sábado, 24 de setembro de 2011

Iturbe, porque não joga?

O plantel do FC Porto conta actualmente com 26 jogadores. Parece um pouco exagerado, o número idealizado eram os 24/25 jogadores, mas também é certo que temos 3 defesas esquerdos, dois deles ainda lesionados e 8 unidades de ataque, sendo que Iturbe não conta, feitas as contas, Vítor Pereira trabalha com vista à preparação dos jogos com 23 jogadores.

O número até parece mais que suficiente, mas analisando a qualidade, percebe-se as lacunas graves no sector ofensivo. No eixo central, Walter mostra pelo segundo ano consecutivo que não quer ou não consegue mais e Kléber, que até foi convocado para a selecção nacional do Brasil e é a par com Hulk o melhor marcador do FC Porto esta época, partiu para esta época como alternativa a Falcão mas é hoje titular indiscutível por não existir qualquer alternativa.

O que nos serve em saber que o jogador vai à selecção do Brasil se não produz jogo, já nem digo golos, mas sobretudo jogo para a equipa?
Nas alas o cenário ganha contornos de dependência de James e Hulk, apesar de o FC Porto contar ainda com Varela (internacional Português), Cristian Rodriguez (internacional Uruguaio) e Djalma (internacional Angolano) e claro Iturbe, mas este não conta!

Se há 1 mês atrás as justificações eram de cariz físico e de falta de rotinas de jogo, agora não podemos continuar com as mesmas justificações. Quer Varela, quer Cristian Rodriguez e mesmo Djalma têm tido oportunidades na equipa principal e têm sido convocados para as suas selecções, o que demonstra que do ponto de vista físico estão mais que aptos.

Mas então o que se passa afinal?

Admito que os jogadores passem por fases de menos inspiração mas se assim é, então porque são convocados e são chamados à equipa principal?
Porque razão, Vítor Pereira continua a insistir na promoção da venda de Cristian Rodriguez, colocando em campo e mantendo-o nos convocados, porque continua a ver em Djalma uma alternativa para a equipa e porque razão não estabiliza Varela na equipa, quando por exemplo em Leiria, entrou em campo, assistiu James para um golo e marcou o último da equipa e no jogo seguinte não foi opção? Eu se fosse jogador também não entendia…
Mas o que não se entende mesmo é perante a ineficácia atacante, e falta de soluções porque razão Iturbe não mereceu ainda uma oportunidade nos convocados.

Este cenário é único no FC Porto. No passado, Anderson chegou ao Porto com a mesma idade de Iturbe e começou por rodar na equipa júnior, mas rapidamente chegou à equipa principal, dada a qualidade que começou a evidenciar. Mais recentemente, James, com 19 anos chegou ao Porto e perante um conjunto de opções fortes (nesse altura Hulk e Varela estavam imparáveis) apenas surgiu na equipa um pouco mais tarde, mas foi opção para a Liga Europa.

Ora se nenhum destes cenários é agora aplicado a Iturbe, então podemos estar a falar de questões disciplinares.

Ao contrário de James, que fez o Torneio de Toulon, este no inicio da pré-época e estágio com a equipa e esteve no Mundial de Sub-20, Iturbe apenas esteve no Mundial e ficou no final do verão por terras Paraguaias e Argentinas a preparar o tal Mundial que só começava mês e meio depois. Já na altura não compreendi muito bem esta atitude, para quem estava muito feliz por ir para o Porto, mas até pode ter ficado alinhado entre clube e jogador.

E se antes de Iturbe chegar ao Porto, Vítor Pereira desdobrava-se em elogios ao craque, desde que integrou a equipa nem uma palavra. O silêncio à volta deste jogador é um sintoma que algo não está bem.

Será que andou na noite do Porto?
Será que se tem empenhado pouco nos treinos?
Será que ainda não compreende como se joga à bola em Portugal?
Será que Vítor Pereira tem ao seu dispor outras opções que lhe dão mais garantias?
Será que o jogador está mesmo castigado internamente pela sua opção em ter forçado ficar por terras da América do Sul na pré-época?
Ou será que afinal o jogador não tem a tal qualidade futebolística que os media têm destacado ao ponto de os grandes tubarões da Europa andarem de olho nele?

