sábado, 11 de dezembro de 2010

Exibição tranquila em noite de estreias

Foi com alguma naturalidade que o FC Porto passou à próxima eliminatória da taça de Portugal vencendo o Juventude Évora, por uns claros 4-0.

Villas Boas não brincou em serviço e apresentou, entre os convocados para este jogo, a equipa mais forte e rotinada com a excepção Belluschi que permaneceu no banco. Ou por respeito ao adversário ou por necessidade de apagar a má exibição frente ao Vitória de Setúbal, o que é certo é que o FC Porto entrou em campo forte, a pressionar, ainda que sem grande velocidade, mas a procurar marcar golos.
E foi numa jogada iniciada com uma recuperação de bola e cavalgada para o ataque que James Rodriguez assistiu Falcão para o primeiro golo. Dupla Colombiana a funcionar.


A partir daqui a tranquilidade instalou-se entre o FC Porto e as jogadas bonitas e qualidade de passe continuou. O adversário pouco podia e conseguia fazer, ainda que defensivamente mostrasse alguma qualidade e agressividade.




Com James Rodriguez a destacar-se nas jogadas e remates à baliza, foi então que mais uma vez a dupla Colombiana, desta vez, James e Guarin, permitiu a este último assistir João Moutinho que fez explodir o estádio do Dragão naquele que foi o primeiro golo oficial com a camisola do FC Porto. Finalmente João.

A qualidade deste jogador é estrondosa. Defendeu, recuperou bolas, lançou ataques e hoje fez aquilo que faltava para ser o melhor em campo: marcar 1 golo.
Na segunda parte o ritmo baixou consideravelmente e a qualidade de jogo foi atrás. Ainda assim, e ao contrário do jogo com o Vitória de Setúbal, o FC Porto continuou a controlar o jogo. Com Hulk um pouco apagado em todo o jogo, nesta segunda parte a estrela foi Alvaro Pereira, que foi dos poucos que subiu de nível na segunda parte, regressado de uma lesão, marcando o terceiro golo e assistindo para o quarto, marcado por Walter.


Com as entradas de André Castro, Ukra e Walter, o FC Porto refrescou o ataque e o meio campo, mas dos 3 apenas Walter sobressaiu, com o golo e algumas jogadas colectivas. André Castro é um jogador raçudo e um polivalente do meio campo, precisa claramente de minutos nas pernas. Quanto a Ukra, continua a decepcionar um pouco, face à estrondosa época que fez no ano passado.

Últimos destaques para Guarin, continua a marcar pontos no meio campo portista e Falcao que marcou novamente à ponta de lança.

O FC Porto chega assim aos quartos de final desta competição, progredindo assim rumo à final e á possibilidade de ganhar pela primeira vez esta prova pela terceira vez consecutiva.

A equipa voltou a mostrar bons momentos de futebol mas o destaque colectivo vai para as alternativas que despontaram neste jogo, com especial destaque para James Rodriguez e Ruben Micael que esteve igualmente em bom plano.

Noite de estreias no Dragão, João Moutinho e Alvaro Pereira marcaram pela primeira vez esta época, James Rodriguez foi titular.

Última nota para o árbitro que acumulou muitos erros técnicos, sobretudo lances de fácil julgamento, ainda que sem influência no resultado.

Declarações de Villas-Boas



Declarações do treinador do Juventude de Évora, Miguel Ângelo:


«Era difícil fazer mais do que isto. Somos uma equipa praticamente amadora, que na última semana jogou domingo, quarta-feira e hoje sábado. Para quem treina quatro vezes por semana seria muito difícil fazer melhor. Não metemos autocarro em frente à baliza, de quando em vez tentámos jogar futebol e conseguimos, faltou-nos talvez um bocadinho de profundidade ofensiva, mas isso também se deve à qualidade do Porto. Já houve equipas maiores que saíram daqui com um resultado mais pesado do que nós. O treinador do Villas-Boas respeitou muito um clube com 92 anos de existência e meteu os famosos todos cá do sítio. Era bom que acontecesse isto uma vez por mês. Os jogadores puderam conviver com craques, fomos procurados pela imprensa, enfim, desfrutámos de tudo isto e foi um prazer. Pisar um palco destes não é para todos.»

Não menos importante foi o recorde alcançado pelo FC Porto com 34 jogos sem perder. Mas tal como Villas Boas diz, a fase mais importante é a que aí vem, onde o FC Porto terá que conquistar os títulos materializando tudo o que tem feito até aqui.

Ricardo Jorge

7 comentários:

Armando Pinto disse...

