domingo, 30 de setembro de 2012

Apatia quase resultou em escândalo…

Não é por acaso que se diz que são nestes jogos que se vencem os campeonatos. Quando se olha para trás, e à 5ª jornada, o FC Porto soma dois empates com Gil Vicente e Rio Ave, é caso para se sentir alguma frustração neste arranque de época.

O primeiro lugar já era nosso, continuamos no topo, a diferença de golos é irrelevante para uns, motivante para outros, compreende-se, falta 1 mês para as eleições, mas a apatia de ontem quase resultou em escândalo.

É certo que os dois golos do Rio Ave foram erros infantis e graves da defesa Portista, até então nesta época, quase imaculada, é certo que o árbitro foi habilidoso, não só pelo penalti não marcado, mais um, e novamente num jogo em que não ganhámos, mas também pela excelente visão de dar 3 minutos de compensação, contados ao minuto!

Mas mais uma vez, o FC Porto e Vítor Pereira tinham argumentos para ganhar ao Rio Ave e à equipa de arbitragem e até a quem estava por trás desta iniciativa, tal como devia ter acontecido em Barcelos.

Desta vez, Vítor Pereira pecou! Não soube estimular a equipa, não se apercebeu da apatia a tempo, não mudou o que devia ter mudado, entendeu que com 1-0, James deveria jogar a 10 e então tirou Lucho, se calhar seria interessante fazer experiências em jogos oficiais, quando o resultado esteja um pouco mais desequilibrado, certo?!

É um facto que o FC Porto sempre controlou o jogo, até ao golo do empate do Rio Ave. Ninguém fazia entender que o Rio Ave iria empatar e muito menos virar o resultado, mas todos nós percebemos que a equipa do FC Porto estava apática, adormecida, embalada no magro resultado. Vítor Pereira não percebeu!

A primeira parte só deu FC Porto. Com justiça o intervalo chegou com a vantagem no marcador, mas oportunidades de golo escassearam, pelo domínio do jogo justificava-se.
A segunda parte, naturalmente o Rio Ave avançou mais no terreno e se isso deveria ser uma vantagem para o FC Porto, matar o jogo, tornou-se num autêntico pesadelo. James ainda fez estremecer a barra, mas os dois erros defensivos virou de pernas para o ar o resultado. A imagem nas bancadas, dos adeptos do Porto, era de pessoas incrédulas!

E a maior frustração é que após o segundo golo do Rio Ave, e já com poucos minutos para jogar, o FC Porto puxou pelos galões, meteu velocidade, e conseguiu empatar. E se houvesse mais tempo, certamente ganharia o jogo, a questão é porque não o fez mais cedo?!

É certo que ainda estamos na 5ª jornada, mas temos que ser exigentes! Não se pode aceitar perder 4 pontos, com equipas como o Gil Vicente e o Rio Ave, num curto espaço de tempo.

Não se compreende a opção por não colocar Varela de inicio na equipa. Depois de ter jogado bem contra o Beira Mar e de ter marcado, ficou de fora. Também não se percebe, se existe um esquema para situações urgentes de inferioridade no resultado, porque razão, nos jogos com o Guimarães e Beira Mar, não se experimentou, já com o resultado a 3-0, ou 4-0, o esquema de 2 avançados centro. Sem rotinas, esta alternativa não produz efeitos a escassos minutos de terminar o jogo.

Destaque para Miguel Lopes e Jackson, que sobressaíram pelo facto de terem marcados os golos da equipa. No geral a equipa toda esteve apática, praticamente todos ao mesmo nível, incluindo Vítor Pereira, que curiosamente não festejou o primeiro golo, mostrando uma auto-confiança elevada, mas depois… adormeceu…
Todas as imagens dos jogos do FC Porto.
(Clique na imagem para entrar)
Olha para a frente agora. Quarta-Feira o FC Porto pode dar um passo significativo na passagem aos oitavos de final, caso vença o PSG, pois terá o confronto directo com o Dínamo de Kiev que poderá selar essa passagem. O Sporting virá depois.

Força Porto.
Ricardo Nuno Gonçalves Jorge

10 comentários:

Rui Anjos (Dragaopentacampeao) disse...

Que jogo paupérrimo! Parecia a brigada do reumático! Estava convencido que estes jogadores tinham já interiorizado a responsabilidade de envergar este equipamento. Enganei-me!

Não se deram conta ainda das verdadeiras dificuldades que os adeptos têm de ultrapassar para os acompanharem? Oferecem-nos em troca espectáculos deploráveis quanto este?

Sinto-me defraudado e indignado.

Agora, só uma vitória frente ao PSG poderá servir para atenuar a minha fúria. Por isso, não falhem.

Um abraço

Azulibranco disse...

Estou absolutamente inconformado.
O Porto de Victor Pereira sempre acaba por me enganar: quando pensamos que o campeonato já está perdido, eis que o Porto se sagra campeão; quando pensamos que o Porto está enfim definitivamente entrosado, surge uma miséria destas.
Tão sedo não me vão ver os dentes, a não ser para morder alguém.

dragao vila pouca disse...

