sexta-feira, 24 de junho de 2011

Vão-se os anéis, ficam as mãos…


A questão do treinador foi rápida, em 2 dias, foi público a intenção, a saída, o pagamento e a apresentação do novo treinador. Para quem foi apanhado de surpresa até se saiu bastante bem. Hoje, mas duas saídas a caminho de Londres, não, não foram Moutinho, nem Hulk, nem Falcão, mas sim o preparador físico e o olheiro.

Ainda com a equipa técnica por definir, claramente esta situação teve impacto e terá impacto no futuro do FC Porto. Não está em causa a competência de Vítor Pereira, mas sim o planeamento que estava previsto. O FC Porto tinha pendente a definição do plantel, agora tem pendente a definição da equipa técnica e do plantel, que para além do que estava previsto, com ajuda da comunicação social, foi gerada uma autêntica revolução de pretensões a sair do FC Porto.

Já tinha tido oportunidade de escrever que, salvo falta de informação, não entendo como as cláusulas de rescisão não possuem uma data para serem exercidas. Tenho ideia que o Sporting tinha datas nas cláusulas de Moutinho e Miguel Veloso e penso que é o que faz sentido. Um clube não pode estar até ao dia 31/8 à espera que o jogador possa sair ou não do clube. Faz sim sentido, se uma época desportiva, termina habitualmente em Maio e o reinicio no final de Junho, que as clausulas sejam apenas possíveis de serem exercidas até ao inicio dos trabalhos para a nova época. Isto é válido para jogadores, mas sobretudo para treinadores, pois estes últimos, já preparam a nova época há muito tempo.

Presumo que possa estar enganado, não acredito que o meu clube, tão elogiado pela organização e gestão rigorosa que não tenha estas situações acauteladas.

Mas nem tudo é negativo. Neste caso, o FC Porto assegurou o valor que era necessário para este exercício e sem vender qualquer jogador. Com isto, e a ser verdade as declarações dos responsáveis da SAD, o FC Porto não terão necessidade de vender qualquer jogador abaixo das tais cláusulas de rescisão.

E continuando numa óptica positiva, o caso ocorrido com Villas Boas será exemplo para todos os jogadores do actual plantel e para os tubarões que sondam, aliciam primeiro os jogadores, utilizam a comunicação social, para baixar o valor das transferências.

Estes senhores cujo negócio da vida é tudo menos futebol têm os dias contados, pois o exemplo Villas Boas ficará na memória de todos os clubes que assim deverão apostar, cada vez mais, em cláusulas milionárias, quer para treinadores, quer sobretudo para jogadores.

O FC Porto não para, e deverão surgir nos próximos dias algumas novidades relacionadas com o próximo plantel, ainda que acredite que o planeamento inicial para esta época seja agora um pouco alterado.

Com esta inflexibilidade para negociar que Villas Boas criou com a sua saída no FC Porto, e tendo a noção que apenas Chelsea e Manchester City é que poderão pescar no Porto depositando os valores das tais clausulas, limitados no que diz respeito a jogadores extra-comunitários e sem os tais 75% de presenças no último ano nas selecções, o cerco fica reduzido a João Moutinho e Falcão, os jogadores que a meu ver encaixavam em ambos os clubes.

Sendo assim, o FC Porto deverá assegurar adicionalmente estes dois sectores para alguma eventualidade. No caso de João Moutinho, é provável que se torne mais complicado a saída de Fernando abaixo da cláusula e não tendo mercado em Inglaterra (ou então as regras mudaram) não existe nenhum clube que tenha condições para pagar 30M€. De salientar que este sector é o mais rico do actual plantel, as opções Fernando, Moutinho, Guarin, Ruben Micael e Belluschi, já para não falar da mais que provável integração de André Castro, pelo que acredito que estivesse planeado uma saída do grupo dos 5 primeiros, contudo não seria com certeza Moutinho, pelo que esta situação nova poderá recuar a venda de um deles. Ainda assim, importante assegurar a jovem promessa Colombiana, Edwin Cardona, que parece ter recebido contactos do Sporting. Outra opção forte é o Sérvio Aleksandar Ignjovski, que é um jogador fantástico, muito parecido com João Moutinho na forma aguerrida e na capacidade defensiva e de levar jogo para o ataque.

No ataque é que as coisas estão mais indefinidas. A eventual saída de Falcão não é ultrapassada com elementos do actual plantel pelo que o FC Porto terá que ir mesmo ao mercado. Certo parece ser a contratação de Kléber, nas últimas horas saíram notícias nesse sentido, mas que já estaria prevista antes do rebuliço desta semana. Acreditamos que com 28,5M€ (já descontado os 5% que o FC Porto não têm do passe) seja possível encontrar uma opção forte para o ataque, contudo o mais complicado será o timing da operação. Lá está mais uma vez o constrangimento da aplicação da cláusula de rescisão que este ano é mais grave pelo facto de existirem provas internacionais nesta altura do ano.

