próximas jornadas.

O Olhanense tem realizado uma época bastante interessante, actualmente isolado no 7º lugar a um escasso ponto de entrar na luta pela Europa, tem jogado bom futebol mas não tem sido muito regular, sendo os 12 pontos já conquistados fruto de 3 vitórias e 3 empates, tendo somado igualmente 3 derrotas. Também nos golos, esta equipa marca tanto quanto sofre, o que demonstra a irregularidade exibicional. Ainda assim, será o 3º confronto com os grandes, tendo empatado em Alvalade e perdido na Luz pela margem mínima.

Do lado do FC Porto, mais uma vez, muitas mexidas irão ocorrer na equipa. Desde logo a ausência dos laterais direitos habitualmente titulares, que se junta a Djalma, Iturbe, Rafa e Cristian Rodriguez, este último com a situação menos clara do motivo de ausência.

A convocatória foi assim a mais óbvia tendo ficado de fora por opção técnica apenas Souza, o que não deixa de ser uma surpresa no seguimento das declarações infelizes do empresário de Guarin, supostamente com o aval do jogador pois o mesmo não veio desmentir o autor dos comentários que surgiram na comunicação social esta semana.

Mais um episódio triste associado a Guarin, quem no passado recente, e depois da derrota em Zenit, entendeu, publicamente, comparar o actual FC Porto com o FC Porto de Jesualdo Ferreira.

Lista de convocados: Helton, Maicon, Alvaro Pereira, Guarín, Belluschi, João Moutinho, Kléber, Hulk, Rolando, Varela, Walter, James, Mangala, Fernando, Alex Sandro, Otamendi, Bracali e Defour.

Vítor Pereira surgiu na habitual antevisão do jogo muito irritado e alterado, passe a redundância. Mais um exemplo da intranquilidade que se vive no grupo. No passado estas situações eram resolvidas com um blackout, e lembro-me muitas vezes do sucesso do mesmo.

Infelizmente não tem sido colocado em prática e nos momentos menos bons surgem declarações dos intérpretes que colocam ainda mais o FC Porto numa posição mais frágil.

Vítor Pereira a responder directamente a questões como as declarações do empresário do Guarin ou mesmo das críticas que têm surgido na comunicação social acaba por passar uma imagem que as mesmas estão a mexer com ele e com o grupo.

Importante que todos percebam que as situações menos boas têm de ser resolvidas à Porto, ou seja, dentro do grupo e não para a comunicação social. Isto é válido para os treinadores e jogadores e até para a própria SAD, que tem sido a única a não prestar declarações muito efusivas sobre estes temas.

Vítor Pereira continua com o desafio de colocar a equipa a ganhar e a jogar bem ao mesmo tempo. Frente ao Olhanense não serão as ausências que o deverá condicionar mas a motivação do grupo de trabalho e as escolhas mais assertivas para este jogo.

No sector defensivo, Otamendi deverá regressar à equipa mas desta vez para jogar do lado direito, que não será uma novidade, uma vez que já jogou nessa posição na selecção Argentina.

No meio campo, certo estão Fernando e Moutinho. Quando à terceira novidade a duvida é grande. Guarin não deverá ser titular, não tanto pelas exibições mas sobretudo pela postura fora de campo que tem adoptado.

Quando a Belluschi, depois de alguns jogos em bom nível, voltou a desiludir para a Champions tal como Defour, que depois de um jogo muito positivo frente ao Nacional, eclipsou-se!

Existem vozes e não me parece assim tão descabido que James poderia jogar no meio campo, invertendo-se o triângulo do meio campo, jogando o FC Porto com um jogador mais semelhante a um ‘10’ do que dois ‘8’. Se não for opção de Vítor Pereira, penso que seria uma estratégia a trabalhar no futuro de modo a imprimir mais dinâmica e opções para a equipa.

Se não for no meio campo, James regressará ao sector atacante, até porque Varela voltou a eclipsar-se depois de ter sido considerado o melhor em campo frente ao Paços de Ferreira.