Vou comentar apesar do Azulibranco estar mortinho para ferrar em alguém, mas não é em mim...

Quando uma equipa está a ganhar pela diferença mínima, controla o jogo, mas faz pouco para aumentar a vantagem, limitando-se a trocar a bola, a deixar passar o tempo, sem intensidade, sem velocidade, não procurando marcar mais, para conseguir a tranquilidade, sujeita-se a sofrer um desgosto. Foi o que aconteceu. A perder apenas por um golo, como é óbvio, a equipa vilacondense acreditou e lá está, um erro - quando um jogador começa a fazer mais do que sabe, começa a jogar à craque, perde qualidades, comete erros primários. Maicon que costuma ser despachado a aliviar, quis inventar e deu-se mal. Fica a lição - golo do empate, outro erro, inacreditável e impensável, Rio Ave em vantagem e quem diria, o F.C.Porto a ter de correr atrás do prejuízo. Em Faro já tínhamos feito o mesmo e acabamos o jogo a sofrer. Hoje voltamos a cometer os mesmos erros, fomos surpreendidos e pagamos um preço justo pela apatia que demonstramos. Não adiantaram nada os avisos. Tanto controlamos que não ganhamos. Enfim, uma grande desilusão!

E nem precisaria de dizer muito mais... Se na primeira-parte ainda tivemos alguns períodos de boa qualidade, dominamos quase totalmente, nunca estivemos em risco e apenas faltou mais discernimento e mais decisão na hora de definir, se passar ou rematar, chegamos à vantagem, justa, com que fomos para o intervalo, na segunda, nem o aviso logo início da etapa complementar, em que a bola passou a rasar o poste, espevitou a equipa do F.C.Porto. Na segunda-parte faltou atitude, faltou raça, faltou meter na cabeça que sem o jogo estar resolvido, não se pode relaxar, desligar. Tirando a boa reacção ao dois golos do Rio Ave, o bi-campeão apenas esteve perto do golo, uma vez, num remate de James à barra. Muito pouco.

Não foi pelas substituições que o gato foi às filhoses... A saída de Atsu para a entrada de Varela foi natural; Fernando precisava de minutos e Lucho já estava a na fase de menor rendimento; Kléber entrou com propriedade para o lugar de Defour, na altura do tudo por tudo. Depois, antes das substituições, já a equipa jogava devagarinho, mais para o lado e para trás que para a frente, pouco fazia para matar o jogo.

Nota final:
Na época passada e também na quinta jornada, deixamos 2 pontos frente ao Feirense, em Aveiro; a seguir para a Champions, defrontamos o Zenit, em S.Petersburgo, perdemos; depois recebemos o clube do regime e empatamos. Agora, o calendário é semelhante: o próximo jogo, quarta-feira, também é para a prova rainha da UEFA, frente ao PSG; e na Liga, domingo, voltamos a defrontar outro rival, desta vez, o Sporting. Que os resultados sejam diferentes, é o que todos os portistas esperam. Mas a moral e a confiança, depois deste jogo e deste resultado, não serão os mesmos que seriam se tivessemos ganho. Transformar o desânimo e a frustração deste jogo, em "raiva", determinação e enorme vontade de vencer, é o mínimo que os profissionais do F.C.Porto podem fazer. Depois, até podemos perder, mas não pode ficar, como hoje, a sensação que não fizemos tudo para ganhar. Isso, nem pensar!

PS - Até acho que ficou um penalty por marcar na primeira-parte, Atsu isolado e empurrado por trás e tenho dúvidas no lance do Kléber, mas não contem comigo para dizer que não ganhamos por culpa do Bruno Esteves. A culpa foi nossa, ponto!

Abraço

Dragus Invictus disse...

Boa tarde,

Ontem fizemos uma exibição muito aquém do esperado.

Não fomos agressivos, e foi com uma apatia plena que perdemos 2 pontos em Vila do Conde.

São estes jogos que por vezes definem campeonatos.

Erros inadmissíveis numa equipa como a do FC Porto que luta pelo título.

VP diz que amolecemos no jogo. Ora é seu papel acordar os jogadores, dar dois berros lá pra dentro. Lá está faltou nos o tal jogador À Porto dentro do campo que berre com seus colegas e os coloque em sentido.

VP esteve muito mal na substituição de Lucho, que mesmo a passo, é um jogador que sabe dar ritmo ao jogo, quebrar o jogo, e tacticamente é perfeito nas compensações.

O árbitro foi habilidoso. Um penalti na primeira parte sobre Atsu e um no final sobre Kléber, e ainda os 3 minutos de compensação, em que um dos quais foi para amarelar um jogador forasteiro por falta grosseira sobre James.

Mas não nos podemos refugiar nos erros. O andor no inicio vai sempre em ombros, mas para Março já vai de rastos e nós lá estaremos para mais uma vez erguer o caneco de campeões.

Há que tirar ilações do jogo de ontem e do que aconteceu nas vésperas. Sites inaugurados etc. Um jogador é para jogar à bola.