Vitória tranquila do F. C. Porto, com exibição segura, assinalável também pelo 1º golo do Moutinho, bom aparecimento do James, mais fibra do Castro (além de mais uma arbitragem nojenta, contra, para não dizer outra coisa),em dia que, para já, ficou arrumado mais um pretenso concorrente, ficando fora da carroça da Taça o sporting, o que foi muito bom para que os seus representantes deixem de se armar em moralistas, querendo atirar o odioso para os outros, depois de andarem a ser ajudadso pelas arbitragens...

http://longara.blogspot.com/

dragao vila pouca disse...

Foi uma partida entretida e que não sendo daquelas que nos enche as medidas, teve momentos de bom futebol, jogadas bem construídas, algumas excelentes exibições individuais, numa vitória natural, mas curta do F.C.Porto. Um Porto que se apresentou com muitos dos habituais titulares, num sinal de respeito pelo adversário e pelo público que se realça e se destaca. Pena que Hulk, por exemplo, não tenha percebido a mensagem e tenha estado lento, displicente, desconcentrado e individualista, perdendo-se em toques e toquezinhos que não levam a lado nenhum. Mas se Hulk esteve com o espírito errado, a grande maioria, ou melhor todos os restantes - a hesitação teve a ver com R.Micael, não por falta de atitude, mas porque continua a jogar abaixo do que pode e sabe -, estiveram bem, embora Álvaro Pereira, o "Palito" - esteve parado? - e principalmente João Moutinho, acima de todos os outros. Grande lição de profissionalismo deu o pequeno-grande jogador - é curioso, jogou bem em Viena, foi dos melhores na segunda-feira frente ao Vitória e hoje encheu o campo e bem mereceu o golo que marcou, o primeiro com a camisola do F.C.Porto.

Resumindo: mais uma vitória, a 21ª e objectivo quartos-de-final alcançados com clareza perante uma equipa que merece uma palavra de simpatia.
Muito bem James!

Um abraço

Dragus Invictus disse...

Bom dia,

Quando apesar do adversário ser de escalão inferior e com menos argumentos, se encara o jogo com seriedade e profissionalismo, o jogo torna-se fácil, os golos surgem naturalmente, e sem ser brilhantes, consegue-se vencer. Foi isso que aconteceu ontem no Dragão.

O FC Porto foi uma equipa séria, que respeitou o seu adversário como frisou o treinador do Juventude "O treinador do Villas-Boas respeitou muito um clube com 92 anos de existência e meteu os famosos todos cá do sítio. Era bom que acontecesse isto uma vez por mês. Os jogadores puderam conviver com craques, fomos procurados pela imprensa, enfim, desfrutámos de tudo isto e foi um prazer. Pisar um palco destes não é para todos"

Quanto ao jogo, tivemos jogadas de excelente desenho, jogadores com grandes pormenores técnicos.

Melhor em campo Palito, que veio de uma lesão, galgou quilómetros, marcou um golo e fez uma assistência.

James fez um excelente jogo, com uma assistência e participando na mais bela jogada do jogo, com um toque mágico de calcanhar, numa triangulação que culminou com o golo de João Moutinho.

Guarin, Moutinho e Ruben estiveram muito bem no meio campo, com Ruben e Moutinho a entenderem-se muito bem.

Na defesa nada a apontar.

Falcao e Hulk sempre bem.

Walter merece jogar mais, tal como James, Castro e Ukra. São jovens de grande valor.

Foi bonito no final ver a festa das gentes de Évora com a sua equipa, apesar da derrota.

Excelente o ambiente de festa no estádio.
Isto é a beleza do futebol.

Abraço e bom fim de semana

Paulo

P. Ungaro disse...

Bom dia,

foi um jogo agradavel de se ver que pecou por escasso em termos de golos. De realçar a exibição do James na primeira parte, gostei tambem da atitude do Guarin.
O mais importante é que é o nosso 34º jogo sem derrotas e demos mais um passo rumo a um dos nossos objectivos.

um abraço

http://fcportonoticias-dodragao.blogspot.com/

Gaspar Lança disse...

Foi um bom jogo, dominámos do início ao fim e deu para ver James Rodríguez a brilhar!
Também João Moutinho esteve muito bem e marcou pela primeira vez de Dragão ao peito.

Há que dar os parabéns a toda a instituição, estamos a fazer uma magnífica época e prova disso é o novo registo: 34 jogos sem perder.

Um abraço.

Anónimo disse...

excelente vitória:)

Anónimo disse...

Ponham os olhos no James Rodriguez e no Walter penso estão ali 2 jogadores de de grande potencial.Quanto a vitória gostei da entrega e da motivação pisitiva de toda a equipa.Força FCPorto!