domingo, 13 de maio de 2012

Estejam onde estiverem. Este é o nosso destino.

O FC Porto fechou a época 2011/2012 com mais uma vitória, a 5ª consecutiva, na melhor série em toda a época. Com o melhor ataque e a melhor defesa, o FC Porto cifrou em 6 pontos a diferença pontual para o 2º classificado.

Neste último jogo do campeonato, Vítor Pereira surpreendeu na escolha da equipa. Se era espectável ver Hulk para tentar o hat-trick, já no caso de Rolando e Alvaro Pereira nem tanto, face aos últimos jogos.

Foi um misto, dar mais uma oportunidade a jogadores como Mangala, Bracali, Djalma, Iturbe e mesmo Kadu e apresentar uma equipa competitiva para garantir os 3 pontos. E assim foi, o FC Porto apresentou-se forte, com boa dinâmica, seguro a defender e forte no sector atacante, onde James a 10, e Varela desequilibraram o jogo a favor do FC Porto. Foi uma primeira parte tranquila, bem jogada, melhor o FC Porto nos primeiros 25 minutos, melhor o Rio Ave até ao intervalo. Na segunda parte, Vítor Pereira deu uma oportunidade a Iturbe e mais tarde a Hulk, muito provavelmente, para sentir pela ultima vez a camisola do FC Porto!

A figura da segunda parte e do jogo acabou por ser Kléber, que na primeira parte tinha perdido duas boas situações de golo, mas que na segunda parte, marcou 3 golos de boa execução, tendo garantido o estatuto de 3º melhor marcador do plantel nesta época.
Foi claramente a aposta de Vítor Pereira, que nutre simpatia por este jogador e aliado ao facto de Janko não ter correspondido nos últimos jogos, apostou e saiu-se bem. Resta saber se quer Kléber, quer Janko, têm potencial para ficar no plantel na próxima época! Destacar do lado do FC Porto Varela, não marcou, mas assistiu para 3 golos dos 5 marcados pelo FC Porto.
Desequilibrou no seu flanco e quando está no seu melhor, é de facto um jogador com estatuto de titular indiscutível. O regresso de Alvaro Pereira foi também nota de evidência, o Uruguaio esteve ao seu nível, menos ofensivo, mas seguro defensivamente, ainda que tenha passado grande parte da 2ª parte, em picardias com Atsu.

Oportunidade para Iturbe e Kadu somarem minutos nesta Liga. Iturbe, mais uma vez com muita ansiedade, mas sem posicionamento em campo, primeiro no centro, depois na ala esquerda, teve mais uma vez pouco tempo de jogo, mas é evidente a garra deste Argentino que transparece potencial. Quando a Kadu, com 17 anos, somou 15 minutos em campo e fez uma boa defesa. Desde os seus 15 anos, que este guarda-redes é visto como o futuro dono da baliza do FC Porto.



Última nota a destacar Atsu. É sem dúvida um jogador acima da média, não se limita ao seu flanco, joga pela esquerda, pela direita, pelo centro, arranca em velocidade, assiste e marca golos. Se nos juniores já era uma certeza, esta época evoluiu e demonstrou potencial para estar no plantel do FC Porto na próxima época. Já Kelvin, o outro jogador do FC Porto emprestado, esteve ao nível de toda a época, com alguns rasgos, mas muito agarrado à bola e sem grande discernimento ou capacidade de desequilibrar. À partida terá que rodar mais um ano para se avaliar o potencial. Feitas as contas, não foi uma época à imagem da última, mas repetir um dos melhores anos da história do FC Porto não era fácil, sobretudo quando se perdeu o treinador e o melhor avançado da Europa.


Todas as imagens dos jogos do FC Porto.
(Clique na imagem para entrar)

Mas se no campeonato a equipa esteve praticamente imaculada, apenas Bruno Paixão derrotou o FC Porto, já a campanha europeia foi extremamente negativa, quer a nível de resultados, quer a nível de exibições, fruto sobretudo de uma má gestão administrativa no mercado de verão que colocou a equipa do FC Porto apenas com potencial para disputar as provas nacionais.

