quarta-feira, 19 de outubro de 2011

Empate com sabor a derrota...

Depois de uma segunda linha de luxo,que marcou 8 golos no jogo da taça de Portugal, esta equipa principal do Porto voltou àquilo a que infelizmente nos tem habituado nos últimos jogos: as más exibições!

A verdade é que é penoso escrever um comentário a este jogo. Estávamos todos com esperanças de que o Porto surgisse de energias renovadas após esta paragem. Infelizmente, tal não aconteceu!

Vítor Pereira lançou um onze muito semelhante ao que o ano passado ganhou tantas coisas. Kléber foi o único elemento novo.

O jogo começou mal, com um ritmo demasiado lento, que não conseguia rasgar o muro criado pela equipa do Apoel. Apesar disso, e contra a maré, Hulk marca de livro directo. Mas a vantagem durou pouco mais de 5 minutos. Aílton, com todo o espaço que quis, marcou colocado para o fundo das redes! Uma falha clamorosa da defesa portista que, diga-se de passagem, tem feito prestações consideravelmente más.

Até ao final da primeira parte as oportunidades não foram muitas, Guarín esteve francamente mal, e com ele todo o meio campo. Não conseguiram segurar a bola, nem lançar de forma rápida jogadas de ataque. Aliado a isso, sempre que perdia a bola, o Apoel fazia o seu jogo habitual e fechava-se em copas na defesa, esperando qualquer oportunidade para lançar um contra-ataque.

A segunda parte não trouxe novidades a nível exibicional. O que piorou imenso foi a exibição da equipa de arbitragem, que foi completamente desastrosa, e que foi prejudicando o Porto em vários pontos do jogo.

Com o jogo lento, as únicas oportunidades surgiram através de jogadas individuais, principalmente dos pés de Hulk, que foi o jogador que mais inconformado se mostrou.

Aos 68 minutos, VP decide fazer as primeiras substituições. Tira Fernando e James para a entrada de Belluschi e Varela. A verdade é que a entrada de Belluschi era muito importante, mas nunca para a saída de Fernando. Não se compreende que se desfalque a equipa do seu melhor equilibrador, se faça recuar Moutinho e Guarin, e se deixe Belluschi, um dos médios mais criativos que temos, completamente desapoiado no meio campo. Quanto à saída de James, compreende-se devido ao amarelo que já tinha (embora completamente disparatado). Varela entrou muito bem, e se o Porto conseguiu criar mais pressão no ataque, a ele se deve.

Como sempre acontece nestes jogos de péssima exibição, as oportunidades mais flagrantes surgem apenas quando já não há tempo para grandes coisas: no final do jogo. Hulk foi o jogador mais rematador, o mais inconformado, aquele que individualmente mais tentou. Mas não chegou para que o resultado fosse outro.

Dragão Azul TV



O jogo fica claramente marcado por um ritmo demasiado lento e previsível. Mais uma vez Vítor Pereira tomou algumas decisões que ajudaram a condicionar a exibição azul e branca. O Apoel defendeu de forma cerrada, mas o ataque portista mostrou-se incapaz de lidar com a situação. Esta intranquilidade levou a que oito jogadores portistas saíssem do jogo amarelados.

Pela negativa destaco Guarín, cuja exibição foi muito abaixo do esperado. Pela positiva a entrada determinada de Varela.

Este jogo deixa muito que pensar... O ataque portista é previsível, as movimentações são sempre as mesmas, não há velocidade no jogo, o meio-campo tem-se mostrado incapaz de segurar a bola e a defesa tem estado desatenta.

Há muito para melhorar nesta fase. Foi um empate com sabor a derrota... Esperemos que seja tomada uma atitude, e que haja mais motivação na equipa... Receio que tenham adormecido à sombra das conquistas do ano passado...

As contas ficam mais difíceis! O Porto vê-se obrigado a ganhar os próximos jogos para garantir a passagem aos oitavos de finais. Vejamos a reacção da equipa já no próximo jogo para o campeonato, frente ao Nacional...

Saudações (desanimadas) portistas,
Carla Correia

7 comentários:

P. Ungaro disse...

Boas,

A exibição do Porto hoje foi muito fraca ... a defesa a dormir, o meio campo a passo e o ataque estatico. Ao intervalo pensei que com um puxão de orelhas a equipa iria mudar a atitude para a segunda parte, mas não.
Agradecer ao Helton a ultima defesa que daria e derrota.
Com esta atitude este ano não vamos longe.