Mas convém frisar que a eventual saída de Falcão não será nenhum drama. Perdemos sim, o melhor goleador da actualidade, mas encaixamos 28,5M€ e o FC Porto já reforçou o sector atacante a pensar no futuro, para além de Djalma, Kelvin e sobretudo Iturbe, deverá ser anunciado no dia 1 de Julho, Kléber. Para além dos novos, o FC Porto assegurou e bem, atempadamente, a permanência de James Rodriguez e Hulk com a renovação e aumento das clausulas de rescisão. Para além destes, o FC Porto ainda conta com Varela, não esquecer, e com Walter e Orlando Sá, que deverão prosseguir no próximo ano emprestados.

É no sector defensivo que deverão até ocorrer mais alterações. Parece ser notório que o FC Porto acede negociar abaixo das cláusulas Sapunaru e Rolando. E a razão só pode prender-se pelo facto de já ter substitutos definidos e de grande qualidade. Pelas notícias que têm surgido, o namoro antigo Mário Fernandes, capaz de jogar pelo lado direito ou a central, e o grande central Sebastian Coates parecem estar referenciados. É certo que Sapunaru e Rolando foram fundamentais na época passada, mas a ser confirmados estes reforços o FC Porto assegura o futuro, encaixa um diferencial de transferências importante e ao mesmo tempo possui alternativas no actual plantel, pois Fucile e Maicon têm qualidade, e mostraram, para assumir essas posições.

Na baliza, e após a confirmação oficial de Bracali, a dúvida está apenas quem será o 3º guarda-redes. Tem sido vinculado na comunicação social que Kadu, guarda-redes que será promovido a Júnior este ano, poderia ser o 3º guarda-redes, o que faz algum sentido, podendo jogar pelo Juniores e ter minutos nas pernas.

Por falar em Juniores, penso que o FC Porto, para além de procurar reduzir o número de jogadores do seu quadro, deveria optar por um plantel de 23, no máximo 24 jogadores (Rafa ainda tem algum tempo pela frente), plantel mais curto e que possa ser abastecido pelos juniores, pois existe muita qualidade e com capacidade de surgirem em alguns jogos da próxima época. Assim, o emagrecimento das despesas com pessoal reduziria o que permitiria mais capacidade de investimento.

Mas neste momento a questão principal é mesmo a necessidade de reforçar o ataque perante a ameaça da saída de Falcão. Se o coração decidisse então o único jogador que interessaria ao FC Porto era Lisandro Lopez. Contudo não parece ser uma operação simples, nem o FC Porto tem capacidade, ainda que possua liquidez para tal, para investir tanto dinheiro (seria qualquer coisa como 20M€) num jogador com 28 anos e que não iria obter seguramente retorno considerável numa possível transferência.

Outra opção forte e segura, bem mais acessível, seria por exemplo o regresso de Hugo Almeida, penso que por valores até abaixo dos 5M€, uma vez que é vontade do jogador regressar a Portugal, jogador que é público que quando Adriaanse o dispensou e o FC Porto o cedeu ao Werder Bremen, após a saída de Adriaanse, Pinto da Costa tentou anular o negócio, sem sucesso.

Numa óptica de aposta num jovem jogador, as opções são várias, mas existe um jogador que tem um perfil idêntico a Falcão e a Lisandro Lopez, que é o Turco Sercan Yildirim, de 21 anos que ainda joga na Turquia. É certo que não é o mercado preferencial do FC Porto, mas há que diversificar pois existe grandes jogadores em outros mercados que não são devidamente aproveitados, sobretudo por equipas com menor poder negocial e que poderiam ver nesses mercados uma fonte interessante de investimento. Pelo valor de mercado que circula, penso que por valores abaixo dos 10M€ poderia ser contratado ao actual clube, o Bursaspor.

Estamos precisamente a 1 semana do regresso ao trabalho dos jogadores. Será um regresso a conta gotas, sem Fucile, Alvaro Pereira, Cristian Rodriguez, Guarin, Falcão, James e Iturbe, mas com os restantes e já algumas caras novas, que espero que se junte mais algumas que aqui falamos.

Wallpaper de Manuel Costa, membro deste blogue.
Não nos vamos desviar do nosso destino. Tenho uma convicção grande que se no ano passado o grito de revolta foi pela forma que nos desviaram de lutar pelo titulo na época anterior, este ano o grito de revolta será pela falta de respeito de alguns indivíduos tiveram pelo FC Porto, preferindo os milhões por colocarem em causa que no FC Porto poderiam não voltar a ganhar e não voltar a ter propostas milionárias.