Outra dúvida é quem será o Ponta de Lança! No último jogo para o campeonato Walter foi titular mas não marcou tendo visto o concorrente directo fazer aquilo que ele faz melhor, que foi em poucas oportunidades marcar um golo. Numa lógica de Vítor Pereira, Kléber regressará à titularidade.

Equipa Provável: Helton, Otamendi, Alvaro Pereira, Rolando e Mangala, Fernando, Moutinho e Belluschi, James, Hulk e Kléber.

Este Olhanense está claramente ao alcance do FC Porto e de uma vez por todas este FC Porto tem de ganhar alento para uma caminhada sólida rumo a mais títulos, é certo que estamos em primeiro lugar, mas também é certo que depois de uma época única na história do FC Porto e quando se manteve todo o plantel, com excepção de Falcão, e a equipa técnica veio em parte da última época, esperava-se bem mais, globalmente, do FC Porto.

O espírito da época de 2004 paira no ar, mas é preciso romper com o passado, mesmo que seja necessário novo treinador e/ou novos jogadores. Mas esta decisão tem de ser tomada rapidamente sob pena de o vírus da Champions alojar-se também nas competições nacionais.

A fórmula é simples. Um treinador arrojado nas suas decisões, que arrisque mais e jogadores mais motivados em vestir a camisola do FC Porto. E rever os aspectos físicos dos jogadores pois qualidade não perderam mas é notório que não conseguem, seria especulação em demasia dizer que não querem, aguentar mais do que 45 minutos em bom ritmo.

Os adeptos não têm tido muita paciência é certo, mas não podemos aceitar exibições como as que aconteceram frente ao Feirense, Zenit e APOEL, até porque são equipas de menor dimensão que conseguiram bloquear este FC Porto. Basta!




O jogo está marcado para as 20:30 e terá transmissão na TVI. Portanto já sabem, Mute!

Força Porto.
Ricardo Jorge

4 comentários:

Dragus Invictus disse...

Bom dia,

Após uma semana de muita revolta e tristeza por parte de nós adeptos, todos nós ansiamos que a equipa, que tem o orgulho ferido, dê uma resposta dentro de campo.
Espera-se uma exibição consistente que permita a conquista dos 3 pontos diante de um adversário muito bem orientado pelo Dauto.

As declarações do empresário de Guarin dão a entender que além da má preparação física e táctica da equipa, o treinador não tem "mão" em alguns atletas que pensam que são mais do que aquilo que são.

Era de esperar que um treinador que na época passada por ser adjunto era confidente dos atletas, seja alvo de abuso de confiança por parte dos mesmos.

Esperamos profissionalismo por parte dos jogadores.
A glória é efémera. Tudo o que conquistaram perderá significado na memória colectiva se os resultados actuais envergonharem o clube.

Vamos ver se é desta que acordam pra vida!

Abraço e bom fim de semana

Paulo

dragao vila pouca disse...

Este é um dos tais jogos em que não é preciso fazer grandes conjecturas, apelos a isto ou aquilo, a tudo e mais alguma coisa. Não. Ou mostramos carácter, fibra, orgulho Dragão e damos uma resposta clara, inequívoca, um forte abanão no cinzentismo ou tudo vai continuar na mesma... A instabilidade é inimiga da confiança e sem confiança a qualidade não aparecerá e o caminho ficará com mais e maiores obstáculos. Gostei do que ouvi a Vítor Pereira na conferência de imprensa de antevisão do jogo de amanhã, mas temos de passar da teoria à prática, sob pena da coisas piorarem e o ambiente ficar complicado. Que tal sermos Porto em Olhão? Que tal transformarmos as azias, sentimentos de injustiça e revolta, em bom futebol, o que tornaria tudo mais fácil?

Abraço

Artigosonline/ana disse...

Boas,
Não há muito a dizer para este jogo. É para ganhar, com boa ou com má exibição, por isso,
Força FC Porto!

Cumprimentos

Ana Andrade

www.portistaacemporcento.blogspot.com
www.artigosonlineanaandrade.blogspot.com

Saviz disse...

Peço-vos que se registem neste fórum: http://quadrotatico.forunspt.com/index.php

OBRIGADO!