Um abraço

http://fcportonoticias-dodragao.blogspot.com/

Armando Pinto disse...

Não gosto de comentar a quente, quando estou fulo, mas desta vez tenho de dizer mesmo que isto está a passar das marcas. Tem de ser feita alguma coisa, para mudar a má situação, pois está visto que este treinador pode e deve ser bom adjunto mas não o é como principal. As asneiras estão a ser muitas e se algo for remediado já, ainda se pode ir a tempo, senão não se antevê nada de bom.

Anónimo disse...

Caros Portistas,

Sinceramente depois do que vi hoje tenho de chegar à conclusão que o VP não tem unhas para uma guitarra desta categoria. Os jogadores só se agarram à bola, ninguém se mexe, não há vontade, não têm preparação física, enfim um sem numero de coisas que nem vale a pena continuar(como é possível tirar Fernando, o melhor jogador em campo da nossa equipa???)Só vejo uma solução e antes que seja tarde de mais e percamos tudo, porque meus Caros se não passar-mos aos oitavos da champions, em Dezembro temos de vender ao desbarato, a solução é Pedro Emanuel JÁ, é o único com capacidade para motivar esta equipa que é a mais cara da história do nosso clube.
Espero bem que depois de que vimos hoje o façam e rápido, lamento muito ter de estar a dizer uma coisa destas, mas é mais que evidente, o VP não serve, esta equipa parece as equipas do Prof. JF, por amor de Deus!(esta equipa é a mesma do ano passado)
Nota final: quando vi a nomeação de um árbitro Francês disse a uns amigos este fdp vem com encomenda do outro fdp, o platini, meu dito e feito.

SOMOS PORTO

CONTRA TUDO E CONTRA TODOS

SEMPRE F.C.PORTO

ℙΣ₦₮∀ ➀➈➆➄℠ disse...

caríssima carla, caríssimos:

não conseguimos desatar o nó cipriota, foi o que foi.
tenho para mim que já não é só uma questão de "ópera", mas sim de "maestro".


somos Porto!, car@go!

«este é o nosso destino»: «a vencer desde 1893»!


saudações desportivas mas sempre pentacampeãs a todos vós! ;)

Miguel | Tomo II

Rui Anjos (Dragaopentacampeao) disse...

Exibição cinzenta e preocupante, a dar a ideia que a equipa passa realmente por um momento periclitante. A defesa continua a dar brindes. Otamendi entregou de bandeja o ouro ao bandido, mas Helton resolveu. Os laterais estiveram lentos e complicados. O meio campo esteve muito apagado com Moutinho e sobretudo Guarín em claro sub-rendimento. Na frente, Kléber esteve activo mas infeliz no remate e James muitos furos abaixo das expectativas. Também Vítor Pereira não esteve feliz a mexer na equipa. Se as entradas de Silvestre Varela, Belluschi e Defour foram bem observadas, embora com algum atraso, já a saída de Fernando me pareceu desastrada. Creio que seria mais plausível a saída de Guarín.

Enfim, mais um passo em falso que não ajuda em nada a auto-confiança necessária para voltar às exibições à Porto.

Um abraço

Dragus Invictus disse...

Bom dia,

Ontem foi uma tremenda desilusão.

Fomos uma equipa apática, sem ambição e sem fio de jogo.

Só Hulk remou contra a maré.

Podíamos ter mesmo perdido a partida. O Apoel dispôs de duas excelentes oportunidades nos minutos finais.

Vítor Pereira esteve uma vez mais muito mal na preparação do jogo e nas mexidas.
Não é treinador para o Porto e há que mudar enquanto não temos tudo perdido.

Vítor Pereira foi infeliz na análise final ao jogo, defendendo-se com a suposta qualidade do adversário. Senhor VP o FC Porto tem a obrigação de levar de vencida esta modesta equipa do Apoel, não venha com tretas.

Os adeptos não mereciam este empate, pelo que foram justíssimos os apupos à equipa e treinador.

As contas da champions complicam-se e obrigam nos a vencer os restantes jogos.

Abraço e boa semana

Paulo

dragao vila pouca disse...

Estamos a regredir quando deviamos estar a evoluir. Estamos sem alma, sem crença, sem espírito.
O discurso é cinzente, faz de uma pulga um elefante, não motiva, não mobiliza, muito menos galvaniza.
Temos de mudar, de atitude, treinador e jogadores, mas tem de ser já, amanhã, é tarde!

Abraço