sábado, 8 de maio de 2010

Final justo e digno de um verdadeiro campeão




Terminou hoje, para o FC Porto, a Liga 2009/2010, para alguns a Liga dos Túneis, para outros a Liga do Ricardo Costa, outros até a Liga dos Stewards, para mim, foi simplesmente a Liga de tudo isto, juntando ao que é normal, as já péssimas e tendenciosas arbitragens.

O FC Porto, entrou mal no jogo, praticamente toda a primeira parte, não foi capaz de criar oportunidades de golo, muita lentidão, muita cabeça levantada à procura de Falcão e sobretudo muitas bolas perdidas. Hulk, não esteve nada bem, mas ainda assim, estava em jogo, ao contrário de Valeri, que não percebi a titularidade, nem percebi porque continuou em jogo até ao intervalo. São estas coisas que não percebo, nem percebi, durante a época, em Jesualdo Ferreira.

O União de Leiria, começou a criar perigo e chegou ao golo, numa boa jogada, mas muito consentida por Rolando e Beto, que foram claramente surpreendidos pelo avançado Cássio, que parecia nos festejos, ir ganhar o título de melhor marcador ou mesmo levar o seu clube à conquista de algum lugar importante.

Na segunda parte, tal como era esperado, saiu Valeri e entrou Cristian Rodriguez, que mexeu claramente com o sector ofensivo do FC Porto, que passou a alinhar em 4x3x3. Ao estar a perder, e apenas com 45 minutos de jogo até ao final, o FC Porto, passou a jogar mais para a equipa e nem tanto para Falcão, resultado, Guarin marcou, mais uma vez (não é perceptível que a bola bata em Falcão e logo coloque Guarin em fora de jogo), e logo depois, numa recarga, Falcão, fez finalmente o gosto ao pé.

Dois golos de rajada, que aniquilaram o União de Leiria. A partir daqui, o FC Porto, com a vitória mais ou menos assegurada, ainda sofreu alguns sustos, mas Beto, mostrou novamente estar em boa forma e ser claramente uma opção válida para o Mundial, ao contrário de que muito se fala em Rui Patrício, que só terá lugar no Mundial, dada a sua idade e para viver o mesmo, em balneário e junto dos restantes colegas.

A procura de mais golos e sobretudo para Falcão, resultou, apesar de Cristian Rodriguez ter preferido levar a sua jogada até ao fim, no 3-0. Penso que fez bem, pois é talvez dos jogadores mais azarados desta época, que fez muita falta, não tanto pelos golos que não marcou (este ano marcou 5 e ainda falta um jogo, contra os 7 do ano passado), mas sobretudo pelas jogadas que criava.

Mas era preciso mais golos de Falcão e numa desmarcação para o atacante o mesmo sofreu falta do guarda redes (não se vê uma intenção do guarda redes, mas existiu o contacto após o jogador do FC Porto ter jogado a bola, fica a dúvida de quem provocou esse contacto). Falcão, confiante marcou o seu 25º golo na Liga e 33º golo na época, obrigando o 2º melhor marcador a facturar amanhã, 2 golos.

Excelente 2ª parte, 4 golos, boa reacção à má primeira parte. Um resultado justo e digno de um verdadeiro campeão.

O FC Porto registou a 8º vitória consecutiva para o campeonato, 9º vitória consecutiva em jogos oficiais, com possibilidade de terminar a época desportiva com 10 vitórias oficiais consecutivas.

Desde o dia 24/3/2010, dia que coincidiu com a alteração ao castigo de Hulk, por parte do Conselho de Justiça e com a vitória em Vila do Conde, para a taça de Portugal, que o FC Porto, não perdeu mais, marcou 31 golos e sofreu apenas 6, num total de 9 jogos, com média de quase 3,5 golos por jogo.

Hulk somou nesta sequência de jogos mais 3 golos e muitas assistências para golos de colegas, totalizando, quando ainda falta 1 jogo oficial, 10 golos, os mesmos que marcou a época passada, com a diferença, de não ter estado 17 jogos oficiais sem jogar, dos quais 9 para a Liga e a final da taça da Liga, quando afinal o castigo deveria ter ficado pelos 3 jogos.

Concentração agora para a final da taça de Portugal, no próximo dia 16, e depois sim, a SAD deverá fazer tudo o que estiver ao alcance para repor a verdade desportiva e pedir contas a quem deliberadamente nos prejudicou, quer a nível desportivo quer a nível financeiro.

Ricardo Jorge



5 comentários:

pois disse...

