segunda-feira, 18 de abril de 2011

Campeões não adormecem nem sono têm

Mais um jogo mais uma vitória. O FC Porto somou esta noite a 15º vitória consecutiva igualando o recorde da época 1996/97. Esta vitória permitiu ainda atingir o recorde de pontos no campeonato com 16 equipas.

Villas Boas não surpreendeu com o onze apresentado já o Sporting introduziu Zapater no lugar de Vukcevic, pretendendo dar mais força ao meio campo. Foi um inicio calmo do jogo, com o Sporting a mostrar vontade em discutir o resultado e o FC Porto um pouco mais na expectativa.

Com o golo madrugador do Sporting o FC Porto despertou e a partir daí assumiu o jogo até perto do final do encontro. A partir do momento que o FC Porto imprimiu velocidade ao jogo, quer através de Hulk e Varela mas mesmo pelo supersónico Alvaro Pereira, o controlo do jogo passou para o FC Porto e as oportunidades de golo sucederam-se.


Antes do golo do empate, marcado por Falcão, o mesmo já tinha tido 2 boas oportunidades, uma delas que esbarrou no poste. Apesar do empate ao intervalo, notou-se logo uma diferença bastante grande de posse de bola, o que permite concluir que talvez a vantagem mínima ao intervalo fosse o resultado mais justo.




E se o FC Porto terminou por cima a primeira parte, sentenciou logo no inicio da segunda parte o resultado final do jogo. Desta vez foi João Moutinho a assistir Falcão para o segundo do FC Porto e o segundo da sua contagem.


Mesmo a vencer, o FC Porto continuou a controlar o jogo, apesar de uma reacção do Sporting ao estar em desvantagem. E foi com alguma naturalidade, uma vez que estava mais perto do golo do que o Sporting, que chegou ao terceiro, por Walter (clica para visualizar declarações), que regressou à equipa e aos golos.

E foi a partir desde momento que o Sporting apareceu, fruto igualmente da resposta imediata ao terceiro golo do FC Porto, que motivou a equipa na procura de pelo menos o empate.

Até final o Sporting foi mais pressionante apesar de em jogadas de contra ataque o FC Porto ter tido oportunidades de voltar a matar o jogo. A lesão de Helton não ajudou, pois Villas Boas teve que “queimar” uma substituição de jogadores de campo e assim não foi possível refrescar o meio campo que foi visível o desgaste de Moutinho e Guarin.




Destaque claro para Falcão que fez uma bela exibição. Marcou dois belos golos, mas esteve perto de marcar por duas vezes. A forma como marcou os golos faz dele um grande avançado, dos melhores que passou pelo FC Porto e por Portugal. Mas igualmente em bom plano esteve Alvaro Pereira, mais uma vez não só defendeu bem como até teve mais preponderância atacante do que Varela que jogava à sua frente.



Mas este clássico, para além da vitória do FC Porto e do ambiente de festa que se viveu no Dragão ficou igualmente marcado por lances e declarações polémicas.
Naquele que foi o lance mais polémico, por ter surgido no final do jogo, é claro que não há intenção de Rolando em tocar na bola, nem tão pouco corta uma jogada, pois a bola já tinha sido cortada por ele e na sequência desse corte a bola foi à mão, quando não se dirigia para nenhum jogador do Sporting. Se foi esta a interpretação do árbitro então esteve bem.



Mas José Couceiro e sobretudo Carlos Freitas esquecem-se de outros lances de jogo que condicionaram igualmente o desenrolar do mesmo. Os jogadores do FC Porto viram por quatro vezes o cartão amarelo e os do Sporting apenas uma vez e já na segunda parte, quando mesmo na primeira parte fizeram um conjunto de faltas semelhantes as que os jogadores do FC Porto fizeram.

E mais grave do que vir criticar um lance ou a questão da pressão sobre os fiscais de linha, é que se esqueçam do que foi a vergonhosa arbitragem na primeira volta, onde o único golo que marcaram foi em fora de jogo e o fiscal de linha estava na zona do banco do Sporting e ainda beneficiaram de uma expulsão criada com uma simulação de um dos seus jogadores, ou seja, para um clube que defende o fair Play e se coloca à margem das discussões do futebol é bom que quando é beneficiado venha igualmente a publico salientar esse facto.
Ficou comprovado, que sem Liedson, o Sporting ficou muito mais fraco dentro de campo, facto é os 35 pontos de desvantagem para o 1º classificado e os escassos 19 pontos da linha de descida.

Por último, esperam todos os adeptos de futebol que o Sporting cumpra as promessas eleitorais, nomeadamente, de criticar as arbitragens mas igualmente quando jogue contra o seu rival do outro lado da segunda circular.
O FC Porto está agora perto de atingir um novo recorde da história do clube que é conseguir a 16ª vitória consecutiva na Liga Portuguesa. O próximo adversário é o Vitória de Setúbal, que necessita de pontos para se manter na Liga.
Última nota lamentar a lesão de Helton e esperar que a mesma não seja grave e que recupere a tempo do confronto com o Villarreal para a Liga Europa, uma vez que para o jogo da Taça de Portugal, tudo indica que já não será possível.

