sábado, 24 de setembro de 2011

Assim, não Somos Porto…

Quando a equipa só consegue jogar 45 minutos, então não Somos Porto. Quando se vê esta postura da equipa em pleno Dragão então não Somos Porto. Quando o treinador não tem ideias que mude o estado de sítio, então não Somos Porto.

Perante um adversário que, comparativamente com o Feirense ou mesmo a União de Leiria, fez muito pouco para justificar os 2 golos marcados, a exibição do FC Porto nos 90 minutos de jogo acaba por ser constrangedora pela incapacidade demonstrada face ao jogo praticado pelo adversário.

Acaba por ser complicado arranjar explicações para esta exibição do FC Porto. Aliás, prova disso são as declarações de Vítor Pereira no final de jogo, que praticamente fez um resumo do que todos virão em campo. Espero que em grupo, nos próximos dias, identifique e corrija aos jogadores o que esteve mal.

Vítor Pereira entrou à defensiva mais uma vez. Na projecção a este jogo tínhamos identificado Belluschi com a peça que comporia o meio campo formado por Moutinho e Fernando. Assim não entendeu Vítor Pereira que optou por colocar um jogador, que tal como em Aveiro, oscilou entre bons e maus momentos, claramente pela falta de ritmo que tem nesta época.

Precisamente quando Belluschi vinha de boas exibições, foi quando de um momento para o outro acabou por sair da equipa. Hoje, independentemente de Guarin ter sido um dos menos maus do FC Porto, impunha-se uma unidade mais criativa e com mais capacidade de levar a bola para o ataque.

Mas a primeira parte, ainda que a um baixo ritmo, acabou por mostrar um FC Porto dominador, ainda que com poucas oportunidades de golo e com poucos desequilíbrios nas alas. O que é curioso aqui, é que Hulk, que jogou com problemas físicos frente ao Shakthar, fez melhor exibição nesse jogo do que hoje.

Continua a falta de ideias de Vítor Pereira. No último jogo e hoje, o FC Porto fez lembrar o Sporting nos primeiros jogos do campeonato. Cada jogo, uma equipa nova, incapacidade de mudar a estratégia ao longo do jogo, falta de soluções no meio campo, etc…

É gritante o que se sucede no sector atacante do FC Porto. Hulk continua como intocável, e no dia que estiver em causa o estatuto então as coisas deverão estar muito negras, mas depois surgem Varela, Cristian, Djalma, Walter, Kléber e James. Destes todos, James, que tardou a entrar na equipa, vai se lá saber porquê, forma com Hulk uma dupla forte, mas falta mais 1 unidade. Ora bem, se no centro entre Kléber e Walter a escolha não é difícil, falta soluções nas alas. Varela continua numa forma constrangedora, aparentemente sem problemas físicos, os problemas só podem ser de ordem psicológica. Cristian, anda com uma tabuleta nas costas a dizer “Vende-se”, é normal que não produza mais que isto. E Djalma, já percebemos que não tem qualidade para integrar este plantel. Em resumo, o FC Porto, das 7 unidades atacantes, Iturbe não conta, apenas pode contar com Hulk, James e Kléber, sendo que Kléber, independentemente da convocatória para a selecção do Brasil, nem isso fez com que fosse um jogador bem mais móvel criando espaços para os colegas de ataque.

Dragão Azul TV



Parece que os 3 meses de férias, e quase 15 dias depois de Falcão anunciar que queria sair não foi suficiente para o FC Porto ter reforçado o seu sector atacante convenientemente. Afinal… não havia alternativas para todos…

E como só uma equipa equilibrada entre sectores é que pode ambicionar ganhar títulos importantes, não será com este sector atacante que o FC Porto lá irá. Ou muito me engano, ou já a SAD anseia pelo Natal e por uma prendinha caída do céu.

Não foi por acaso que no jogo da Supertaça tinha visto um FC Porto organizado defensivamente mas sem produção atacante e quem partiu para esta época com a ambição de realizar uma boa Champions League, torna esta situação da substituição de Falcão ainda mais irresponsável.

Foi um péssimo jogo de futebol. Ouvi em algumas antevisões que estaria em campo qualquer coisa como 360 Milhões de Euros, pois bem, provavelmente na Liga Orangina assiste-se a jogos bem mais competitivos e bem jogados do que foi este! Estariam cansados? Curiosamente a meio desta semana, jogou-se em Inglaterra, em Espanha e em Itália e neste fds voltam a jogar, talvez seja da crise ou então dos ordenados em atraso…

Quem não se preocupou com a crise foram os quase 50 mil adeptos que encheram o Dragão, aliás foram sem duvida os intervenientes do jogo que merecem uma palavra de elogio pela festa proporcionada e pelo civismo que decorreu nas bancadas.