Mais se agudizou este caso com a não integração de Iturbe na lista da Champions. Mas aqui existem outras explicações, como a má estratégia em não integrar jovens valores no plantel principal, entupindo-o de estrangeiros ao ponto de só termos 21 jogadores para a Champions e claro outra justificação que andou a circular que Iturbe teria sido pré-convocado para os jogos Pan-Americanos. Ora, como foi possível confirmar, esta competição não é reconhecida pela UEFA/FIFA logo não existe a obrigação dos clubes em ceder os jogadores, o que coloca por terra a não integração na lista da Champions.

Mas voltando à primeira argumentação da limitação dos estrangeiros, se este é o cenário agora, o que dizer em Janeiro quando Alex Sandro e Danilo estiverem à disposição do treinador? Quem é vai sair da lista para entrarem 3 jogadores, dos mais caros contratados este ano?

E claro, já nem falo na mais que provável necessidade de contratar um avançado centro, o que a concretizar-se não será com certeza Português!
Não teria sido mais lógico que Iturbe viesse apenas em Janeiro? Na prática qual é a diferença com a actual e triste realidade?

Pelo que foi observado deste jogador trata-se de um desequilibra dor que actua tanto nas alas como no centro. Marca golos, dá a marcar, desequilibra e tem apenas 18 anos. Fê-lo no seu clube no Paraguai e fê-lo na selecção Sub-20 da Argentina.

Para quem ainda não viu Iturbe a jogar resta-nos continuar a abrir o Youtube e deliciar-nos com os fantásticos vídeos sobre o jogador.


Talvez no próximo dia 15 de Outubro seja convocado para a eliminatória com o Pêro Pinheiro de Sintra, mas com este nível exibicional eu não arriscaria em não colocar os melhores em campo!

Ricardo Jorge

5 comentários:

Dragus Invictus disse...

Boa tarde,

A questão da não utilização de Iturbe, só a equipa técnica ou direcção pode explicar.

Agora existe algo a que não se pode fugir, que é o facto de contarmos com imensos extra-comunitários no plantel, que torna complicado encaixar todos esses atletas.

Espero que este facto não prejudique o rendimento da equipa até à reabertura do mercado.

Abraço

Paulo

TertúliaPortista disse...

Oi amigos. Pois temos de começar a jogar á Porto e saber com quem podemos contar si~m.
Saudações Portistas
Muito sucesso!

Melhores cumprimentos
http://tertuliaportista.blogspot.com/

The Blue One disse...

Naturalmente que quando os maus resultados se acumulam, começam a surgir dúvidas de todos os lados.

Não creio que o problema do actual FC Porto passe por muitas das questões que o autor do texto legitimamente colocou.

No que diz respeito a Iturbe, é preferível que o Jogador passe por um bom período de adaptação em vez de ser "queimado" num qualquer jogo. Uma coisa é jogar na América do Sul e no Mundial de sub 20, outra bem diferente é jogar no Campeonato Português

E já agora, eu vi alguns jogos da Argentina de Iturbe no Mundial e reparei que o Iturbe é um excelente jogador mas faz sempre a mesma jogada. Portanto o rapaz que continue a acapachar-se que está no bom caminho.

Quanto á insistência de VP no Cebola, é simples, basta perguntar á SAD Portista o porque desta insistência.

Quanto ao desequilibrado Plantel do FC Porto, durante a Pré temporada eu tinha dito por mais do que uma vez que o rumo que as contratações/vendas estavam a seguir não era o melhor. Fui insultado por causa disto e agora é que começam a aparecer pessoas que começam a ter a noção da realidade. Mas o mal está feito e agora há que ir com este até ao Final.

Para mim o problema não está somente no plantel, também nas opções de Vítor Pereira. Uma coisa é mudar um ou outro jogador de um jogo para outro, outra completamente diferente é mudar o Meio Campo e o Ataque na totalidade de um jogo para outro. Como é que se pode construir uma Equipo-a com tantas mudanças em sectores tão cruciais como o Meio Campo e o Ataque?