Força Porto.
Ricardo Jorge

10 comentários:

Dragus Invictus disse...

Sem querer apaguei o comentário do amigo dragao vila pouca, aqui fica o mesmo:

Até começamos a perder, fruto de uma má abordagem a um lance que estava controlado e sem que a equipa sportinguista fizesse qualquer coisa para merecer a vantagem. Mas não acusamos o toque e rapidamente arrepiamos caminho, fomos para cima deles, não os deixamos levantar a cabeça e só não empatamos, primeiro porque foi uma espécie de tiro ao boneco, depois, porque quando não batia no boneco, batia no post. Mas quem porfia sempre alcança e quem tem Radamel Falcao marca golos. Empatamos e quando chegou o intervalo, por tudo que se passou, o resultado era muito lisonjeiro para a equipa leonina.


Na segunda metade, novamente clara superioridade e domínio do F.C.Porto, que chegou merecidamente à vantagem, novamente por Falcao e apenas não dilatou a contagem porque S.Patrício continuou a fazer milagres. Estava o jogo assim, o terceiro ameaçava, quando Helton se lesionou e demorou vários minutos a recuperar. Com a paragem, cerca de oito minutos, a equipa de André Villas-Boas perdeu concentração e o Sporting foi tentando equilibrar, tornou-se mais perigoso, mas sem nunca ser tão ameaçador como o Campeão 2010/2011. Com o terceiro golo, por Walter - gostei do brasileiro. Acho que se tiver juízo e vontade, vai chegar lá... -, parecia tudo resolvido, mas novamente, na euforia que se seguiu ao golo, voltamos a facilitar e o Sporting reduziu, acreditou e acabamos o jogo com algum, muito pouco, sofrimento, que, pela forma como o jogo se desenrolou, não mereciamos.
Resumindo: vitória clara e justíssima do F.C.Porto, que teve mais domínio, jogou muito melhor, nas oportunidades goleou, como goleou nos cantos, oito a zero.

Fazer uma análise a um jogo em que houve esta superioridade de uma equipa em relação à outra, baseando a análise num pretenso erro do árbitro, de uma ou outra falta mal assinalada, ou porque o banco devia estar noutro lado, é tapar um sol com a peneira e não ajuda o Sporting. E não ajuda, porque desresponsabiliza os profissionais e ninguém consegue ter sucesso, se quem joga não sentir a exigência de quem dirige. O F.C.Porto é um grande exemplo, mas e infelizmente, é um pequeno oásis no meio de um imenso deserto de lamúrias.
Meus amigos, jogamos na Rússia na quinta-feira, com tudo o que isso implicou e que dei conta no post de antevisão do jogo, mas apesar disso, hoje demos uma lição de querer, de raça, de competência, qualidade e, principlamente, profissionalismo. 25 vitórias e 2 empates, segundo jogo ultrapassado e faltam apenas três para fazermos história. Quem tem gente feita desta massa, pode confiar.


Um abraço

Dragus Invictus disse...

Bom dia,

Ontem a nossa equipa rubricou mais uma exibição segura e com atitude vencedora, levando de vencida um Sporting muito fraquinho que só teve uma oportunidade clara de golo na cabeça de Djaló aos 37 minutos da 1ª. parte, e uma meia oportunidade por Valdés, bem anulada por Sereno (num sprint impressionante) aos 55 minutos da 2ª. parte.

Marcaram aos 10 minutos num remate frouxo de André Santos, que tabelou antes de entrar, traindo Helton.

A partir daí foi um encostar do Sporting às cordas, com várias oportunidades de golo criadas, e só não carimbamos uma goleada na 1º. parte, graças à excelente exibição de Rui Patrício.

Na segunda parte foi mais do mesmo, e o Porto só esfriou o ataque após a lesão de Helton.

Couceiro e Carlos Freitas, estragaram tudo no final do jogo, ao alegarem que o Sporting foi prejudicado, e com a ideia de trocar os bancos etc.

Não existe penalti de Rolando, o mesmo já tinha cortado a bola, não tinha nenhum jogador adversário nas imediações, a bola não ia para a baliza, apenas e simplesmente escorregou, e felizmente porque não é maneta, a bola fez-lhe volei do relvado para a mão.

Quanto ao dizer que não houve falta sobre Helton na sua lesão, têm razão. Mas não sei se o árbitro apitou por falta, ou para ser prestada assistência a Helton, uma vez que nem assinalado pontapé de canto.