Força Porto.
Ricardo Jorge

6 comentários:

Anónimo disse...

Caro Portista,

Gostei da análise, parece-me coerente apesar de não concordar com algumas coisas.
Está na altura de parar de falar no judas, o judas morreu para nós.

VENCEREMOS, VENCEREMOS
VENCEREMOS OUTRA VEZ
O VICTOR VAI FAZER MELHOR
DO QUE O JUDAS FEZ

F.C.PORTO SEMPRE

Dragus Invictus disse...

Bom dia,

Parabéns, por mais uma fantástica análise à pré-época.

Depois da saída de Vi££as-Boas, muitos jogadores serão alvo de cobiça do Ch€ls€a.

Será complicado perder Falcao e Moutinho.

Um ponta de lança sul-americano demora sempre o seu tempo de adaptação, tal como aconteceu com Licha e Falcao. Licha seria o substituto ideal, mas é complicado contratá-lo.

Castro poderá ser uma alternativa a Moutinho. É o jogador com vinculo contratual mais parecido com o nosso pêndulo.

O nosso presidente será intransigente, e só sairão pelos valores das clausulas.

Sapunaru, Fernando e Rolando são dois jogadores com mercado pelo que se lê nos jornais, pois em concreto nada há.

Terei muita pena em ver sair Sapunaru e Rolando.

Espero que os consigamos segurar e por exemplo vender Cebola e Fucile.

Um abraço e bom final de semana

Paulo

Rage disse...

Também via com bons olhos o regresso de Lisandro ao nosso clube. Acredito que ele também gostaria de regressar pois com uma Supertaça Europeia para conquistar, uma Champions para disputar e campeonato para ganhar seriam motivos de sobra para o motivar. O preço é um bocado proibitivo mas por 15 milhões acho que o O. Lyon já o vendia.

Cumprimentos

Pedro Ferreira

Artigosonline/ana disse...

Boas
Julgo que esta é a primeira vez que comento neste blog, cheguei até aqui através do blog:
www.dragaodoente.blogspot.com
Gostei do vosso espaço, e passarei a ser visita assídua.

Em relação ao tema deste post em específico, depois do início de semana atribulado é hora de olhar para o futuro. Julgo que a época que se aproxima não será fácil, e por isso é preciso confiar na direcção, nos jogadores e no novo treinador.
Concordo com grande parte da sua análise, sobretudo com a questão de haver data limite para accionar as cláusulas de rescisão.
Eu também julgo que, no caso de Falcao sair, o ideal seria contratar o Lisandro, o custo é que pode ser um entrave, mas segundo vi na imprensa o Lyon estará interessado no Fernando? Sendo verdade, este não poderia fazer parte do negócio?

Cumprimentos

Ana Andrade

www.portistaacemporcento.blogspot.com
www.artigosonlineanaandrade.blogspot.com

Dragus Invictus disse...

Boa noite Ana Andrade,

Muito obrigado em nome de todos os membros deste espaço.
Os teus comentários serão sempre uma mais valia para o nosso blogue.

Adicionei os teus blogues à lista de blogues deste espaço.

Cumprimentos

Paulo

Ricardo Jorge disse...

Efectivamente, a troca Fernando por Lisandro já me tinha passado pela cabeça. Com o antigo treinador o FC Porto até não se importava de libertar Fernando, pois a ideia é um meio campo, com 3 jogadores móveis, capazes de todos defenderem e atacarem, ou seja, seria Moutinho, Guarin e outro identico a estes. Com a perda de Falcão, Lisandro é a aposta mais segura para manter o rumo do sucesso, contudo, segundo ultima noticia do interesse de um clube no Lisandro, o director do Lyon afirmou que por 25M libertava o jogador. Acredito que por 20 o libertava, e com Fernando, se calhar até fazia a troca, contudo, acho que esfriou o interesse do Lyon, pois vendeu Toulalan por 10M, e anda à procura de um médio a jogar em França. Se Pinto da Costa não aceitar abaixo da clausula não há clube que pague 30M pelo Fernando, pois nem foi uma época assim tão em cheio a titulo pessoal.

Independentemente de quem sai e entra importante é clarificar as situações. Não quero ver o meu clube em preparação, a apresentar jogadores no dia 24/7 e depois vê-los partir e em desespero contratar jogadores para esses lugares.

Daí a minha insistência para as datas que as clausulas de rescisão pudessem ser uma realidade. Estaria assinado e da mesma forma que hoje este treinador utilizou-a para seu beneficio, os clubes utilizariam para negar ofertas a meio da preparaçao.

Já só faltam 5 dias para abrir as oficinas. Saudades...

Ricardo Jorge