sábado, 10 de março de 2012

O Campeão Voltou…

Os adeptos entoaram este cântico antes do clássico e os jogadores demonstraram durante o jogo. O FC Porto para além de ter garantido a vantagem no confronto directo, garantiu o comando isolado com mais 3 pontos do que os perseguidores.

Quando faltam 9 jogos até ao final do campeonato não se pode dizer que seja uma vantagem tranquila, pelo que a consolidação nos próximos 4 jogos é fundamental para que a equipa se posicione em definitivo como o mais sério candidato ao título.

Hoje com a Académica no Dragão, depois na Madeira com o Nacional, Paços de Ferreira e Olhanense, este último também no Dragão, são 4 finais que é imperativo vencer antes da visita a Braga, que poderá ser, até final da época, o jogo mais exigente do percurso rumo ao título de campeão, sabendo que na jornada anterior à visita a Braga, os perseguidores defrontarão-se.

Tem sido sobretudo nos jogos com equipas que lutam pela manutenção que o FC Porto tem escorregado esta época. Primeiro Feirense, depois Olhanense, e já mais recentemente a única derrota com o Gil Vicente. Daí a importância dos próximos 4 jogos, para que no mínimo a equipa mantenha a diferença pontual para os seus perseguidores.

O primeiro dos adversários é a Académica. Uma equipa que iniciou muito bem o campeonato, depois teve uma quebra acentuada, pelo meio, foi o nosso carrasco na Taça de Portugal, prova que já assegurou a presença na final. Com um dos piores 5 ataques da prova e uma defesa que também não é das melhores, esta Académica vale sobretudo pela entreajuda dos jogadores que formam uma equipa muito aguerrida. Foi possível observar no confronto com o Benfica a postura do colectivo que com mais alguma lucidez poderia perfeitamente ter concretizado algumas das boas oportunidades que teve.

Cabe aos jogadores e a Vítor Pereira imprimir uma dinâmica forte e rápida para levar de vencida esta Académica, que não tem uma posição tranquila na tabela, e ainda que Pedro Emanuel e os seus jogadores digam que vão ao Dragão jogar o jogo pelo jogo, é bem possível que apostem numa táctica semelhante ao jogo com o Benfica fechando todos os caminhos para a sua baliza.

Vítor Pereira apenas introduziu uma alteração nos convocados, face à ultima convocatória. Saiu Iturbe de uma lista de 19 no último jogo. Mais uma vez o jovem Argentino fica de fora, continuando uma cavalgada de ausências consecutivas. Se é por questões tácticas então é preferível ceder o jogador pois Iturbe não é e nunca será um extremo como Varela, Hulk, Djalma, Cristian Rodriguez, será mais um James Rodriguez que produz jogo ofensivo e marca golos, sobretudo quando joga mais no meio.

O exercício é simples. Se Guardiola colocasse Messi como extremo e ainda o obrigasse a fechar o flanco quando a equipa não tem a bola, provavelmente, não teria marcado 5 golos aos Alemães. Iturbe é um jogador que precisa de espaço, é um jogador que conduz a bola, cria espaços e finaliza. Jogando a extremo é uma contra natura para um jogador de 18 anos que precisa de jogar e tem qualidade suficiente para ser uma opção válida para Vítor Pereira.

Lista de convocados: Helton, Lucho, Maicon, Álvaro Pereira, João Moutinho, Cristian Rodríguez, Kléber, Hulk, Rolando, James, Djalma, Sapunaru, Fernando, Alex Sandro, Janko, Otamendi, Bracali e Defour.



Vítor Pereira deverá realizar duas alterações no onze inicial mais logo. A excelente exibição de Maicon no centro da defesa, assumindo-se como patrão depois da saída de Rolando no jogo com o Benfica, deverá fazer com que Maicon surja logo à noite no centro da defesa ao lado de Otamendi, que esteve em melhor plano do que Rolando.

A surpresa poderá ser Djalma, mais uma vez, que poderá surgir como lateral direito, permitindo mais velocidade no flanco e mais agressividade atacante, uma vez que é esperado que James volte à titularidade e este, por natureza, apareça mais vezes no centro do ataque.

Vítor Pereira poderá assim surpreender com um jogo ofensivo forte e rápido nos flancos, estratégia que resultou frente ao Benfica, mas desta vez, uma estratégia mais defensiva, mas igualmente forte nos flancos, com Djalma e Hulk muito concentrados a fechar os flancos.

Isto obrigará a que o meio campo se apresente com Lucho mais avançado do que propriamente com apenas Fernando mais recuado, sistema que tem sido ultimamente mais usado por Vítor Pereira.

A presença de Janko, que não foi muito solicitado no ultimo jogo, poderá ser assim, com a presença dos laterais no jogo ofensivo, concretizar as oportunidades que o jogo mais directo possa criar.