Enfim, este tipo de coisas são típicas no FC Porto depois de uma temporada em que ganha tudo. A excepção foi na era Mourinho porque este teve coragem de impor a sua lógica aos Dirigentes e Adeptos Portistas.

Cumprimentos e obrigado pela oportunidade de participar em tão útil reflexão.

Ricardo Nuno Gonçalves Jorge disse...

Boas,

Caro "The Blue One", partilhar contigo que fui muito critico nas decisões da preparação da pré-época e sim tb fui muito criticado, mas entendo que existem portistas que não conseguem apontar erros no inicio mas depois são os primeiros e talvez os mais agressivos a criticar qd perdemos. Procuro levar as coisas por um caminho coerente, não apontei muitas coisas que gostaria de apontar no final do Jogo com o Feirense, pois entendi, que a equipa precisava de tranquilidade para este jogo, mas agora é a altura certa para questionar.

Não quero com este Post, até porque seria uma opinião muito simplista, que se pense que a solução do FC Porto é colocar Iturbe. Estariamos muito mal se fosse esse o problema, mas entendo que o problema do Porto está apenas no ataque.

Está no eixo do ataque e nas alas. Sem Varela ao nivel que já nos habituou ficamos extremamente limitados a James e Hulk, que não podem fazer todos os jogos oficiais. Critico o facto de VP ainda não ter dado uma oportunidade a Iturbe e continuar a insistir em Djalma e Cristian Rodriguez.

Mas a culpa não é só dele, se calhar nem é dele. A SAD quer vender Cristian Rodriguez (senão teria renovado) e traçaram uma estratégia de o convocar e o colocar a jogar. Quanto a Djalma é mais gritante. Não percebo porque Iturbe ainda não teve uma oportunidade face à falta de qualidade já evidenciada por Djalma, alias, desde a pré-epoca, altura que até se falou da dispensa.

O Porto precisa de sangue novo na equipa, Defour mais vezes a jogar, e Iturbe como opção.

Quanto ao ponta de lança, parece-me obvio demais que Kléber não é nem será opção nº1 para o ataque. Ele foi contratado para ser alternativa a Falcão e crescer. Actualmente é titular e apesar dos 4 golos, falhou outros tantos e não tem mobilidade atacante ao ponto de criar espaços para os companheiros. E aqui, nem podemos falar em alternativas, pois Walter não foi o ano passado e nem será este ano. A opção teria sido o empréstimo, mas pelos vistos por questões pessoais o jogador quis ficar na cidade do Porto. Espero que em Dezembro seja emprestado, pois entendo que tem valor, mas não a jogar em 4X3X3.

Saudações

Anónimo disse...

Meu Caro,

Na minha opinião o problema não se prende com a utilização de Iturbe ou com a pressão para a venda de C. Rodriguez.

A verdadeira questão reside na tentativa de VP, descolar-se de Vilas Boas implementando o seu próprio cunho. Enveredando por opções tácticas pouco convincentes.

Senão vejamos. O ano passado o Vilas Boas, reclamava por um trinco que tivesse uma maior capacidade de ataque (ideia de quem ? VP). Este ano VP experimentou, Souza; Guarin; Defour até o Moutinho já recuou para esta posição a meio de um jogo.
Contra o Benfica, decidiu parar com as experiências e colocar nessa posição o melhor jogador que temos (Fernando !!!), qual castigo ? não foi castigo... foi opção táctica.

Na Defesa, Não tem muito que fazer pois as opções nas alas estão limitadas e no eixo não pode arriscar e mudar a lógica do ano passado.

Quanto à linha avançada, tem o tridente do costume: James; Kleber e Hulk. No entanto à falta de opção para Kleber (que no meu entender é jogador para 4x4x2), ainda não o vi a repescar numa das alas uma opção consistente para ponta de lança. Isto quer dizer que ele deveria testar essa solucção na parte final dos jogos para que um determinado jogador ganhe ritmo nessa posição. Em vez disso, repare já lá jogaram: Uma vez o Djalma; Outra o Hulk; O Varela já teve que o fazer.

Ás vezes fazer o mais óbvio é o mais eficaz