Confirmada está a manutenção de Vítor Pereira como treinador do FC Porto para a época 2012/2013. Quanto a jogadores não foi perceptível sinais de despedidas o que pode demonstrar que nada está certo no que diz respeito à saída de Hulk, Moutinho, James, nem mesmo de Rolando ou Alvaro Pereira. Finalizada a festa nos aliados muitos dos jogadores entram de férias mas outros estarão agora concentrados nas selecções.
Importante a SAD e equipa técnica conclua a definição e planificação da próxima época. Se a nível nacional, independentemente das saídas, o FC Porto continuará forte, já a nível internacional é necessário mais qualidade, sobretudo no sector atacante. 



Todas as imagens dos jogos do FC Porto.
(Clique na imagem para entrar)

Galeria de imagens da festa do bicampeonato na Avenida dos Aliados (Clica para visualizar).



Estejam onde estiverem. Este é o nosso destino.
Ricardo Jorge

3 comentários:

Dragus Invictus disse...

Bom dia,

Ontem por motivos pessoais, não comentei a antevisão à partida, não vi o jogo, não pude ir aos Aliados, enfim apenas fiquei diante da TV a assistir à linda festa de saudação aos nossos bicampeões, na sala de visitas da cidade Invicta.

Fim de campeonato, é tempo de balanço.

Muitas vezes ao longo da época desanimei, o coração fazia-me acreditar que seriamos campeões, mas a razão por vezes apontava em sentido contrário. Dizia mesmo que se fossemos campeões esta equipa seria alvo de estudo por parte dos estudiosos do fenómeno desportivo, tal era a inconsistência exibicional. Parecia uma equipa bipolar.

A SAD cometeu o erro de não assegurar um goleador aquando da saída de Falcao. Foi apanhada desprevenida, e isso reflectiu-se competitivamente mais nas competições europeias do que nas nacionais.

Também a SAD teve dificuldades no gerir das expectativas de alguns jogadores, que não estavam de alma e coração no FC Porto, e assim esses elementos foram contaminando outros no seio do grupo.

Vítor Pereira, treinador com pouca experiência teve dificuldades evidentes em gerir aquelas emoções que por lá pairavam e poluíam o balneário.

Mas eis que surge o nosso grande Presidente Pinto da Costa, que em Janeiro contrata Lucho, um grande profissional e homem de balneário, sobe Paulinho Santos a adjunto, desfaz-se de Guarin, um atleta que me desilude declaração após declaração ... oh meu se não fosse o FC Porto ainda rompias banco em França, e não passavas de um jogador esquecido ... empresta os descontentes Belluschi e Walter, e notoriamente com este simples acto de gestão, Pinto da Costa coloca o barco no rumo certo, com a malta toda a remar para o mesmo destino, o Bicampeonato.
Ao longo destes anos Pinto da Costa sempre defendeu os seus treinadores, fê-lo com Fernando Santos, Penta Campeão, quando o engenheiro saiu sob escolta da GNR de Paços de Ferreira.
Vítor Pereira não foi despedido, porque o presidente sabia que o problema não seria somente dele.
Vítor Pereira complicou o seu trabalho ao querer introduzir o seu cunho pessoal na equipa, não aproveitando o trabalho de AVB, e esse foi um erro típico de um treinador com pouca experiência.

Fomos uns justos e merecidos campeões. Somos melhores, não somos fanfarrões, somos humildes, lutadores ... SOMOS PORTO!

Os Serpas, Delgados, Cervans, Gomes da Silva sob o guião de Leonor Pinhão têm dado palha aos burros, que se vão entretendo criando fábulas para justificar a sua impotência para vencer o campeonato.
Basta ouvir um comum benfiquista falar connosco, para verificar que o orelhas para gerir o clube não vale um caralho, mas para dar palha a burros é fenomenal.