Quanto à equipa de arbitragem, não há muito a dizer, o que até é positivo. Mas resulta deste jogo um precedente grave, um ligeiro toque com o pé no baixo frente de um outro jogador, quando não havia disputa de bola, é, para Jorge Sousa e para alguns ex-árbitros que já ouvi comentarem o lance, um lance sem maldade e que não se pode considerar uma agressão, faz-me lembrar o lance entre Deco e Jorge Andrade no Dragão, que o árbitro expulsou Jorge Andrade por um ligeiro toque com o pé na cabeça, com o jogo parado.

O que não se percebe deste lance é a acção disciplinar do árbitro. Se Fucile entrou de forma perigosa então era livre para o adversário e o correspondente amarelo. Se Cardozo agrediu então era cartão vermelho. Amarelo para os dois não se percebe e como estes senhores não têm a valentia de darem a cara e explicarem as decisões, continuamos a assistir a este tipo de decisões.

Mas convém dizer que não foi por esse motivo que o FC Porto não ganhou, provavelmente com a expulsão de Cardozo ainda teriam jogado menos e quem sabe se num lance fortuito o adversário não empatava o jogo!

Vítor Pereira tem de reunir as tropas e de uma vez por todas tomar decisões acertadas. Se Iturbe está de castigo, Djalma não tem qualidade, Cristian Rodriguez não dá mais pois continua à venda (talvez a renovação funcionasse como motivação extra, mas será que o jogador quer?), Walter, vai para o segundo ano sem jogar, este ano ainda mais gritante pois tem um Kléber como opção principal, então se calhar é tempo de abandonar o 4X3X3 e pensar num esquema que potencie o meio campo, onde claramente temos 6 unidades com qualidade, e optando por apenas 2 unidades atacantes.



Todas as imagens dos jogos do FC Porto.
(Clique na imagem para entrar)


Quem não tem cão, caça com gato, é triste, mas é a realidade!

Ricardo Jorge

8 comentários:

ℙΣ₦₮∀ ➀➈➆➄℠ disse...

caríssimos:

é inacreditável sofrer um golo a partir de um lançamento de linha lateral... a nosso favor!
e poderia relevar este empate se não tivesse ocorrido frente ao nosso maior rival.
assim, acho que foi muito demérito da nossa parte o termos concedido. e que, para mim, tem o sabor amargo da derrota. e que fará com que passe uma noite (pelo menos) em claro.

bom final-de-semana para todas(os).


«este é o nosso destino»: «a vencer desde 1893»!

saudações desportivas mas sempre pentacampeãs! ;)

Miguel | Tomo II

100% Dragão disse...

Boas

Não vale a pena dramatizar, até porque ainda somos lideres, mas hoje estou oficialmente preocupado.

O Vítor Pereira dá ideia de estar meio perdido (isso é o que me preocupa), esperemos que ele consiga dar a volta. Os próximos jogos são importantes para o Porto e especialmente para ele.

Colocar os melhores e Inventar o menos possível parece-me ser uma excelente ideia neste momento.


Abraço

http://100porcentodragao.blogs.sapo.pt/

dragao vila pouca disse...

Entregamos o ouro ao bandido

Uma primeira-parte excelente, fomos superiores em todos os capítulos e mereciamos pelo menos, uma vantagem de dois golos.

Depois, na etapa complementar, nem pareciamos a mesma equipa. Lentos, complicativos, sem frescura física e a dar abébias, fomos penalizados e o resultado, principalmente pelo que vimos até ao intervalo, deixa um sabor bem amargo.

Vítor Pereira, tem agir e não de reagir. São os pró-activos e não os reactivos, que têm feito história no F.C.Porto.

Abraço

Dragus Invictus disse...

Bom dia,

O resultado de ontem sabe a derrota.

Depois de uma primeira parte bem conseguida, mas sem eficácia atacante, na segunda parte voltamos ao nível exibicional de Aveiro.

Está bem que o Benfica teve sorte em obter o golo na entrada do segundo tempo, mas também é verdade que foi muito por inépcia nossa.

Vítor Pereira deu a entender que só temos pernas para meio tempo ... bem isto é preocupante.
Não temos capacidade para gerir o jogo depois de estarmos em vantagem, falta-nos qualquer coisa, e não é só o alegado fantasma Falcao.

