quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

Sabias que o recorde absoluto mais antigo da natação portuguesa pertence a uma nadadora do FC Porto?

Foi em 15 de Janeiro de 1983, na saudosa piscina das Antas, que Alexandra Silva, então atleta júnior do FC Porto, nadou os 1500 metros livres em 16.48,2 minutos, tempo que se mantém inalcançável passados 29 anos.
Multicampeã, internacional, recordista nacional e Medalha de Valor Desportivo do FC Porto, durante a década de 80 destacou-se como uma das nadadoras mais carismáticas da natação nacional e do FC Porto em particular.
Nadadora fundista, Alexandra Silva era imbatível nas provas de fundo e é ainda ainda detentora de vários recordes nacionais de categorias nos 400, 800 e 1500m livres.


P(fcpnatacao): Fale-nos um pouco de si: onde nasceu, idade, habilitações e a sua actividade profissional actual.
[AS] Nasci no Porto, há 41 anos (9 Fevereiro de 1967). Tirei a licenciatura de Medicina Dentaria pela FMDUP,e exerço a profissão de Médica Dentista.

P(fcpnatacao): Com que idade e onde começou a praticar natação?
[AS] Por volta dos 6 anos, fui para as escolas do F.C.Porto (piscina das Antas).

P(fcpnatacao): Lembra-se da sua primeira prova?
[AS] Sinceramente não, mas lembro-me de uma das 1ªs, nadei 50m mariposa e fiquei logo em 3º lugar. Fiquei radiante, logo a mariposa.

P(fcpnatacao): E momentos maus? Também os teve ?
[AS] Felizmente não tive muitos. O que senti mais, sem duvida, foi o facto de não ter ido aos jogos olímpicos de Los Angeles. Fiquei a 5 segundos dos mínimos aos 800 m livres e 1,5s aos 400m. Mais triste fiquei quando reparei que com os tempos que tinha na altura, tinha chegado à final B desses mesmos jogos. Foi pena...

P(fcpnatacao): Como eram na altura as condições de treino ?
[AS] Durante o Inverno treinávamos em piscina de 25m, na piscina das Antas. No verão, antes de existir a piscina de Campanhã, íamos treinar a Guimarães, à Povoa de Varzim e os estágios para campeonatos da Europa, por exemplo, eram feitos em Lisboa na antiga e única piscina dos Olivais. Faziamos ginásio (na piscina das Antas) e não tinhamos massagista... enfim, outros tempos. Super amadores em tudo. 

P(fcpnatacao) : Como conseguia conciliar o treino de alta competição com os estudos?
[AS] Com dedicação e esforço tudo se consegue. Na altura não havia facilidades para a alta competição. Faziamos os testes do Liceu tal como qualquer aluno e para o acesso a faculdade eramos mais um candidato ao acesso ao ensino superior, sujeitos às médias dos cursos pretendidos, como qualquer outro. Levantava-me às 5:15 para ir treinar às 6 da manhã antes das aulas e depois ao fim da tarde.

P(fcpnatacao): Quais eram os seus estilos e provas preferidas?
[AS] Os meus estilos preferidos eram Crawl (estilo livre) e Mariposa. Quanto às provas, sempre preferi as provas mais longas, 400m, 800m, 1500 livres e 200 mariposa. Também gostava de nadar 400 Estilos.

P(fcpnatacao) : Quem eram as suas principais rivais na altura?
[AS] Recordo, como a minha principal rival na altura, a Alexandra Nogueira, então nadadora do Sport Algés e Dafundo.

P(fcpnatacao): Conte-nos uma história, uma situação engraçada em que, de alguma forma, se tenha envolvido ao longo da sua carreira como nadadora.
[AS] Uma situação marcante, mas não propriamente engraçada, foi vivida num meeting na Tunisia. Já na capital (Tunis) num treino antes do inicio do meeting fomos retirados à pressa de dentro da piscina e transportados para o hotel no meio de uma revolta popular (guerra do pão). Retidos no hotel, foram momentos de muita ansiedade até conseguirmos vôo de regresso.

P(fcpnatacao): Sabemos que terminou a sua carreira como nadadora de competição muito cedo, apenas com 19 anos, o que sentiu nesse momento?
[AS] Custou muito tomar essa decisão, mas na altura senti necessidade de optar entre estudos e natação. Como não segui nenhum curso relacionado com o desporto e na altura não havia apoio ao atleta de alta competição, que hoje existe, e muito bem, optei pela minha dedicação a 100% ao curso. 

P(fcpnatacao): Em que medida a prática da natação de competição influenciou a sua personalidade?
[As] Ajudou-me a ter sentido de responsabilidade, espírito de sacrifício e perseverança. A gerir a minha vida sempre com objectivos, sejam a curto ou longo prazo.

P(fcpnatacao): Como justifica que alguns dos seus recordes nacionais continuem por bater?
[AS] Justificar não sei verdadeiramente. Costumo brincar e dizer que nasci cedo de mais para a natação. Mas acho que hoje em dia, e apesar de todos os apoios, há muitas solicitações fora do desporto que dispersam a sua total concentração na modalidade. E em fundo, essa total dedicação é fundamental, exigindo muito espírito de sacrifício e dedicação.

P(fcpnatacao) : Como vê o futuro da natação no nosso País e particularmente no F.C. Porto?
[AS] Quanto ao F.C.Porto, perdeu muito do seu carisma quando ficou sem as suas instalações. Julgo fazer muita falta o nosso '”cantinho”, a nossa casa. Parece estar tudo disperso, escolas, competição.
Quanto ao nosso país, tem havido grande evolução, sobretudo em provas mais rápidas. Creio que para darmos o grande salto devíamos criar centros de estagio/estudo onde os nossos atletas de alta competição pudessem treinar e estudar ao longo de todo o ano lectivo. Aí teriam condições que permitiam a sua ideal evolução.

2 comentários:

Armando Pinto disse...

Que saudades da natação do F. C. Porto do tempo das piscinas cobertas de 25 metros das Antas. Os adeptos iam aos jogos de futebol mas antes passavam pelas piscinas, aliás essa era uma visita obrigatória de quem passava pela antiga cidadela desportiva das Antas, para ver os treinos e jogos, mais as modalidades amadoras no pavilhão de treinos (mais tarde chamado Pinto de Magalhães) ou no principal (rebaptizado Américo Sá). E como recorda esses tempos da Paula Santana, Teresa Figueiras, Alexandra Silva, etc...! Vamos ter fé que como está na ideia da comissão de apoio à futura recandidatura de Pinto da Costa, para o novo mandato presidencial, venha então finalmente uma piscina olímpica para o F. C. Porto!

Dragus Invictus disse...

Concordo com o Sr. Pinto.
A piscina olímpica é muito importante para o desenvolvimento da modalidade, para cativar os jovens à sua prática e para receber competições importantes.
Acredito que esta obra vai ser concretizada, pois os atletas merecem. Têm escrito páginas de conquistas na história eclética do clube.

Abraço

Paulo