Tenho saudades dos velhos jogadores com a mística à porto.
Os bermelhos só jogam com estrangeiros, a nós faltam-nos jogadores da cantera com fibra.

O próximo teste diante do PSG será importantíssimo. Erros grosseiros como os de ontem não podem suceder, caso contrário poderemos sofrer e muito.

Em grande o povo portista que se deslocou aos Arcos para apoiar a equipa. Eles mais do que ninguém não mereciam aquela asnice colectiva.

Abraço e boa semana

Paulo



Artigosonline/ana disse...

Boas,
Não esperava um jogo fácil, mas, mais uma vez e como sempre, cabia ao FC Porto dar a volta ao texto. Contudo, hoje os dragões não foram capazes de segurar a vantagem que conseguiram na primeira parte e acabaram por conseguir o mal menor, o empate, já próximo do final do encontro. Não posso dizer que gostei do jogo, esperava, sem dúvida, mais e melhor. O FC Porto perdeu a liderança de forma isolada mas tem-na de forma partilhada. Do mal o menor! Agora vem a segunda jornada da Liga dos Campeões e depois o Sporting no Dragão. Dois jogos nada fáceis.


Cumprimentos

Ana Andrade

www.portistaacemporcento.blogspot.com
www.artigosonlineanaandrade.blogspot.com

Azulibranco disse...

Gostei muito destes comentários.

Marco disse...

Desde a época passada que defendo que este treinador não presta para nada! Continua a mostrar isso quase constantemente... Mas a generalidade do adepto é burro, e isso foi o que se viu na conquista do campeonato, "VP fica!" "grande VP"... Cultura técnica pode ter, mas numa altura em que jogadores ganham milhões e mostram grandes egos, é necessario também ser lider, mostrar carisma e força! VP já mostrou que não tem nada disso, é fraco mentalmente e não tem força para segurar a equipa, não os tem no "sitio" para motivar a equipa... O ano passado defendi que devia sair no fim da epoca, conseguiu o minimo, quer queiramos ou não com a complacência de Jorge Jesus, mas mostrou constante fraqueza na Europa. Este ano vai pelo mesmo caminho, desengane-se quem acha que a passagem da fase de grupos já está assegurada, apesar de o Benfica estar mais fraco, o Porto teima em facilitar novamente nos jogos em que verdadeiramente se ganha o campeonato... Nada de Kelvin, nada de Iturbe, Danilo muito fraco mentalmente ainda a pensar estar no Brasil, e o porquê da insistência em kleber, promovam o avançado da equipa B, garanto que ficaremos melhor servidos!!

Mas sei que vamos ter que levar com ele até ao fim da época, se não saiu no ano passado quando as coisas bateram no fundo, também nao há-de ser agora para grande pena minha... E temo que esta equipa jogue o que quiser, somente quando quiser, tal como fez no ano passado na recta final do campeonato...

Anónimo disse...

Concordo com muita coisa do seu post, agora aquela do árbitro ser habilidoso não deixa de ter a sua graça.
De facto há um penalti por marcar, o que por si só não dá a garantia de ser golo, podia por exemplo ser João Moutinho a marcar, e quase de certeza resultava num falhanço.
Então e o fora de jogo ao João Tomás que ia completamente isolado para a baliza?
Também nada garante que fosse golo, mas a probabilidade seria quase tanta ou mesmo tanta como a do penalti, por isso quando se fala nos erros é bom que se fale em todos eles, não só naqueles que nos interessa.
Saudações desportivas.
José Carlos.

Dragus Invictus disse...

Boa tarde amigo José Carlos,

Tem razão que não se falou no post do fora de jogo mal assinalado a João Tomás, que como disse poderia dar ou não golo.

Mas nem vamos entrar pelos erros dos árbitros.

O FC Porto tinha a obrigação de vencer, empatou porque a partir do momento que se viu na frente do marcador, houve uma apatia colectiva da equipa e do seu treinador.

Acho muito pouco ético FC Porto ou Benfica refugiarem-se nos erros dos árbitros para desculpar fracassos.
No final do campeonato no deve e haver, as contas ficam saldadas.



Cumprimentos

Paulo

Anónimo disse...

Amigo Paulo, concordo e discordo desta sua apreciação.
Sim realmente é pouco ético por vezes a desculpa dos árbitros, já outras há que não é tanto assim.
Quanto à teoria de no fim o deve e o haver está tudo igual, eu também concordo, só que esta pode ser e muitas vezes é mesmo uma visão enganadora.
Temos é de ver os timings em que as chamadas ajudas dos árbitros acontecem.
O que me interessa a mim que o árbitro dê uma ajuda à minha equipa se ela já não servir para nada?
É para depois no tal deve e haver estar tudo igual, o que eu quero mesmo é que os árbitros não ajudem a minha equipa, nem as outras equipas, e o amigo sabe tão bem como eu que essas habilidades não são dificeis de fazer, basta querer.
Saudações Desportivas.
José Carlos