Kléber é a segunda partida consecutiva que sai ao intervalo, por problemas físicos. Walter não tem ritmo competitivo, Iturbe não é convocado, e ontem Hulk não devia estar a 100% fisicamente, pois Hulk de cansaço não padece ... tem pulmão para 90 minutos ou mais.

Assim na segunda parte o Porto eclipsou-se. Varela e Hulk deixaram de desequilibrar, e a partir do momento que VP retira Guarin, e o Benfica coloca Bruno César, perdemos o controlo do miolo, e o golo do empate encarnado advinhava-se...e aconteceu.

Destaques individuais para Otamendi e Guarin os melhores em campo. Fernando e Moutinho também cumpriram e trabalharam imenso.

Espero que a equipa técnica consiga recuperar fisicamente a equipa, e que estabilize na escolha do motor de qualquer conjunto, que é o seu meio-campo. Defour de titular e opção regular, passa a não utilizado.

Os adeptos que se deslocaram ao Dragão e que apoiaram a equipa não mereciam este resultado. A equipa tem de puxar pelo público também.

Abraço e bom fim de semana

Paulo

Gaspar Ribeiro Lança disse...

Não se pode considerar um mau resultado empatar com o maior rival, mas no Dragão pedia-se uma vitória, ainda para mais depois de toda a primeira parte realizada.

Não dá para explicar o que aconteceu, mas a verdade é que na segunda parte a nossa equipa adormeceu e isso permitiu aos visitantes chegar ao 2-2 final, que podia muito bem ter sido evitado.

São já dois empates seguidos a contar para o campeonato e não podemos voltar a escorregar se queremos manter a liderança.

Um abraço

Dragaopentacampeao disse...

Mais uma exibição de duas faces, o que começa a ser preocupante. A equipa demonstra não ter pernas para manter o ritmo e a intensidade do jogo durante os noventa minutos.

Primeira parte de muito bom nível onde só faltou eficácia no remate. Aquela perdida de Fucile é, no mínimo, exasperante. Dominamos, controlamos e merecíamos sair para o intervalo com um resultado mais confortável.

Depois, voltamos às exibições cinzentas, sem chama, com muitas bolas perdidas, alguma desconcentração e deitamos tudo a perder.

Apesar da influência negativa da arbitragem, que amarelou os nossos jogadores sem qualquer critério e ainda perdoou a expulsão ao Cagozo, considero que devemos a perda de dois pontos a nós próprios.

A equipa necessita sobretudo e uma preparação física adequada para ser capaz de aguentar todo o jogo em bom nível.

Um abraço

Artigosonline/ana disse...

Boas,
Ponto prévio, o FC Porto entra em todos os jogos para ganhar, e os clássicos não são excepção, por isso o empate soube a pouco. Não estava de todo à espera que se repetisse o 5 – 0 da época passada, porque não há jogos iguais, mas esperava que o FC Porto ganhasse. Gostei do FC Porto, principalmente na primeira parte, e gostei da capacidade de reacção ao golo do empate, só lamento aqueles minutos menos positivos no segundo tempo que o Benfica aproveitou. Percebo o que queria fazer Vítor Pereira ao retirar Guarin e no seu lugar colocar Belluschi, mas penso que não deveria ter sido o argentino a entrar e sim o belga Defour. Volto a repetir, gostei do jogo, o problema foram os minutos menos bons do FC Porto, facilitaram demasiado e creio que é aí que tem de haver correcções, não podem dar margem para o adversário fazer o seu jogo. Ainda estamos numa fase inicial da época e a equipa ainda tem muito a melhorar, eu acredito que mais uns jogos e a equipa cometerá cada vez menos erros. A verdade é que neste jogo o FC Porto voltou a perder dois pontos. Quanto à arbitragem, devo dizer que não percebi o amarelo a Fucile e o do Álvaro Pereira também me pareceu um tanto ou quanto estranho, tal como o amarelo a Otamendi e a Fernando. Vale a pena perceber que só Rolando não viu amarelo na defesa. De positivo à a salientar o bom ambiente nas bancadas e o facto do jogo ter sido antecedido por um ambiente pacífico, o que é sempre positivo, porque é assim que o futebol deve ser, deve haver rivalidades, mas sem violência.

Força FC Porto!

Cumprimentos

Ana Andrade

www.portistaacemporcento.blogspot.com
www.artigosonlineanaandrade.blogspot.com

Armando Pinto disse...

Hoje e por enquanto nem me apetece comentar... passo aqui só para dizer que li, como sempre.

Abraço.