Somos Bicampeões, o clube português mais titulado, é um orgulho e uma bênção ser portista.
Nota final para Hulk que na flash interview, mais uma vez demonstrou que além de um jogador de eleição, é um grande homem. Sempre humilde, e respeitando o nosso clube e colegas de equipa, foi sensato na abordagem ao seu futuro. Se Hulk sair merece um clube grandioso como o nosso.
«Temos sempre motivação, queríamos ganhar para fechar de forma mais bonita. Nunca pensei em jogar e fazer golos, mais importante é a equipa.
Claro que gosto de jogar sempre, mas respeito o mister. Há no plantel jogadores que mereciam ganhar e ser campeões.
Agora, vou comemorar com adeptos e depois descansar. A seguir pensarei na seleção. Futuro? Tenho mais quatro anos com o F.C. Porto, está nas mãos do clube e do meu empresário. Só sei que vou fazer sempre o melhor, esteja onde estiver».

Findo o futebol, vamos agora apoiar o Basquetebol e o Hóquei que precisam de nós para conquistar os títulos em disputa.

Abraço e um bom domingo

Paulo

dragao vila pouca disse...

Um Porto muito diferente do habitual, de início, com apenas três jogadores que começaram o jogo frente aos leões de Alvalade, Moutinho, James e Varela e em clima de festa, ainda na fase de apalpar terreno e quando não tinha feito nada de especial, já estava a ganhar 2-0 aos 17 minutos, Djalma e James. Daí para a frente o Bi-Campeão, mesmo em ritmo que nunca foi muito elevado, dominou totalmente o jogo, jogou bem, atacando bem pelos flancos e podia, por várias vezes, ter aumentado a vantagem. Não conseguiu e claramente contra a corrente do jogo, o Rio Ave reduziu, num golo que não devia ter acontecido: João Tomás estava em fora-de-jogo quando foi tocado por Djalma para penalty, que o mesmo João Tomás converteu. Nos restantes 3 minutos até ao intervalo os vilacondenses animaram, ainda criaram uma situação de algum perigo, mas o resultado manteve-se.
Tudo somado, F.C.Porto justamente na frente, mas devia ter ido para o descanso com a vantagem de dois golos.

Na segunda-parte entrou Iturbe para o lugar de James e logo no início grande oportunidade, mais uma, que Kléber voltou a falhar. Só que o avançado brasileiro não podia falhar sempre e aos 5 minutos não perdoou, colocando o marcador num muito mais justo 3-1. Depois foi gerir, ainda reduziu a equipa de Vila do Conde, mas nunca ameaçou verdadeiramente a vitória portista que Kléber - não há fome que não dê fartura - com mais dois golos, colocou nos números certos.
Vitória justa, tranquila, numa boa exibição do BI-Campeão, apesar de faltarem muitos dos habituais titulares. Cumprida e bem cumprida, a missão - campeões a duas jornadas do fim, melhor ataque e melhor defesa -, agora... vamos festejar. Eles, os perdedores, medíocres e invejosos, assistem, roem-se todos, rogam-nos todas as pragas, chamam-nos todos os nomes, mas lá no fundo e não é preciso muito fundo, queriam ser como nós.

Abraço

Artigosonline/ana disse...

Boas,
E já está, este campeonato já está terminado e vencido. Os dragões foram a Vila de Conde vencer o Rio Ave e, assim, terminaram o campeonato em beleza. Este
era um jogo sem pressões para qualquer uma das duas equipas, visto que ambas já tinham conquistado os seus principais objectivos, mas para o FC Porto vencer
nunca é de mais. Exactamente por nenhuma das equipas ter nada a perder nem a ganhar, o jogo poderia ser mais monótono e, por isso, surgirem dificuldades.
Não foi assim, ou por outra, o FC Porto tratou sempre de resolver a questão, nunca deixando que os de Vila do conde pusessem em risco a vitória portista.
Por isso gostei do jogo, gostei da vitória e gostei que Vítor Pereira tivesse dado a oportunidade a Bracali e a Kadú de se sagrarem campeões, bem como
de ter dado minutos aos menos utilizados. De salientar, também, o regresso de Kleber aos golos, pena que não foi mais cedo … E depois foi hora de mais festa!
Desta vez na avenida dos Aliados.


Cumprimentos

Ana Andrade

www.portistaacemporcento.blogspot.com
www.artigosonlineanaandrade.blogspot.com