O facto de Maicon e Hulk estarem no limite do castigo dos cartões, não deverá ser motivo de inibição, mesmo sabendo que no próximo jogo a visita é ao terreno do Nacional da Madeira. Para já o jogo é com a Académica e uma entrada forte, agressiva do ponto de vista ofensivo poderá permitir a Vítor Pereira a gestão cuidada desses dois jogadores e assim antecipar qualquer risco de castigo, mas primeiro, há que assegurar a vitória com a Académica.

Equipa provável: Helton, Djalma, Maicon, Otamendi e Alvaro Pereira, Fernando, Moutinho e Lucho, James, Hulk e Janko.

O apoio dos adeptos foi mais uma vez fantástico em Lisboa. Hoje à noite a equipa merece e precisa de um apoio igualmente forte. Estão reunidas as condições para a equipa arrancar em definitivo numa serie de vitórias que a conduza ao titulo. A nossa presença é fundamental.

Fica o desafio, Dragão cheio nos próximos e últimos 4 jogos da época, a contar desde hoje. Certamente seremos campeões.

O jogo está marcado para as 20:15 e terá transmissão na Sporttv.

Força Porto.
Ricardo Jorge

4 comentários:

Dragus Invictus disse...

Boa tarde,

A faltar 9 jornadas para o término do campeonato, e tendo nós alcançado a liderança isolada, teremos que encarar estes 9 jogos como finais.

Não há espaço para nervosismo, ansiedade e erros grosseiros.
Se queremos ser campeões temos de Ser Porto, ou seja, encarnar os predicados que fazem deste clube o melhor de Portugal - Espírito Colectivo, Espírito de Rigor, Ambição e Paixão pelo clube.

Se assim for seremos campeões.

A Académica é um clube valoroso, histórico, orientado por um excelente treinador e que conta nas suas fileiras com atletas jovens e ambiciosos.

A tarefa será difícil, mas se formos Porto, venceremos.

Que o público apoie a equipa, e mantenha a paciência quando as coisas não correm tão bem.

Não precisamos de ópera, queremos vencer.

Abraço e bom fim de semana

Paulo

dragao vila pouca disse...

Para que não hajam surpresas desagradáveis, é preciso ter bem presente que, por mais saborosa e importante que tenha sido a vitória em casa do mais maior, melhor, grande clube do mundo, só valeu 3 pontos. Mais, para que a vitória sobre o clube do regime tenha verdadeiro significado, a confiança, o entusiasmo e a mobilização portista continue em alta, é bom que os profissionais do F.C.Porto se convençam que não há vencedores antecipados, que só conseguirão vencer a Académica se tiverem o espírito, a atitude e a qualidade que tiveram e mostraram na Luz. Estamos na fase decisiva da época, cada jogo é uma final e portanto, concentração absoluta nos objectivos a alcançar, muito trabalho e pouca conversa. O futebol, como ainda ontem se viu no Sporting/Manchester City, está cheio de surpresas e sem humildade, respeito pelo adversário, as dificuldades aumentam, as coisas podem complicar-se. Para que isso não aconteça, convém entrar forte, não repetir erros passados. Se conseguirmos, será como o código postal, meio caminho andado para a vitória. E assim, a liderança continuará sólida, a confiança não será abalada, o título ficará mais próximo.

Nota final:
Precisamos de um estádio cheio, um apoio entusiástico, do primeiro ao último minuto. Dispensamos os assobios e a contestação. Juntos e a puxar para o mesmo lado, somos quase imbatíveis. Menos de 40.000 no Dragão, é uma derrota.

Abraço

Artigosonline/ana disse...

Boas,
Não espero um jogo fácil, por isso, com ou sem nota artística o importante e necessário é somar os três pontos.

Força FC Porto!

Cumprimentos

Ana Andrade

www.portistaacemporcento.blogspot.com

www.artigosonlineanaandrade.blogspot.com

ℙΣ₦₮∀ ➀➈➆➄℠ disse...

caro Paulo, caríssimas(os),

"ser Porto" é termos um estado de alma capaz de suplantar emoções, como a de esta noite - em que esbanjámos dois pontos por culpa própria (e com uma ajudinha do árbitro) -, de mantermos a nossa cabeça bem erguida, de apresentarmos o nosso melhor sorriso às provocações - que já se (pres)sentem - e de prosseguirmos com o espírito crente (e ciente) de que, no final, venceremos!

"ser Porto" é, nesta altura de aperto e por muitas divergências que tenhamos para com quem lidera o nosso clube do coração, sermos capazes de o apoiar incondicionalmente, remando (com todos) para um mesmo lado, numa mesma direcção e com um fito comum: a conquista do campeonato nacional!

somos Porto!, car@go!
«este é o nosso destino»: «a vencer desde 1893»!

saudações desportivas mas sempre pentacampeãs a todas(os) vós! ;)

Miguel | Tomo II