sexta-feira, 8 de março de 2013

Resolver cedo para depois gerir!

O FC Porto regressou hoje às vitórias, depois do dissabor do resultado obtido em Alvalade.

Por vezes em 15 minutos consegue-se aquilo que em 90, amiúde, é muito complicado.

Uma entrada forte no jogo, com velocidade de circulação de bola e pressão alta, permitiu-nos resolver cedo uma partida que se avizinhava complicada.

O Estoril é uma turma bem orientada, com bons executantes, bom toque de bola, que está a efectuar uma excelente campanha, e que nas últimas duas jornadas, obteve outras tantas vitórias.

Ao FC Porto cabia o favoritismo, mas havia a expectativa de ver como reagia a equipa à perda da liderança da liga.

Relativamente ao onze de Alvalade, VP só mexeu nas alas, colocando Atsu no lugar de Izmaylov, e James no lugar de Varela.

Logo aos 4 minutos, Maicon abriu o marcador numa finalização oportuna de cabeça, após pontapé de canto bem cobrado por James.
A equipa continuou na senda do segundo golo, que acabou por acontecer aos 14 minutos, após mão clara de Mano que deu lugar à marcação de um penalti convertido por Jackson.

A partir do dois a zero, pesou no subconsciente dos jogadores a partida da Champions na La Rosaleda, e o jogo tornou-se maçudo, entediante, com um Porto a gerir as operações, e um Estoril sem capacidade para importunar a baliza à guarda de Helton.

O pouco público do Dragão queria um jogo na mesma toada do primeiro quarto de hora, contudo tal não sucedeu, e os assobiadores saudaram a equipa aqui e ali.

O FC Porto nem uma dezena de remates efectuou, e esteve longe de ser um rolo compressor de futebol atacante.
Na segunda metade podíamos ter marcado mais um golo, e estou me a lembrar do lance de Danilo que culminou com um remate a centimetros do golo.

VP aos 57 minutos iniciou a gestão do plantel, retirando James e Lucho. 


Até final, foi o tic-tac do relógio e do nosso bem conhecido jogo, em contagem decrescente para a última apitadela do árbitro.

A figura do jogo foi Jackson, que marcou o seu 23 golo na liga, não vacilou no penalti, trabalhou imenso e teve alguns pormenores fantásticos.
Destaque também para Maicon que voltou aos golos, e que conseguiu uma exibição tranquila. 
O brasileiro bem merece, após uma lesão que lhe tirou a titularidade e depois de injustamente ter estado à mercê de alguns assobiadores.
Destaque para El Bandido que hoje demonstrou mais confiança, e que uma vez mais demonstrou a sua influência na cobrança de bolas paradas. James apesar de ter tido duas perdas de bola disparatadas, apareceu mais solto na partida e mais influente no nosso jogo ofensivo.
É muito importante que James regresse ao bom nível que vinha demonstrando antes da lesão.
Por último, destaque para um jogador que muito aprecio, que tem o Paulinho Santos "style", estou a falar de Castro.
Este rapaz disputa cada bola como se não houvesse amanhã, leva a equipa para a frente, e deixa envergonhados os colegas que estejam a pensar "pastar a burra".
É um jogador com raça, que tem genes portistas e que devemos acarinhar.

Agora venha daí a Champions, e que na La Rosaleda consigamos a qualificação para os quartos de final.
Somos melhores, mas os espanhóis tem um colectivo forte, e há que ser sérios e concentrados.

Força Porto!

Bom fim de semana

Paulo

4 comentários:

Dragaoatento disse...

Paulo!

Boa análise.
Depois o Nuno Almeida permitiu o jogo subterrâneo do Estoril e os Dragão talvez a prevenirem alguma lesão resguardaram-se.

Abraço e bom fim de semana

AMonteiro

dragao vila pouca disse...

15 minutos a jogar e o resto a poupar?

Veremos...
A resposta à interrogação só pode ser dada após os jogos de quarta-feira frente ao Málaga e domingo a oito dias contra o Marítimo, jogo a disputar na Madeira. Mais, a análise ao jogo de hoje que o F.C.Porto venceu com toda a justiça, mas com uma exibição muito abaixo do que seria exigível, também só devia ser feita após esses dois jogos. A razão é simples: se depois de tanto poupar e com isso irritar, ao ponto de levar muita gente arrepender-se de ter ir ao estádio; transformar o jogo, depois do 2-0 - Maicon aos 4 e Jackson de penálti aos 13 -, num longo e penoso bocejo; isso não significar uma exibição de qualidade, com total disponibilidade física e mental na Andaluzia e na Pérola do Atlântico, então o que se passou hoje no Dragão é motivo de grande preocupação para o futuro. Tanta falta de concentração e de atitude, tanta displicência, tanta vontade de complicar em vez de simplificar, tanta desinspiração, se não teve a ver com a cabeça já estar noutro lado, principalmente na montra que é a Champions, então, repito, temos de ficar a pensar no pior.

Abraço

Rui Anjos (Dragaopentacampeao) disse...

Depois de um calendário rigoroso e antes de um jogo para a Champions, não me choca este tipo de exibições, tanto mais que ela aconteceu depois de quase garantida a vitória.

É verdade que esta equipa, mesmo em poupança, tinha a obrigação de oferecer melhor espectáculo.

Agora todos esperamos um bom desempenho frente ao Málaga, até para justificar de algum modo esta economia de esforço.

Um abraço

Artigosonline/ana disse...

Boas,
foi uma vitória tranquila, conseguida cedo e que nunca esteve em causa. Portanto,
objectivo cumprido.


Cumprimentos

Ana Andrade

www.portistaacemporcento.blogspot.com
www.artigosonlineanaandrade.blogspot.com