Destaques para Falcao que foi o melhor em campo.
Alvaro Pereira que fez um excelente jogo.
O triângulo de meio campo esteve bem.
Rolando e Maicon um pouco trapalhões.
Sereno esteve bem sem comprometer. Varela esteve trapalhão.
Beto entrou bem.
Walter ... é um grande ponta de lança, oportuno. O staff do clube tem de continuar o trabalho psicológico para recuperar um menino analfabeto, que teve muitos problemas na sua infância e que o afectam enquanto atleta. Penso que um regresso ao Brasil por empréstimo seria um passo atrás.

Espero que a lesão de Helton não seja grave, pois é uma peça fulcral na nossa equipa.

Fantástica a coreografia no estádio, de parabéns os adeptos que fizeram uma linda festa.

Abraço e boa semana

Paulo

P. Ungaro disse...

Boas,

Mais uma vitoria (fantastica esta campanha) num jogo que não foi dos mais brilhantes.
O meio campo não esteve tão dinamico como de costume e a defesa facilitou, para quem como eu esteve no estadio eram visiveis as falhas de marcação quer pelos laterais quer pelos centrais. No entanto a que valorizar mais uma vez a atitude global da equipa e fundamentalmente Falcao !!! não ha palavras para descrever este fabuloso avançado que defende as nossas cores .

Um abraço

http://fcportonoticias-dodragao.blogspot.com/

Dragaopentacampeao disse...

Que dizer de um jogo em que o melhor jogador adversário foi o guarda-redes, apesar de ter sofrido 3 golos?

Quem for sério dirá tratar-se de um jogo com um resultado muito lisonjeiro para o Sporting, que em condições normais teria saído do Dragão vergado a uma goleada das antigas.

Mas a mentalidade calimero e seus defensores, não deixarão de a reduzir a uma falha da arbitragem, na falta marcada sobre Helton, que efectivamente não existiu e a uma grande penalidade por mão na bola de Rolando, que existiu, na sequência de uma escorregadela que desequilibrou o defesa, tendo efectivamente tocado a bola com a mão apenas no movimento incontrolável da queda. Ora só é penalti quando o toque é intencional.

Evidentemente que para os chorões, desde que seja na área contrária é sempre penalti, claro!

De resto foi um jogo em que a superioridade portista esteve quase sempre presente, de forma categórica. Mesmo a perder, fruto de um golo fortuito, o FC Porto foi sempre a melhor equipa, a que melhores argumentos apresentou e um vencedor justo.

A invencibilidade no campeonato continua ao alcance, numa época de sonho para AVB.

Bateu o recorde de pontos conquistados (em campeonatos com 16 equipas) e igualou o recorde de António Oliveira, com 15 vitórias consecutivas.

Grande FC Porto.

Um abraço

Anónimo disse...

sera que eu vi bem?
o sereno a ultrapassar o guarin num pique desde a linha de meio campo ate á linda da grande area?
lol

Ultrasfcporto disse...

Caros portistas, sem dúvida que esta vitória sobre o Sporting foi inquestionável, digam lá o que disserem como o parvalhão do José Couceiro que houve pressão sobre os árbitros do banco, penalty que foi ignorado, lesão do Helton inventada etc. bem podem estrebuchar o que quiserem que este ano ninguém nos tira o mérito da conquista de mais um campeonato. Sejam humildes lagartos, e vergam-se perante o nosso poder, o que vos valeu sem dúvida foi o guarda-redes Rui Patrício que estava inspirado, pois se assim não fosse, vocês saiam do Dragão completamente humilhados.

Cumprimentos,
www.ultrasfcporto.com

zetosousa disse...

Graças a Deus que sou Portista. E Mai nada...

Dragus Invictus disse...

@ZetoSousa

Obrigado pelo teu comentário:)

"Se és do Porto que Deus te abençoe, se não és que Deus te perdoe!"

http://www.youtube.com/watch?v=s468IiJvOvc

@Anónimo
O Sereno fez grande sprint, o que é de louvar para um jogador que poucas vezes joga.

Abraço

Paulo

Dragus Invictus disse...

Amigo Ultrasfcporto, nunca pensei que os lagartos descessem tão baixo.
Só alguém de má fé, e cego, pode dizer que o Rolando jogou deliberadamente a bola com a mão. Ele corta com o pé, escorrega, perde o apoio e a bola faz "volei" no chão à mão. No momento que cai nem tem noção onde está a bola. Aos sarracenos dava um jeito enorme que ele levasse o segundo amarelo e fosse expulso, por isso estão tão melindrados ... estão borrados de medo.
Quanto ao mérito da nossa vitória .... basta dizer que o melhor jogador em campo foi Rui Patrício e Falcao, basta ver as estatísticas do jogo, e o Sporting só não saiu goleado por mero acaso do Dragão.

Abraço

Paulo

DESPORTO ALENTEJO disse...

VOTE NO FCPORTO NO BLOG:

http://www.montemor-evora-arraiolos.blogspot.com/

PEÇO O FAVOR DE DIVULGAREM SFF.OBRIGADO