domingo, 11 de agosto de 2013

Soma e Segue…


O FC Porto somou ontem o seu 74º título oficial e aumentou para 5 a diferença de títulos para o seu rival. Paulo Fonseca referenciou este facto e com toda a justiça.

Os jornais por outro lado, e sobretudo o jornal Record, entendeu que hoje o destaque era a contratação do novo jogador do Sporting e as eternas histórias de embalar tolos do clube do outro lado da 2ª circular. Mais uma razão para não gastar dinheiro com este órgão de comunicação e com todos os outros do grupo Cofina.

A vitória ontem era quase um dado certo. Sem tirar o mérito ao FC Porto e sobretudo à primeira parte realizada, o adversário está ainda longe da equipa que foi a época passada. Foi uma primeira parte muito forte e a um ritmo elevado por parte do FC Porto. Marcar o golo antes dos 10 minutos foi consequência normal do ritmo imposto e da boa qualidade de troca de bola dos jogadores.

E quando se pensava que o golo madrugador poderia estimular o adversário e no caso do FC Porto resguardar-se não, tudo de manteve, o FC Porto continuou com o mesmo ritmo e foi assim que surgiu o 2º golo e já perto do fim da primeira parte o 3º golo.

O adversário foi impotente quer para reagir de forma ofensiva quer para segurar o ataque do FC Porto. O resultado ao intervalo foi mais que justo pelo que se passou em jogo.

Na segunda parte, naturalmente, o FC Porto abrandou o ritmo e com o adversário mais concentrado e forte defensivamente e mesmo ofensivamente, o resultado ficou por aqui, sem antes que não tivesse existido boas oportunidades para o FC Porto marcar mais 1 ou 2 golos.

Paulo Fonseca deu a entender isso mesmo, poupou Defour, que vai jogar a meio da semana pela selecção, e deu claras indicações para que a equipa trocasse a bola a um ritmo mais baixo.

O jogo estava controlado e a vitória assegurada e numa altura em que a condição física não é ainda a ideal, foi o final de jogo perfeito para a equipa do FC Porto.

O FC Porto conquistou a sua 20ª Supertaça, aquele troféu que é desprezado por muitos ao contrário do que acontece com a histórica Taça da Liga!

Para além da vitória e de mais um título, este jogo serviu ainda para ajudar a definir o plantel final, pelo menos até Janeiro. Aquele que mais marcou pontos foi sem dúvida Licá. Para ter sido titular e mesmo convocado é porque Paulo Fonseca já contava com ele no plantel. Depois da exibição que fez, não fará sentido não ficar e tal como já tinha dito, provavelmente até poderá vir a ser a primeira alternativa a Jackson, isto de Ghilas não aparecer na equipa com golos e boas exibições.

Quem deverá ter lugar assegurado no plantel é Josué. Foi a primeira opção de Paulo Fonseca e é claramente um jogador que vai permanecer no plantel, não só porque Paulo Fonseca o conhece bem, mas também porque demonstra qualidade, se bem que, caso Fernando fique e venha um novo extremo, o empréstimo a um clube não seria negativo para a evolução do jogador.

Paulo Fonseca fez questão de não fazer o paralelismo entre a convocatória e a definição do plantel. Falou de Iturbe, muito, já de Castro não falou muito, deu claramente a entender que foi opção técnica e táctica, mas esta ainda indefinição dos nomes só será conhecida mais à frente, pois casos como Mangala, Otamendi, Fernando e Jackson continuam a impedir que sejam tomadas decisões sobre dispensas.

Infelizmente é assim, continua a SAD a não assegurar que nas cláusulas de rescisão exista uma data limite para serem accionadas e assim teremos até final de Agosto, no mercado europeu, e 15 de Setembro no Leste, para termos a definição final do plantel.

Quanto a novas entradas, o tema depois da vitória ficou adormecido, mas é preciso notar que o adversário era frágil, pois no jogo contra o Galatasaray foi notória a falta de qualidade nas alas. Josué poderá ser uma opção? Talvez, mas a época vai ser exigente e se o FC Porto trocou de treinador pela eliminação precoce frente a um Málaga, então é preciso dar condições a Paulo Fonseca para fazer melhor.

Está aí o inicio da Liga Portuguesa. O FC Porto arranca em Setúbal, reduto que cria sempre dificuldades à equipa adversária. Tal como na Supertaça, é fundamental começar bem.

Uma nota para a equipa de arbitragem, em concreto os fiscais de linha. Erraram em alguns foras de jogo, mais para o lado do FC Porto. Espero que estejam ainda em pré-época também.

Ultima nota para o forte apoio dos adeptos do FC Porto à equipa. Aveiro ficou vestida de Azul e Branco, e teve festa antes e depois do jogo. Excelente comportamento do adversário e adeptos.

Força Porto.
Ricardo Gonçalves Jorge

1 comentário:

Dragus Invictus disse...

Bom dia,

Fizemos um excelente jogo, fomos dinâmicos e criativos no ataque, e apresentamos momentos de grande futebol.
O nosso trio do miolo está em grande forma, o que é meio caminho andado para se dominar e vencer.

Lucho esteve muito bem no comando do nosso jogo, e Lica o homem do jogo foi um desequilibrador.
Lica possui a característica de entrar para dentro quando o ataque se desenvolve no flanco oposto, e pela sua compleição física podemos esperar muitos golos.

Cimentamos a posição de clube mais titulado no futebol, e com a nossa exibição fizemos tremer os nossos adversários.

Esta época temos mais e melhores soluções, e os nossos atletas demonstram uma alegria dentro do campo que já não via desde o reinado de Villas Boas.

Abraço e boa semana

Paulo