Boas Ricardo,
Excelente texto, excelente narração, excelente visão. A continuar assim deixo de ver os jogos e basta-me vir ver o que escreve no fim, JJ (não é o mr. das bestas - just joking).
Este jogo foi como o do leixões e belenenses por ex. só que sem Hulk. E estando Hulk há uma coisa que sabemos e que os adversários também sabem - ele pode não estar sempre lá mas anda por lá (como o outro) e assim num momento de mágica a magia pode acontecer. E também com C. Rodriguez idem idem aspas aspas.
O que eu gostava que J. Ferreira - que mostrou o fervor do seu sangue no final da época, e até foi expulso duas vezes coinsecutivas - se passasse de vez e pusesse a equipa a jogar em 3x4x3. Com Fernando a fazer de 3º central e com os laterias a fazerem o quarteto do meio campo. Era contra o leiria e para quarto já não íamos...
O chaves perdeu em casa e desceu para a 2ª B, isto se não acabarem mais meia dúzia de clubes (incluindo também o chaves). Pode muito bem ser o ultimo jogo da vida do chaves a final da taça... Por falar em chaves, tem um presidente honorário, Emílio MAcedo, portista do coração, amigo do NGP e acho que tem (ou tinha há bem pouco tempo) tantas viagens a acompanhar o PORTO como PdC.
Saudações PORTISTAS

dragao vila pouca disse...

Depois de no jogo do Dragão, frente ao Guimarães, Valeri, na esquerda, ter sido um corpo estranho, não dando uma para a caixa, Jesualdo, mais uma vez apostou no argentino e lá está, as coisas não funcionaram. Valeri foi um a menos: desequilibrou a equipa, o meio-campo andou perdido, longe da frente, mal organizado e se a isso juntarmos Belluschi na direita, quando está na cara, que rende mais no meio e próximo da área, estão encontradas as explicações para a pálida primeira-parte do F.C. Porto, que chegou ao intervalo em desvantagem - Mesmo entrando pelos olhos dentro o que estava a correr mal no jogo do Dragão, Jesualdo, fiel aos seus princípios de nunca mudar antes da ida para as cabines, só o faz em caso de força maior, só alterou depois do descanso. E tudo mudou: com Rodríguez do lado esquerdo, no lugar do bibliotecário, o F.C.Porto voltou ao normal, fez uma excelente segunda-parte, chegou a ter momentos de brilhantismo, deu a volta ao resultado e se podia ter sofrido mais um ou outro golo, também podia ter marcado mais dois ou três, caso não houvesse a tentação de, em boa posição para marcar, procurar ajudar Falcao a ser o melhor marcador da Liga.

Uma palavra para as claques, que mais uma vez fizeram uma grande exibição. Mesmo numa temporada que correu mal, o apoio nunca faltou e isso merece uma palavra de parabéns, que dou com todo o prazer e sem qualquer tipo de complexos.

Um abraço

Rage disse...

Tenho de concordar que o FC Porto deu 45 minutos de avanço ao Leiria mas na segunda parte tudo mudou não só com a Substituição de Valeri por Rodrigues mas também pela mudança de atitude da equipa.
O Rodrigues foi oportunista no seu golo e não passou a bola ao Falcao porque ele também precisa de se mostrar ao seleccionador da sua Nação para ser um dos escolhidos para ir ao mundial mesmo com 2 jogos de castigo.
Embora a injustiça de sermos impedidos de jogarmos sem dois jogadores durante tanto tempo não justifique todas as más exibições durante a época na minha modesta opinião a impugnação do campeonato devia ser entregue já amanhã para azedar a festa do campeão.

Cumprimentos

Ricardo Jorge disse...

Talvez com Jesualdo Ferreira no banco, Valeri tivesse corrigido alguns aspectos, mas é um facto que este jogador já teve oportunidades a titular e a suplente, com equipas mais fracas e não rende. A situação que conheço é de um empréstimo a 2 anos, por um valor de 3,2M€, o que acho exorbitante, sabendo que a compra do passe rondará os 5M€, descontanto já o valor do empréstimo. Não. o FC Porto tem de acertar com as contratações e reduzir o nº de jogadores. Por lapso, não destaquei as claques do FC Porto. É verdade, tal como no Restelo, que estive no estádio, foi visivel, apesar dos pontos em atraso, uma alegria em apoiar o nosso clube. Eu como adepto, ainda ontem, festejei efusivamente os golos do Porto,em especial os do Falcão. E sim, amanhã, estou na espectactiva de ver a SAD a fazer algo contra o que se passou este ano.
Caro amigo portista "Pois". Obrigado pelas palavras.

Dragus Invictus disse...

Parabéns pela excelente análise.

O FC Porto desde que o Hulk voltou venceu todos os jogos, tendo Hulk demonstrado a quem lhe chama de egoísta, que não o é, contribuindo com assistências e golos.

Fomos altamente prejudicados pelo castigo imposto aos nossos dois atletas.

Espero que Falcao se sagre o melhor marcador.
Para primeira época no futebol português, vindo do futebol sul americano ... fez um trabalho excelente.
Nos últimos anos só mesmo Jardel se destacou na primeira temporada no futebol português.

Cumprimentos